Aperte o Play: “Mercado Central” canção de João Amorim. #Macapá264anos

 

A coluna ‘Aperte o Play’ desta semana celebrará os 264 anos de Macapá e conta um pouco da história da cidade, através de músicas que falam da cultura e do povo tucuju.

A música ‘Mercado Central’ do cantor e compositor João Amorim é que abre a coluna hoje. Ela conta um pouco da história de uma dos símbolos da capital , da cultura amapaense, economia e cartão postal da cidade de Macapá, que tem 68 anos de muita história e tradição. O Mercado foi revitalizado e reinaugurado em 2020, virando um novo Point de cultura e gastronomia.

Mercado Central 

“Manheia”, clareia num ponto perto do equador Abre o Bar do Pedro, vem o trampo cedo, Tem tempero seco, sapateiro e camelô

Ainda na esquina tua farinha me pescou
No Mercado Central eu vejo cada grão do teu desejo, O dia vai e a tarde vem melhor

Luzia anda leve, teu Marabaixo, teu tambor
Serão seu salvador e guia quando o sol do meio dia

Fizer suar a sua tez
Vem vindo olha lá! Três horas em Macapá
Melhor feira nessas beiras não há
E o povo todo lá é gente fina e rala muito

Clareia, “Manhea” num ponto perto do equador
Abre o Bar do Pedro, vem o trampo cedo
Tem tempero seco, sapateiro e camelô
Ainda na esquina tua farinha me pescou
No Mercado Central eu vejo cada grão do teu desejo
O dia vai e a tarde vem melhor

Vem vindo olha lá! Três horas em Macapá
Melhor feira nessas beiras não há
E o povo todo lá é gente fina e rala muito
Conhecidos das florestas que também gostam de festa
O índio Zé, o nego Jô, o Jorge lembra um europeu
Felizes de tão simples como Deus

  • Belíssima canção que retrata o dia a dia do amapaense e homenageia os trabalhadores que labutam para sobreviver.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.