MP-AP 30 anos: Ministério Público do Amapá faz homenagem póstuma a membros e servidores que contribuíram com a instituição em três décadas de atuação pela sociedade amapaense

 

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) homenageou, em cerimônia realizada nesta segunda-feira (27), na Procuradoria-Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco, às viúvas ou representantes de membros e servidores falecidos, que contribuíram com a instituição nestas três décadas de atuação do órgão ministerial em prol da sociedade amapaense. A solenidade, que faz parte da programação dos 30 anos de implantação do MP-AP, foi transmitida pelo Canal do MP-AP na plataforma Youtube.

O Ministério Público do Amapá é importante instrumento na defesa da ordem jurídica e democrática para promover a pacificação e justiça social. E, por conta disso, é necessário o reconhecimento a todos aqueles que contribuíram com as conquistas que o órgão ministerial obteve nesses 30 anos de trabalho. Na abertura da solenidade, compuseram o dispositivo de honra a procuradora-geral de Justiça do MP-AP, Ivana Cei, e as procuradoras de Justiça Clara Banha e Estela Sá. 

Medalha de Honra

Durante o evento, foram entregues, aos familiares dos homenageados, a Medalha de Honra – que tem como símbolo a árvore Sumaúma, que denota força, imponência, comunicação, longevidade e a região amazônica – pelo empenho e dedicação em defesa da sociedade amapaense e no fortalecimento do Ministério Público do Estado.


A PGJ do MP-AP recebeu a Medalha de Honra das mãos da procuradora de Justiça,  Clara Banha, decana da instituição, pela contribuição do seu irmão, promotor de Justiça Haroldo Franco; Ivana Cei fez as entregas das honrarias seguintes à viúva do ex-procurador de Justiça do MP-AP e desembargador do Tribunal de Justiça do Amapá, Áurea Brito; ao filho do promotor de Justiça Eraldo Afonso Zampa, Luiz Felipe e à  cunhada do promotor Mauro Guilherme da Silva Couto, Suelem Amora.

Também receberam a Medalha de Honra das mãos da PGJ do MP-AP, familiares de servidores falecidos. Foram eles: a filha de Antônio Paiva, Tainá Paiva; o filho de Eli Menezes de Oliveira, Elimar dos Santos; a filha de José Teixeira, Amanda Teixeira; a viúva de Ronaldo Costa, Nalira Souza; a viúva de William Hill Cavalcante, Jacirene Cavalcante; a viúva do aposentado e também falecido,  Hidelmar Jorge Mauro, Regina Mauro.

O promotor de Justiça Moisés Rivaldo Ferreira foi um dos homenageados postumamente, mas a família não pode participar e a honraria será entregue posteriormente. Da mesma forma que os familiares do servidor Fernando Cezar Pereira da Silva, também falecido e honrado no evento, receberão a honraria. Eles acompanharam a cerimônia virtualmente.

Pronunciamentos

A procuradora de Justiça Estela Sá discorreu sobre a homenagem: “colegas e servidores homenageados hoje cumpriram sua missão na terra e Deus os chamou para voltar à pátria celestial. Isso me faz lembrar 1991, quando todos nós fizemos o juramento de trabalhar pela sociedade, na então implantação do MP-AP. Tornamo-nos uma grande família e sempre nos reuníamos. Esses encontros eram muito fraternos. Muitos ascenderam, inclusive saíram do MP-AP, como o Doutor Manoel Brito, outros seguiram na nossa instituição, sempre na defesa da sociedade. Ficam as boas lembranças e o legado de trabalho de todos”, frisou.


Na ocasião, a PGJ do MP-AP, ressaltou a importância do reconhecimento: “Gostaríamos de fazer essa homenagem a todos vivos, mas não foi possível. Esse reconhecimento é fundamental, pois cada um colocou um tijolo na grande obra que é o Ministério Público do Amapá. Sentimos falta de nossos colegas, membros e servidores que partiram.   Sinto muitas saudades de cada um deles. Foram tantos momentos, tanta solidariedade, que a gente se sente como se faltasse um pedaço. E realmente falta. Mas nunca esqueceremos os relevantes serviços prestados à Instituição e em prol da sociedade amapaense. Eles serão lembrados eternamente. Temos muitos erros, mas muito mais acertos. Pois nos consideramos família, em todos os momentos. Portanto, digo a todos os familiares dos homenageados, vocês sempre serão Ministério Público. Muito obrigado a todos”, pontuou Ivana Cei.
A solenidade contou com a presença do procurador de Justiça Joel Chagas, do secretário-geral do MP-AP, promotor de Justiça Alexandre Medeiros e da promotora de Justiça Andréa Guedes; Também presente o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Amapá (OAB/AP), Auriney Brito, filho do homenageado Manoel Brito, além de servidores do Ministério Público do Amapá.

http://www.mpap.mp.br

 

 

  • Parabéns pela homenagem presta! É o reconhecimento pelo trabalho que esses guerreiros dedicaram a sociedade amapaense e que jamais poderia ser esquecido, pois sabemos que ninguém constrói nada sozinho no sucesso do MP/AP, com certeza está a total colaboração de seus servidores que hoje se encontram ao lado do pai

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.