Iniciativa inédita no país, hospital da Ebserh no Amapá lançará Residência em Engenharia Clínica e Hospitalar

Programa terá aproximadamente oito mil horas e qualificará profissionais de diversas áreas para atuação em ambiente hospitalar no HU-Unifap e outras regiões do país

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Amapá (HU-Unifap) lançará, ainda em 2023, seu Programa de Residência em Engenharia Clínica e Hospitalar. Trata-se de uma iniciativa multiprofissional que servirá para colocar trabalhadores de engenharia e da área da saúde em contato com equipamentos e a dinâmica do cotidiano de um ambiente hospitalar. O objetivo é capacitar colaboradores de diversos setores para o trabalho com infraestrutura predial, infraestrutura de equipamentos e infraestrutura ambiental (tratamento do lixo hospitalar, tratamento de água, obtenção e regulação de energia, etc.), entre outras atividades fundamentais para o funcionamento de excelência em um hospital.

O estudante do Programa de Residência Clínica e Hospitalar do HU-Unifap vai permanecer 8h diárias no hospital, onde contará com uma formação teórica básica e muitas horas de prática específica de acordo com a área que estiver estudando. Um arquiteto, por exemplo, dedicará sua formação à arquitetura hospitalar e à manutenção das necessidades estruturais do hospital. Já um engenheiro mecânico irá se dedicar à manutenção de equipamentos hospitalares, funcionamento de bombas e outras máquinas, assim por diante. Toda a formação teórica e prática vai acontecer no próprio hospital junto aos supervisores e preceptores do HU-Unifap. Os supervisores serão profissionais destacados especificamente para monitorar e coordenar o trabalho de cada área (Arquitetura, Engenharia Elétrica, Engenharia Civil, etc.) e os preceptores serão os profissionais do hospital responsáveis por acompanhar os estudantes da residência no desenvolvimento dos seus trabalhos.

O gerente de Ensino e Pesquisa do HU-Unifap, José Carlos Tavares, destaca que a ideia de criar a residência surge de uma carência de mão-de-obra especializada que não se restringe apenas ao estado do Amapá: “Observamos um número restrito de candidatos que apareceram no concurso (do HU-Unifap) com formação adequada para atuação em hospitais. Percebemos que há, no Brasil todo, a necessidade de formação de profissionais em nível de residência para a área de Engenharia Clínica e Hospitalar”. O professor destaca ainda que a residência oferecerá um processo de formação mais completo do que as especializações já existentes na área: “Nossa residência terá aproximadamente oito mil horas, os cursos de especialização costumam ter 360 horas. Além da residência ainda possibilitar a prática dentro do ambiente hospitalar por três anos, é uma diferença muito significativa”.

O projeto de Residência em Engenharia Clínica e Hospitalar já foi aprovado no Colegiado Executivo do HU-Unifap e na Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação da universidade. Agora o documento passará pelo Conselho Universitário da Unifap, onde receberá ajustes para sua redação definitiva, e em seguida será cadastrado para receber recursos e poder viabilizar sua primeira seleção de bolsistas ainda no final de 2023. Tavares explica como será feita a seleção dos estudantes e a distribuição das bolsas: “Ao final de cada ano, vamos abrir três vagas através de edital. Ao fim do terceiro ano teremos nove estudantes na Residência Clínica e Hospitalar no HU-Unifap”.

Modernidade do HU-Unifap será ponto alto do programa 

O chefe da Divisão de Logística e Infraestrutura Hospitalar do HU-Unifap, Lucas Nobre de Almeida, destaca o caráter inovador do programa e a vocação do hospital para formar residentes na área: “O objetivo é inovar com uma nova modalidade de residência que ainda não foi implementada em nenhum outro hospital da rede. A proximidade com os cursos de Engenharia da Unifap e o alto desenvolvimento tecnológico que o HU-Unifap possui também vão ajudar muito nesse sentido. Nossa infraestrutura é moderna no que tange à engenharia clínica e hospitalar e o HU-Unifap é um hospital padrão na rede”.

O papel dos engenheiros do hospital na residência 

Os engenheiros do HU-Unifap participaram da elaboração do projeto pedagógico do programa, no tocante ao conteúdo a ser abordado, ementas de disciplinas e áreas de atuação dentro da engenharia que serão instituídas no programa. Futuramente, serão preceptores dos residentes, desenvolvendo atividades teóricas e práticas de acordo com o programa estabelecido.

Para João Carlos Valente, Engenheiro Mecânico do HU-Unifap que mora há muitos anos em Macapá, a iniciativa é fundamental para qualificar os profissionais de saúde não só do estado como do país: “O programa objetiva preparar o profissional para atuar em instituições de saúde, tanto na administração das áreas de tecnologia médica quanto no gerenciamento de todo o parque tecnológico. É um programa inédito de residência, com foco na área de tecnologia, capaz da capacitar profissionais não só do Amapá como de outras regiões do país para desenvolver atividades com as melhores práticas dentro de estabelecimentos de assistência à saúde”.

Sobre a Ebserh 

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Amapá (HU-Unifap) faz parte da Rede Ebserh desde 2022. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Ebserh foi criada em 2011 e, atualmente, administra 41 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência. Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) ao mesmo tempo em que apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas e inovação.

Por Andrew Costa, com revisão de Felipe Monteiro/Coordenadoria de Comunicação Social da Ebserh

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *