Whats

Acusações e ofensas que vazaram de conversas de grupo no whatsapp movimentaram a disputa pela vaga de desembargador, indicada pela OAB.

O advogado Márcio Figueira, que foi Procurador do Estado no inicio do governo de Camilo Capiberibe, teve sua inscrição para concorrer indeferida, e fez acusações pela rede social fechada, além de chamar de “bandidos”, os que indeferiram sua candidatura.

O advogado Cassius Clay, vice-presidente da OAB e um dos membros da instituição que trabalhou na inscrição dos candidatos, diz que Márcio Figueira não apresentou os documentos exigidos e agora que sujar um processo limpo.

Cássius, que reputo como pessoa íntegra e séria em tudo o que faz, está indignado com as ofensas de Márcio Figueira, assim como toda a diretoria da OAB envolvida no processo. Cassius diz que o processo está limpo e probo, que inclusive os candidatos que fizeram oposição a atual diretoria da OAB nas últimas eleições, e cumpriram os requisitos exigidos, tiveram suas inscrições deferidas e estão na disputa.

E mais, que os processos judiciais contra Márcio serão à altura de sua ofensa.

Trechos de conversas de whatsapp, publicadas no jornal Diário do Amapá

 

marcio

Ulisses

PauloCampelo

  • Moro aqui no Amapá, faz 20 anos e só não vi ( ainda ) aqui, só boi voando, o resto …..Até concurso de miss, acaba na justiça, imagine uma vaga pra um cargo elevante. Infelizmente, triste.

  • Acho que cargo de desembargo deveria , sempre, ser ocupado por juízes de carreira, os quias são oriundos de concurso publico. esse negócio de indicação, principalmente no Amapá, sempre tem confusão.

  • Caro, Custódio: Há indicação de três nomes pelos desembargadores. No caso a OAB faz uma eleição e tira 12 nomes mais votados, vai para escolha dos Conselheiros 6 nomes e os desembargadores escolhem três nomes e o Governador, indica a pessoa que será o desembargador. No ministério público há uma eleição também para procurador Geral, a classe dos Promotores votam e é tirado três nomes, e o governador indica um… Isso é democracia, Magistrados, Membros do Ministério Público e Advogados, numa mesma corte…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *