Waldez anuncia vacinação para profissionais de segurança e salvamento que atuam na linha de frente da Covid-19

 

Decisão foi tomada pelo Ministério da Saúde após pedidos de Waldez Góes e outros governadores para antecipação da imunização destes trabalhadores no Plano Nacional de Vacinação.

O governador do Estado do Amapá Waldez Góes anunciou, nesta quarta-feira, 31, que o Ministério da Saúde acatou a solicitação dos 27 governadores brasileiros e vai priorizar o envio de remessas destinadas especificamente para profissionais de segurança pública, salvamento e das Forças Armadas expostos nas ações da linha de frente do combate à pandemia.

A solicitação foi feita em reunião remota com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na semana passada, dentro da programação do Fórum Nacional dos Governadores, dia 26, quando os governantes reivindicaram a antecipação dos profissionais de segurança pública e salvamento no Plano Nacional de Imunização contra a covid-19.

“Será antecipado o envio de um quantitativo de doses de vacinas, de maneira escalonada e proporcional, direcionado exclusivamente para a vacinação dos seguintes trabalhadores das forças de segurança e salvamento e forças armadas”, confirmou o MS em Nota Técnica.
Waldez Góes enfatizou que desde o início da pandemia, as forças de segurança pública, âmbito estadual ou municipal, têm sido empregadas no cumprimento das medidas de controle sanitário para conter a disseminação da doença.

Ele destacou que policiais civis, militares e penais, bombeiros e guardas municipais tem se engajado nas fiscalizações para manter o distanciamento social e as medidas de proteção à vida. Além disso, parte desses profissionais têm desenvolvido ações diretas de apoio às ações para operacionalização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19.

Na Nota Técnica, o Ministério ordenou a vacinação desses profissionais por prioridade:

1º – Trabalhadores envolvidos no atendimento e/ou transporte de pacientes
2º – Trabalhadores envolvidos em resgates e atendimento pré-hospitalar
3º – Trabalhadores envolvidos diretamente nas ações de vacinação contra a covid-19
4º – Trabalhadores envolvidos nas ações de vigilância das medidas de distanciamento social
5º – Com contato direto e constante com o público independente da categoria.
Segundo o governador do Amapá, a medida é necessária por conta do risco de exposição ao vírus que esses profissionais enfrentam.
“Pedimos a inclusão dos de segurança pública e salvamento que atuam desde o início da pandemia na linha de frente de combate ao vírus”, justificou Góes.
A remessa com as doses específicas para esses profissionais deve ser confirmada nas próximas horas do dia, em nova nota técnica do ministério, que deve definir a quantidade de doses para cada unidade da Federação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *