Voo da Azul pra Caiena: Amapá sambou.

Mais uma vez o Amapá perde uma oportunidade. A Azul Linhas Aéreas anunciou em um site de viagens que a partir de 20 de agosto oferecerá dois voos semanais para Guiana Francesa, partindo de Belém, no Pará. O voo poderia ser Macapá-Caiena, mas os altos custos com o querosene de aviação tornam a rota pouco atrativa para as empresas. O Governo do Estado não reduziu a alíquota do ICMS. O Pará reduziu de 25% para 7%. Para atrair mais rotas.

E senador Randolfe, que estava trabalhando para que o voo saísse de Macapá, disse que: “Mais recentemente fizemos inúmeras tentativas de convencer o governo da importância da redução do imposto, mas não tivemos resposta positiva”. No início do ano a Azul Linhas Aéreas chegou a reunir com o comércio local e com o Governo do Estado, a partir de articulação do senador.

Em ofício assinado pelo presidente Antonoaldo Neves, em fevereiro deste ano, a empresa oficializou a intenção de fazer a rota partindo do Amapá. No documento, fica clara a necessidade de uma contrapartida por parte do governo estadual: “Tal rota necessita de suporte econômico para a viabilização e sustentação a longo prazo e rogamos ao Estado que considere essa possibilidade na forma de incentivos fiscais ao operador da rota”. Hoje a taxa cobrada no Amapá é de 25%.

VOO – De acordo com o site, os voos serão oferecidos às terças-feiras e aos sábados. As passagens já podem ser adquiridas, a partir de R$330 ida e volta. Serão realizados no avião modelo ATR 72-600, com 70 assentos. Será o primeiro destino internacional sul-americano atendido pela empresa. A companhia também será a única brasileira a contar com voos regulares para Caiena.

  • Lamentável a posição do Governo. O Pará reduziu de 25 para 7%. Mais esperar o que de um governo, que por oito anos deu prova da total incompetência para gerir um Estado. O povo não teve sorte com os seus gestores. São mais de 20 anos de atraso. Para serem recuperados levarão mais de 30 anos, isso , se for gerenciado com competência.

  • Mas o amapá teria demanda suficiente para manter essa rota internacional? Acredito que nao. Em Belém é diferente, a demanda é muito maior, a empresa teria muito mais lucro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *