Viva o Piratão! Há 49 anos brotava uma das instituições mais adoradas e respeitadas do carnaval

*Alcione Cavalcante 

 “Muitos anos de paixão

No bairro do Trem nascia

A minha maior alegria

Piratas da Batucada

Num 31 de março, surgia”

SONY DSC

Há exatamente 49 anos brotava aquela que vira a se tornar uma das instituições mais adoradas e respeitadas do carnaval amapaense.  

  Nascida no bairro do Trem, Piratas tem como principal missão levar entretenimento, felicidade e alegria a todos que reconhecem no carnaval uma das mais importantes expressões da cultura popular do Estado.  

Piratas da Batucada em dia de desfile

 

  Essa característica ímpar se impôs e, ocupando todo o bairro, se espraiou para Zona Sul e extravasou pra toda a cidade. Daí a imensa, diversificada e apaixonada torcida a se emocionar e a emocionar por ocasião dos desfiles sempre concebidos e executados com zelo e criatividade nas passarelas do samba. Incialmente na Avenida FAB e a partir de 1997 no Sambódromo da Ivaldo Veras. 

Com diz nosso Samba-Exaltação, Piratas d Batucada surgiu em 31 de março de 1973. Nossos registros indicam que Estatuto da Escola foi aprovado em outubro do mesmo ano, tendo como Relatores: Jeconias Alves de Araújo, Euclides Campos de Moraes, Antônio dos Santos Pinheiro e Walber Damasceno Duarte, este que foi o primeiro Presidente da Escola. Destacamos, entretanto, que desde o carnaval de 1962 já havia grupo de desportistas e carnavalescos do Trem, entre os quais o Pancho e o destacado artista plástico R Peixe, que conceberam o que viria a ser o embrião de Piratas.

Desde seu nascimento a Associação tem como um de seus princípios a valorização de nossa cultura, nossos costumes e nossas personalidades, daí a geração da espetacular empatia entre a Escola e a comunidade, entre a torcida e os espetadores, que num crescendo contínuo explode em energia e emoção do dia do desfile. 

Este atributo conduziu a enredos e desfiles memoráveis, como” Biroba, o Maquinista do Trem da Alegria “(1987), “O Negro que Veio da Várzea – Açaí “(1993), “Corpo de Mani, Dádiva de Tupã” (1997) e “Da Fortaleza de Macapá ao Cristo Redentor – Piratão e Beija-Flor: Uma Maravilhosa História de Amor” (2009), entre muitos outros não menos memoráveis. 

  Esse conjunto de qualidades, inspirou a composição (por solicitação do Matta e do Manoel Torres) de um dos mais belos sambas-exaltação do Brasil, capaz de competir pau-a-pau com o Samba-exaltação Portela (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) e, Sei lá, Mangueira (Paulinho da Viola e Hermínio Bello de Carvalho)

Bosco e Geandra

  Assim, não há como não distinguir o papel importante de Piratas da Batucada para o carnaval e seu incontestável reconhecimento como “O Rei do Carnaval”. 

PARABÉNS CAMPEÃO

Nesse mar de amor

Vai meu coração

Seja aonde for

Sempre será campeão

(Ademar Carneiro, Admir do Cavaco, Dio e Magé)

A tradicional “Barca”do Piratas se deslocando para o Sambódromo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.