Verão italiano à moda tucuju

  • José Bogéa – Advogado e Enófilo
    Bogea

“Sob a dura estação de sol aceso

Definha homem, definha rebanho e arde o pinho;

Solta o cuco a voz, e logo com ele

Canta a rolinha e o pintassilgo.”

O trecho do poema bem poderia ter sido escrito por um poeta tucuju, inspirado pela onda de calor que já tomou a nossa região e que promete continuar no fim de semana. No entanto, é parte do soneto L’Estate (O Verão) que veio impresso na parte do primeiro violino que compunha a célebre série de quatro concertos para violino chamada de “As Quatro Estações”, composta pelo barroco e veneziano Antonio Vivaldi (1648-1741).

 

Cheers at dusk
Cheers at dusk

A autoria dos quatro sonetos, que ilustram cada uma das estações de Vivaldi, é incerta. Entretanto, certamente, sob o sol intenso e calor que abrasava os camponeses da época, eram consumidas taças de vinhos mais leves e frescos como forma de compensar o calor do intenso e seco verão italiano. Provavelmente, tomavam largas goladas do branco Soave, muito comum em todo o Vêneto, feito com a uva Garganega.

Muita gente diz que não consome vinhos em nossa região por conta do clima. Realmente, consumir um tinto pesado e alcóolico em dia de sol a pino não é das atividades mais prazerosas. No entanto, brancos leves e espumantes vão muito bem com altas temperaturas, à beira da piscina ou na praia, servidos bem gelados.

Inspirado pela experiência do consumo italiano de vinhos no verão, costume que existe até os dias de hoje, não há motivos para não provar os agradáveis espumantes proseccos (provenientes também do Vêneto) e os brancos da uva Sauvignon Blanc (chileno é uma boa opção), sempre leves, refrescantes e fáceis de encontrar por aqui.

vinho-adega-2

Então, deixo meu entusiasmado convite para que você se aproprie do estilo do verão italiano, mas, à moda tucuju. Bom fim de semana!

 

  • Caro amigo, Bogea. Fico muito lendo seu artigo. Vc me levou de volta à minha região Veneto, onde vinho não é apenas uma bebida mas sim cultura. Onde os mais velhos ensinavam aos jovens que haviam vinhos para o inverno, primavera, verão e outono, a famosa ” quattro stagioni” del mio coregionale A. Vivaldi. Aprovo totalmente sua sugestão. Eu, como enologo formado na Itália, sempre defendi essa ideia do consumo de vinho branco aqui nessa região de calor intenso. Lembro dos verões em meu Vebeto, compartilhando as coisas boas da vida com pessoas queridas e saboreando um bom Verduzzo ou Tocay , no ” meriggiare” esperando o peixe grelhar. Grazie per avermi fatto ritornare al passato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *