Vão vendo

Foram mais de três milhões sacados na boca do caixa, segundo o Ministério Público.  Dinheiro de “convênio” entre uma entidade suspeita e a Prefeitura de Macapá, cuja divisão do dinheiro do convênio foi descoberta em uma agenda apreendida pela Polícia Federal na casa do Diretor – Financeiro da Associação Esportiva e Cultural Maracá, por ocasião da Operação Mãos Limpas.

Na lista da agenda, autoridades municipais, parentes, e outras categorias.

Os três milhões em recursos desviados, apenas em um convênio, dariam para recapear 10 quilômetros de ruas e avenidas em Macapá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *