Triste

* Heraldo Almeida. Radialista, apresentador do Programa o Canto da Amazônia. Agitador, apoiador e defensor da cultura amazônica.

Longe de mim atirar pedras em alguém, mas eu como um defensor da cultura desta terra, que é do conhecimento de todos, jamais poderia calar diante da realidade em que se encontra o terreno onde funcionava a Escola de Música Walquiria Lima, na esquina da Rua Eliezer Levy com a Rua Iracema Carvão Nunes (centro). A música não tem culpa e nem merece conviver com o que está acontecendo com esse lugar. Totalmente abandonado.
Com todo o respeito, mas garanto que os artistas de todos os segmentos da cultura tucuju e a comunidade em geral, comungam comigo deste mesmo sentimento de tristeza.
Por este lugar já passaram e foram formados grandes nomes da música amapaense e que, hoje, muitos estão brilhando pelos cantos do Brasil.
Portanto, vamos reivindicar o retorno desse rico espaço, em nome da música amapaense e dos alunos, que clamam por espaços para estudarem.
Mesmo sabendo que essa problemática é antiga, mas calar diante dos fatos, não vai resolver a situação. Vamos juntos reconquistar essa casa de formação educacional da música amapaense. VAMOS CUIDAR DO QUE É NOSSO COM RESPEITO, CARINHO E AMOR.

Walkiria_n

WalkiriaLima

Nota do Blog

Tenho esse sentimento de tristeza também em ver a Escola de Música Walquiria Lima, como espaço vazio. Um nada físico. Mas com uma alma que insiste em ficar lá sendo lembrada, esperando que as autoridades tomem a decisão de fazer instrumentos, notas, canções, ecoarem novamente lá de dentro.

Lembro o dia em que, criminosamente, o dono de uma empresa de construção e um engenheiro, bem conhecidos na sociedade amapaense, amanheceram o dia derrubando a Escola de Música, sorrateiramente.

Era o finalzinho do governo de Pedro Paulo, em 2010. E eles, com essa atitude, queriam garantir a obra pra eles, com medo que o novo governo não executasse o projeto do governo anterior, que sequer tinha começado.

A procuradora de Justiça do MP-AP, Clara Banha, quando soube que estavam derrubando, no inicio de uma manhã, ainda correu pra Escola pra tentar impedir. Mas era tarde. Já estava tudo no chão.

 

  • Isso pra mim foi um crime!!!! cresci vendo esse prédio e de repente uma mente brilhosa decide por em baixo…e nada acontece. Cadê a oposição, governo, etc

  • Eu fico pensando quem é mais incompetente, o governo anterior que derrubou a escola ou o atual que não faz nada para recuperá-la? A cultura no Amapá vive apenas de suspiros e surtos culturais. É uma pena o que fizeram.

  • Estudei na Escola de Música Walquíria Lima. Tempos bons em que fazia canto coral com a professora Edna, aulas de piano com a professora Socorro Benevides e percepção teoria musical com a professora Iracy Alcântara. Hoje quando passo em frente ao antigo Conservatório sinto um aperto de saudade e tristeza por ver aquele terreno abandonado a sua própria sorte. Por favor, governador Camilo reconstrua nossa Escola de Música!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *