TRE-AP determina que PM/AP faça segurança de todos os eventos públicos de campanha eleitoral

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) em Sessão Administrativa realizada nesta quarta-feira (15) determinou, por unanimidade, que a Polícia Militar do Estado (PM/AP) faça a seguranças em eventos partidários públicos eleitorais. A decisão foi tomada para manter a ordem pública e para que não ocorram ações violentas a nenhum candidato ou eleitor em comícios, caminhadas ou qualquer manifestação até o final da campanha eleitoral.

A decisão atende ao pedido formulado pela coligação Frente Popular a Favor do Amapá, protocolizada no TRE. A medida visa evitar excessos como o ocorrido nesta terça-feira, quando o governador do Amapá e candidato à reeleição, Camilo Capiberibe (PSB/AP) foi alvo de ameaças e agressões físicas e verbais em dois eventos: na saída de uma entrevista concedida à TV Amapá e quando se retirava de debate realizado pela Diocese de Macapá no Centro Diocesano das Pastorais e Cultura, na capital amapaense. .

O policiamento ostensivo estará presente em comícios, debates, caminhadas e garantirá a segurança dos dois concorrentes ao cargo de governador, e de todos os cidadãos que se fizerem presentes nestes eventos de campanha eleitoral. Desta forma, o TRE, com o apoio da PM, assegura não só a integridade física de todos os envolvidos, como também mantém o equilíbrio e a isonomia na disputa.

Para tanto, os candidatos concorrentes ao segundo turno ou suas coligações deverão comunicar previamente o Comando da Polícia Militar do Estado quanto aos locais e horários em que serão realizados os eventos, para que a PM possa destacar o efetivo necessário para garantir a segurança.

A Procuradoria Regional Eleitoral do Amapá (PRE/AP) também se manifestou favoravelmente à implementação da medida da Justiça Eleitoral, que está em conformidade do que dispõe o art. 39 da Lei das Eleições.

Participaram da sessão os juízes Raimundo Vales (Presidente), Agostino Silvério Junior (Vice-presidente/Corregedor), Lívia Perez, Elayne Cantuária, Marconi Pimenta, Vicente Gomes e Fábio Garcia. Também presente o procurador regional eleitoral, Dr. Paulo Santiago.

Serviço:

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá

Assessoria de Comunicação e Marketing

Elton Tavares

  • Decisão corretíssima do TRE/AP, já que a disputa eleitoral do Amapá deste ano está ultrapassando todos os limites da razoabilidade, e o que fizeram com o Governador Camilo Capiberibe na Terça-Feira (14/10/14) pode-se afirmar que foi um atentado ao Regime Democrático que tanto lutamos por ele. Muita calma nessa hora, já que o povo amapaense com certeza reelegerá o atual Governador, e não adianta nada atos de vandalismo dessa natureza dos adversários, já que ninguém se intimidará, pelo contrário, darão ainda mais força à aguerrida militância do PSB/AP.
    Abs. Matta.

  • ACHO QUE A ATITUDE DO TRE ESTA CERTA.MAS TEMOS QUE OBSERVAR QUE A MILITANCIA DO PSB SE TRATANDO DE PARTIDO BAIXO QUANDO SE TRATA DE ETICA POLITICA, TEMOS QUE ESPERAR DE TUDO. DEVIDO AO FATO OCORRIDO NA ELEIÇÃO DE 2010 QUANDO UM MILITANTE DISPAROU UM TIRO CONTRA OUTRO MILITANTE DE LUCAS BARRETO. ISSO É FATO

  • Isso é o descontentamento do povo com o atual Governo que não honra seu compromissos, massacrando professores, vigilantes e funcionários da UDE. Esses últimos têm sentido na carne a falta de seus salários em dia, por causa de um governo cujo lema é: Dinheiro tem, falta gestão”.

  • Infelizmente os professores fingem que esqueceram da greve de 2004 no governo do WALDEZ,os professores acampados em frente do palacio há vários dias solicitando aumento no salário e o Sr Waldez chamou o BOPE para retira-los dali e o CORPO DE BOMBEIROS para lavar a rua em frente ao palácio porque estava uma imundice.Poxa e hoje os PROFESSORES caarregam esse cidadão no colo inclusive o PRESIDENTE DO SINSEPEAP.BRINCADEIRA NÉ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *