Sobre a retirada dos ônibus no final do último dia da Expofeira

Governo, PMM e Setap, soltaram notas. Tirem suas conclusões.

Esta que vos escreve acha que foi uma tremenda irresponsabilidade das empresas de ônibus, que devem ser exemplarmente punidas. E investigadas.

Nota do Setap

Vandalismo, esfaqueamento de cobrador e falta de segurança marcaram a temporada da Expofeira para as empresas de ônibus

Um cobrador esfaqueado, um motorista agredido a tapas e dezenas de veículos depredados com assentos arrancados e vidros quebrados. Esse foi o saldo da 50ª Expofeira para as empresas que atuaram no transporte coletivo.

A situação mais crítica aconteceu nos dois últimos dias do evento. O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap) e a Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac) chegaram a alertar a coordenação do evento dos problemas enfrentados no estacionamento destinado aos ônibus: falta de segurança, falta de abrigos e banheiros e a necessidade de uma guarnição permanente no local.

No domingo, 6, por volta das 21h, o Setap, prevendo o pior, acionou o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, que coordenou o trânsito do evento e pediu apoio. O oficial da área disse que não podia fazer nada pois a prioridade era a área interna da feira.

Por volta da meia-noite de domingo começaram os problemas. Pessoas embriagadas queriam a todo custo subir nos ônibus, mesmo após a lotação do veículo. Sem segurança e temendo pela integridade física, inclusive dos demais passageiros, os motoristas suspenderam a entrada no estacionamento por volta das 2h de segunda-feira.

O Setap reconhece o esforço da CTMac em organizar o trânsito e a segurança do tráfego mas infelizmente o órgão não fez parte da comissão que organizou o evento, como ocorria todos os anos. Além dos ônibus, táxis e mototaxis também tiveram problemas e relataram casos de agressão e depredação.

Nota de Esclarecimento do Governo do Amapá

Considerando os transtornos causados à população amapaense na madrugada desta segunda-feira, 7, com a retirada prematura de circulação dos ônibus que faziam o transporte coletivo na 50ª Expofeira Agropecuária do Amapá, o Governo do Estado vem prestar os seguintes esclarecimentos:

1) A competência de regular e fiscalizar os serviços de transporte coletivos municipais, caso das linhas que fazem a rota até o Distrito da Fazendinha, onde se localiza o Parque de Exposições do Amapá, é do município de Macapá, através da Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac).

2) Já as operadoras dessas linhas são representadas pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado do Amapá (Setap), que tranquilizava a população antes do início da Expofeira, como pode ser observado em matéria veiculada no seu sitio de internet no último dia 26/09/2013. Nessa notícia, o Setap informava que estava reforçando sua frota, pois, dos 156 ônibus em circulação, 120 estavam destinados a atender ao evento.

3) A Coordenação Geral da Expofeira, bem como o Comando Geral da Polícia Militar do Amapá, não foram informados pela CTMac e tampouco pelo Setap de que haveria retirada de circulação desses ônibus antes do previsto, como ocorreu na madrugada do encerramento da Expofeira.

4) Essa medida unilateral prejudicou gravemente o interesse público, colocando em risco a segurança das famílias que foram prestigiar esse grande evento, que só foi realizado após exaustivo processo de planejamento.

5) Considerando os impactos negativos observados, serão tomadas providências no sentido de apuração dos fatos para responsabilizar e punir os responsáveis em virtude também de terem incorridos no artigo 262 do Código Penal Brasileiro, por impedirem o funcionamento do meio de transporte.

6) Informa ainda que a 50ª Expofeira Agropecuária do Amapá bateu todos os recordes de público ao longo de sua história, sem o registro de nenhuma ocorrência de natureza grave, posto que contou com uma média de 290 policiais militares por noite, bem como o apoio de policiais civis e guardas municipais atuando em diversas frentes no interior e em todo o perímetro do evento.

7) Por fim, o Governo do Amapá se solidariza com a população e garante que todas as medidas serão tomadas para evitar que situações dessa natureza voltem a se repetir.

Nota de esclarecimento da PMM

A Prefeitura Municipal de Macapá esclarece à população sobre os fatos ocorridos neste fim de semana, que causaram transtornos aos passageiros de ônibus que frequentaram a Expofeira. A Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá (CTMac) classifica como injustificável e irresponsável a atitude das empresas de ônibus de Macapá.

O ato se assemelha a uma sabotagem com o intuito direto de prejudicar, deixando pais de famílias, jovens e crianças sem transporte público para retornar a casa, obrigando-os a voltarem a pé por todo o percurso da rodovia JK. A ação deliberada pelas empresas comprova-se, pois sequer informaram a Companhia, que estaria à disposição para intermediar junto à comissão organizadora da Expofeira qualquer problema, mas que jamais compactuaria com a tal atitude descabida e impensada.

Desde o início da Expofeira Agropecuária do Amapá 2013, a Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá determinou, através de Ordem de Serviço nº 034/2013, que fosse disponível linhas exclusivas para o evento, e estas deveriam permanecer do início ao término da feira, além de garantir a fiscalização em ação conjunta com o Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTrans).

As empresas de transporte alegam que na madrugada de sábado, 5, com a grande quantidade de pessoas no estacionamento do transporte coletivo do evento e a lentidão do trânsito no local, alguns vândalos depredaram os ônibus. No domingo, justificando a falta de segurança, as empresas decidiram unilateralmente suspender os serviços deixando milhares de pessoas sem transporte público. A CTMac não foi consultada sobre a decisão e entende que medidas poderiam ser tomadas, mas jamais compactua com essa atitude.

A Companhia multou as empresas de transporte público de Macapá e registrou um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil (nº do BO – 201301404161). Nesta terça-feira, 8, às 11h, a CTMac irá representar junto ao Ministério Público Estadual, para a devida apuração da responsabilidade referente ao caso. Por fim, a Prefeitura de Macapá lamenta o ocorrido e informa à população que num prazo máximo de 30 dias irá antecipar a licitação no transporte público municipal.

Asscom Prefeitura Municipal de Macapá

 

  • Minha humilde opinião: A grande verdade é q o sistema está falido. Em todo grande evento é no carnaval, no círio, na expofeira, acontece
    isso a quantidade de ônibus é insuficiente sempre, a demora , super lotação é que gera tumulto.Agora nesse caso específico pra mim houve boicote do SETAP, nada justifica a retirada dos ônibus se havia tumulto,baderna,retarda a saída espera polícia chegar pra organizar, mas jamais deixar a população sem o transporte. O que houve foi uma ação planejada pra manchar a organização da feira que foi um sucesso!

  • Na minha opinião o poder municipal deve aplicar multa pesada. Esse ato caracteriza terrorismo, pois expôs a vida de cidadãos ao perigo .

  • Não dá pra acreditar no SETAP, sem dúvida alguma uma das instituições mais desacreditadas do Estado, senão a mais.
    Alcione

  • Menas expofeiras, menos SETAPS da vida, mais denuncias de corrupção, mais jazz, bossa nova e gente bonita pelo amor de Deus..amém

  • Em anos anteriores diziam que a Expofeira era um fracasso, que não dava ninguém, que dava prejuizo e coisa e tal.
    Agora em 2013, eu acredito firmemente, que com o grande sucesso de gente na Expofeira, a oposição só teve uma carta na manga que foi usar o boicote dos ônibus para prejudicar o governador Camilo e o prefeito Clécio de outro jeito não tem justificativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *