Sobre a falsa polêmica com o Santo

A polêmica Tucuju, com pouco embasamento técnico ou histórico, salvo raras exceções, fez com que a ACIA recuasse e não mais doasse uma nova e maior imagem de São José para a frente da cidade.

Vamos à algumas reflexões aqui pelo espaço democrático do blog.

Uma imagem maior do São José ia ficar bacana na frente da cidade, sim. Desde que seja uma escultura bem feita, como acho que é. ( Lembrando da estátua do Cabralzinho da Praça Veiga Cabral). (Os braços são desproporcionais).

Também gostei da ideia, anunciada pela secretaria das Cidades, de construir uma passarela do Trapiche Eliezer Levy até o Santo. Para contemplação e orações.

A discussão era pelo fato da imagem ser histórica .

Acredito que a imagem do São José na Pedra do Guindaste tem grande valor como escultura, arte. Foi feita pelo sr Costa, que tem algumas belas esculturas no Amapá, como os leões da OAB.

Não questiono o valor histórico, apesar de não haver nenhum tombamento. E deixo o espaço aberto para os que tem mais conhecimento e dados.

Fato que a imagem não é tão antiga assim. A foto abaixo, mostra jovens amapaenses na década de 60, na antiga Pedra do Guindaste, ainda sem o São José. O jovem de braços abertos é o senador Capiberibe.

E me afirmaram que antes desse São José, teve outro, que ficava iluminado, fluorescente.

A Pedra do Guindaste não mais existe. Foi derrubada por um barco e em seu lugar foi construída aquela base de concreto, bem feia por sinal. Então, se resolverem mudar o Santo, deveriam aproveitar e mudar a base. Quem sabe uma rocha, no lugar do concreto.

O erro da ACIA e da Diocese talvez tenha sido, não ter inicialmente procurado discutir a ideia com a sociedade. Ouvindo argumentos prós e contras, técnicos e históricos. E o debate ter mais informações, e menos politização.

Tomara coloquem o São José de 3 metros, com uma rocha bem linda, em outro ponto da orla.  E sim. Dentro do Rio também.

Em tempo. Alguns entendidos e contra a mudança da imagem, sugerem  que o Santão que está sendo esculpido seja colocado na Fortaleza de São José.

Ali não pode, amigos. A Fortaleza é tombada.

Confesso que estava gostando bem dessa ideia de uma imagem maior na orla do rio mais belo, com uma passarela levando pessoas daqui e turistas, aos pés do santo, caminhando por cima do rio.

E este blog, desde sempre defende, resgata e divulga a história do Amapá.

 

 

O Bispo D. Pedro Conti, com o empresário Altair Pereira, da ACIA, e a escultura que está sendo feita do São José.

  • A soma do Amapá e seu pensamento “coletivo” é a matemática do atraso.

    Fico pensando se os altos cargos não percebem a cidade se deteriorando, tantas obras paradas há tempos e ninguém escreve um papel ou se indigna (Trapiches TODOS; Parque do Forte; o Arremedo e Restaurantes no que se transformou a Praça Beira-Rio; o Hospital Metropolitano; O sambódromo; o Prédio do TCE atrás dos Zerão; TUDO É UMA PIADA.

    Os próprios Amapaenses transforam TODOS OS LAGOS e RESSACAS em GRANDES FAVELAS.

    Os próprios Amapaenses já colecionam, pelo menos, 02 lixeiras viciadas em cada bairro (inclusive nos mais abastados e centrais).

    Os Amapaenses não conhecem as regras básicas de trânsito.

    E ficam TODOS aguardando um EVENTO MÁGICO ARREBATADOR, que será o dia da unificação das parcelas do pagamento dos Servidores. Aí sim… tudo se resolverá……

  • Boa tarde, e porque não colocar essa nova imagem, em outro ponto da cidade, como por exemplo, a frente do complexo do Jandiá, dentro do Rio Amazonas. Já que um dos objetivos da nova escultura, seria o incremento do Turismo Religioso, serviria para dar aquele lugar, um pouco de mobilidade e visibilidade, através de um trabalho de urbanização e revitalização, também.

  • Aí mesmo na orla tem lugares bem interessantes para colocar essa nova estátua de S. José! Penas alguns não concordaram, mas é sempre assim quem nunca faz nada, sempre critica quem faz!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *