Shoes Love

Da Coluna From, de Luis Melo, no Diário do Amapá

Sapataria


Ex-prefeito JH, enfim, confessou seu lado vaidoso: mantém uma coleção de pelo menos cento e vinte pares de sapatos —e todos eles revistados, um a um, pela PF, durante Operação Pororoca.
Aliás, hoje, menos dez deles que alega já haver consumido no atual caça ao voto.
Anteontem, quando visitou o colunista no DA.

Nota do Blog – Será, meu Deus, que a coleção de sapatos João Henrique ganhou a da deputada Mira Rocha?

Mulheres! Vamos nos unir! Não podemos permitir, jamais, que uma coleção de sapatos de homem ganhe de uma mulher.

Da minha ele já ganhou. Ah..João..

lv-sapatos

  • Ahahahahah! gostei! O meu marido é que não compreende porque tenho tantos sapatos. Nem eu, às vezes. Afinal, qdo gosto de um so coloco aquele. Parece como faço com as bolsas.

  • Pode ganhar a coleção de sapatos da Mira Rocha mas certamente não ganha a coleção natural de cafonices da deputada santanense. É que na etiqueta, como na vida, vale o princípio: o elegante se veste, o rico se enfeita e o pobre se cobre.

  • O mesmo zelo responsabilidade e carinho pelos seus sapatos o sr. João Henrique deveria ter demonstrado quando foi gestor da Prefeitura de Macapá. Pena que deixou a cidade de Macapá abandonada e com um déficit de serviços públicos muito grande. Não é à toa que o sr. Roberto Góes não tá fazendo nada e tá com um índice de aceitação razoável. Em grande parte fruto de seu descaso(sr. Jõao Henrique) com os reclamos da população.

    Sabem como destruir, fazer buracos e crateras numa cidade sem jogar uma bomba? não chamem o Bin Laden. Chamem o sr. João Henrique.

  • Alcilene, gostaria muito de pedir pelo amor de Deus que você inicie em seu blog uma campanha para que as pessoas respeitem o sossego alheio. Será que é tão difícil escutar música sem atrapalhar o descanso dos outros? Gente, nós já chegamos no século XXI e Macapá, nesse aspecto, continua na idade da pedra. É inadimisssível uma coisa dessas. Você já percebeu que tem gente que coloca caixa amplificada em frente de suas casas, chamam os amigos (nada contra, pois todos tem o direito de se divertir) e ficam ali muitas vezes o o dia todo com aquele som nas alturas. Este final de semana teve uma festa na Mendonça Furtado, perto da transportadora Itaquá; tocaram tecno a madrugada inteira de sábado p domingo, até 6h30 da manhã, e pronto. Por favor, você que é uma pessoa consciente, poderia sugerir a alguém cristão do MP para iniciar uma campanha educativa nas escolas, pedir aos jornalistas desta cidade que façam alguma coisa para minimizar esse problema. Falta civilidade às pessoas que agem assim. Não é justo que cidadãos de bem, trabalhadores que passam a semana interira ocupados, deixem de descansar tranquilamente nos finais de semana por causa de uma minoria que desrespeita todos os limites da boa convivência.
    Muito obrigado

    • Meu Amigo(a) Amapaense, entendo pefeitamente sua situação eu ja passei por isso, na epoca andei pesquizando em varios estados brasileiros existem leis municipais referente a perturbação do sossego, quem sabe uma campanha nao acorda os senhores vereadores ou deputados para criarem leis para punir quem nao respeita a lei do silencio. mas aqui em macapa isto e dificil acontecer, perturbação do sossego so perde para assalto em registros de ocorrencia nos ciosps da vida.

  • “”Todos os anos, em abril, é celebrado o “Dia Internacional da Conscientização Sobre o Ruído”, para destacar o impacto do ruído nas nossas vidas cotidianas, proporcionando aos participantes uma pausa e uma oportunidade de conscientização sobre esse problema que atinge todos nós.

    Junte-se a essa iniciativa e divulgue o International Noise Awareness Day (INAD) em sua comunidade: promova eventos na sua empresa, bairro ou escola e ajude-nos a fazer dele, um grande evento também aqui no Brasil.
    PARE COM ESSE BARULHO!”””

  • Tente fazer uma eenquete para saber quem é a favor e contra esse tipo de atitude. Vamos ver se o que os cidadãos amapaenses acham desse problema. Muito obrigado

  • existem tantos assuntos importantes a serem tratados em Macapá como por exemplo: A VIOLÊNCIA, por que perder tempo com os sapatos de João Henrique ou de Mira Rocha?quanta futilidade.

  • Acho muito bacana alguém escrever sobre isso. Olha se no centro da cidade já tem esse problema, imagina nos bairros mais afastados…. Já passou da hora de haver uma mobilização sobre esse assunto.

  • A poluição sonora é um problema ambiental e também de educação. Tem que ter fiscalização, para coibir esta prática absurda que a gente se depara a todo momento em Macapá. Isso não pode ser visto como algo “cultural”. Deveria ser expressamente proibido perturbar o sossego público com ruídos e sons excessivos. O que dizem as autoridaedes no assunto? Ru digo: Barulho NÃO!

  • João já consumiu 10 pares de sapato e 10 caixas de cachaça, em busca do voto. Assim eu também vou …

  • olha que de sapato eu entendo muito,esse aí……….vamos respeitar!!!!! égua não…éguuuaaaa……….rsrs

  • è noss IMELDA POROROCA.
    Muleke, que enquanto a JH dá uma de Imelda(filipina, anda de sandália(japonesa).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *