Sevilha: a síntese perfeita da Espanha

* Aline Monteiro. Blog O Mundo por Aline

Ah, Sevilha! A quarta maior cidade da Espanha e capital da Andaluzia, uma das maiores regiões do país, é considerada o principal polo cultural e financeiro do Sul do país, mas apesar disso ainda guarda aquele arzinho gostoso de lugar do interior.

Foi eleita no fim do ano passado, pelo guia de viagens Lonely Planet, como a melhor cidade para viajar em 2018 e não é difícil entender as razões para tanto!

Ela é autêntica, histórica e vibrante e é ainda a representação daquilo que o mundo imagina sobre a cultura espanhola: touradas, siesta, flamenco e tapas!️

O Flamenco, por exemplo, surgiu nessa região, da mistura de tradições ciganas, árabes e judaicas. Hoje em dia é uma das maiores expressões culturais do povo espanhol. Esse canto, essa dança fascinante tá por lá na tv, rádio, casas de espetáculos (tablaos) e nas ruas.

Já a tauromaquia (a tradição das touradas) é uma das paixões de Sevilha, que é a terra de famosos toureiros.

Da mesma forma, a arte de comer tapas, essas pequenas porções do paraíso e que muito bem sintetizam a gastronomia desse país, nasceu nesse pedacinho espanhol.

Lotada de ruas estreitas e labirínticas (que são tomadas de laranjeiras, outro grande símbolo andaluz), a cidade tem muitos monumentos históricos e prédios antigos super bem conservados. Sua arquitetura reflete as marcas do seu passado.

Fundada pelos romanos, Sevilha progrediu durante a época em que era dominada pelos árabes, quando maravilhas como o Real Alcázar, a Torre del Oro e a Giralda (torre da Catedral) foram construídas, e viveu seu esplendor com o descobrimento da América por Cristóvão Colombo e o monopólio da coroa espanhola sobre as colônias, já que virou o principal porto de onde partiam e chegavam os navios que iam até o Novo Mundo e que voltaram carregados das riquezas de lá (principalmente ouro e prata). Dessa época são a imponente Catedral, o prédio do atual Arquivo das Índias (antiga Casa de Contratação) e muitas das inúmeras igrejas da cidade. Já a estonteante Plaza de España, apesar de parecer bem antiga, só foi construída muito depois desse período, em 1929.

Mas Sevilha tem suas modernidades também… O Metrosol Parasol, a Ponte de Alamillo (obra do genial Santiago Calatrava, o mesmo do Museu do Amanhã do Rio de Janeiro), a Ponte de la Barqueta, os pavilhões da Expo 92 e a Torre Sevilha estão por lá para provar isso!

Se estiver programando uma viagem para a Espanha não deixe de incluir Sevilha no seu roteiro. Garanto que você não irá se arrepender!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *