Sessão às escondidas

A Assembléia Legislativa, surpreendentemente e rapidamente, fez sessão na tarde dessa terça-feira para aprovar a Lei Orçamentária Estadual.

Sem imprensa, sem povo e sem sociedade civil organizada, a Casa do Povo, de portões trancados, aprovou a lei orçamentária que define como dinheiro público vai ser investido no ano de 2013.

Apenas digo que os deputados aprovaram para a Assembleia Legislativa (eles mesmos) um orçamento de 156 milhões. E para o Ministério Público, 124 milhões.

Tirem suas conclusões sobre os custos de cada um.

Ê Amapá!

  • Essa atitude foi um atentado a democracia. Os deputados mostraram que o que importa para eles é se apropriar do dinheiro do cidadão amapaense. Só posso ter nojo desses pseudos representantes do povo.

  • Aí quando somos noticia nacional no Fantástico os que tem a “mao melada” pela ALAP dizem que por aqui so noticiamos coisa ruim. Aí vem a Polícia Federal leva um bocado deles, o MP afasta o Presidente e Tesoureiro e essa turma ainda faz pose de gestores PROBOS. É o fim! Por essas e outras da ALAP a gente tem vergonha do nosso EStado e dá vontade de ir embora daqui. Fico envergonhado!

  • Lene,
    Permita-me mudar de assunto para fazer um comentário que, talvez,até de uma forma inviesada, chega ao assunto postado. É que estamos à véspera de mais um pleito para eleger o Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção do Amapá, juntamente com sua diretoria, membros do Conselho Seccional e representante junto ao Conselho Federal, que acontece nesta sexta-feira (30/11/12), mas, contrastando com as eleições anteriores, esta não despertou a atenção da sociedade amapaense, não interessando senão apenas a classe dos advogados. Esse fato deve gerar o questionamento do por que de a Ordem não mais despertar o interesse da sociedade. Não teria a Ordem, levada pela grade que colocou em frente a sua sede, também se fechado para as questões de interesse sociais, omitindo de seu dever de “defender a Constituição, a ordem jurídica do estado democrático de direito, os direitos humanos, a justiça social, e pugnar pela boa aplicação das leis, pela rápida administração da justiça e pelo aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas”? Fica o questionamento aos advogados e advogadas e à sociedade.
    Evaldy Motta – OAB/AP 027

  • MEUS AMIGOS O QUE É MAS IMPORTANTE O MP QUE TEM SERVIÇOS NOS 16 MUNICÍPIOS OU AL QUE SÓ TEM UM PRÉDIO NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ E QUE TODO ANO PASSA POR REFORMA E NUNCA TERMINA. É UM ABSURDO O VALOR QUE É REPASSADO A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO AMAPÁ. ESTÁ NA HORA DO NOSSO POVO RENOVAR DE VEZ ESSA ASSEMBLEIA, MAS COM ESSE MOTANTE E COM A MISÉRIA DO NOSSO POVO É QUASE IMPOSSÍVEL. ELES TEM CAPITAL PARA CAMPANHA RIQUISSIMAS.

  • A pergunta que fica no ar é: “o que pode ser feito?”. O Executivo, o Ministério Público e o Judiciário, essas instituições que prestam relevantes serviços ao Estado e à sociedade amapaense é que precisam manter seus orçamentos em níveis que possibilitem a continuidade de seus serviços. Eles justificam à população seus orçamentos com os serviços que prestam. A AL não tem como comprovar a necessidade de tamanho orçamento, isso prejudica o Estado do Amapá e demonstra a falta de compromisso ou preocupação com o povo amapaense. O Estado do Amapá está um LIXO, mas para fazer tal constatação não basta apenas circular pelo centro da cidade ou pelos locais turísticos (dimensão pequena e pouco expressiva do Estado), mas por todos os bairros e as inúmeras invasões que se instalaram na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *