Referência nacional em Direitos Humanos, Juiz do trabalho do Amapá, Jônatas Andrade, é requisitado pela ministra Rosa Weber para atuar no CNJ

O Juiz do Trabalho do TRT-8 (Pará e Amapá), Jônatas Andrade, foi requisitado pelo CNJ – Conselho Nacional de Justiça, e compõe a equipe da ministra Rosa Weber que assumiu a presidência do STF e CNJ, nesta segunda-feira,12.09.22.

Jônatas Andrade e a ministra Rosa Weber, na posse do STF, hoje

Com raízes e família no Amapá, Jônatas atua desde de 2019 em Macapá. Em agosto, ele renunciou à presidência da Amatra 8 – Associação dos Magistrados Trabalhistas da 8ª Região  para assumir o cargo de Juiz Auxiliar da Presidência do Conselho Nacional de Justiça.

O magistrado é uma referência nacional em Direitos Humanos, inclusive premiado, e também reconhecido no combate ao trabalho escravo na Amazônia.

No Amapá, apesar de logo depois de ter assumido a jurisdição, ter iniciado a pandemia, Jônatas implantou trabalhos importantes como a “Justiça do Trabalho Itinerante”, que vai aos municípios e localidades do estado inteiro, atender as demandas trabalhistas da população.

Além do atendimento, essas ações estão gerando outros resultados a longo prazo, como um projeto que juntas várias instituições de tecnologia, locais e nacionais, em busca de soluções para os problemas da água potável no arquipélago do Bailique. Em outra ação,  juntou várias instituições para colaborar, ajudar a destravar destravar e acelerar a pavimentação do trecho da BR-156 que vai ao município do Oiapoque.

Bem no inicio da pandemia, Jônatas juntou jornalistas, servidores e parceiros, em uma campanha pelo uso de máscaras, pela confecção de máscaras e distribuição no meio da população mais carente, quando ainda não se encontravam máscaras suficientes no mercado e quando se começou a descobrir que era fundamental para evitar a propagação do vírus da COVID. A campanha viralizou e extrapolou para outros estados da Amazonia e depois para o Brasil.

No “Apagão” que atingiu o Amapá em novembro de 2020, Jônatas mobilizou a Justiça do Trabalho no Brasil inteiro, para conseguir doações de água e cestas básicas à população mais carente do Amapá. Materiais que foram trazidos ao Amapá em articulação e parceria com as companhias aéreas e também em avião da Fab.

Por essas e muitas outras atuações do magistrado, a ministra Rosa Weber estará muito bem assessorada. Ela escolheu sua equipe de juizes auxiliares utilizando critérios como: magistrados das várias especialidades da Justiça (Federal, Trabalhista, Estadual), presença de várias regiões do Brasil, expertise em diversos cargos e funções, diversidade cultural e igualdade de gênero.

Importante destacar que a juíza federal amapaense, Lívia Peres, que já atua como juíza auxiliar na presidência do CNJ, desde 2018, permanece na equipe de Rosa Weber.

 

  • De minha parte cabe muito orgulho por se tratar de um operador da justiça com muita capacidade e comprometimento e por outro lado por ser o primeiro sobrinho de muitos e muitos outros, parabéns Dotor Jonatas e ao Amapá que pôde oferecer um profissional desse padrão.

  • Não há dúvidas de que a Ministra Rosa Weber está bem assessorada. O Juiz Jonatas Andrade é tarimbado na lida em prol de uma Justiça mais equânime e mais perto dos jurisdicionados.

    Meus parabéns à Ministra Rosa Weber pela escolha!

  • Dr. Jônatas, parabéns e MUITO sucesso nesse novo desafio! Que Deus o conduza para fazer um bom trabalho e continue com essa humildade e disposição para continuar fazendo tão bem a tantas pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *