Quem tem medinho fica fora da brincadeira

Esse blog é sério, divertido, bacana, legal e democrático.

Mas é um espaço informal. Não tenho, nem quero ter, pelo menos por enquanto, nenhuma linha comercial com ele. É uma ferramenta de comunicação, onde compartilho informações, opiniões minhas é de outros colaboradores que ninguém é obrigado a concordar, e algumas coisas que gosto como cultura, imagens e outras que acho que os leitores vão gostar. Dentro de um estilo próprio para blog.

Os visitantes têm de maneira totalmente livre, o espaço de comentários para discordar, concordar, acrescentar, criticar, ou postar uma informação nova.

Mas, pessoal, vamos manter a serenidade, o respeito e o recato.

Ando muito ocupada e só consigo moderar comentários a noite. E tenho que excluir alguns muito ácidos, rancorosos ou que anonimamente fazem denuncias que não sei se são verdadeiras.

Já disse aqui outra vez que a interatividade é a alma democrática do blog e que o pseudônimo é uma tentação para ofender desnecessariamente no debate que pode ser democrático e adequado. Não que todos que usam pseudônimos, utilizem a prática da ofensa. Alguns usam pra ser engraçadinhos e isso também é legal. Mais outros por covardia mesmo, para detonar, sem precisar mostrar a cara.

Então vamos acertar o seguinte: Quem tem medinho de se identificar fica fora da brincadeira, ok?

E vamos pilotando junto, que o blog é de todos que interagem por dentro dele.

  • Gostei do seu desabafo, Lene.
    A liberdade de expressão que os blogs proporcionam não pode ser manchada pelos que se escondem em pseudônimos para destilar ódio.
    Não estou falando daqueles que não podem se identificar para não serem perseguidos, para os quais o apelido se justifica. Falo dos que sujam a caixa de comentários com xingamentos e etc, que em nada contribuem nem com o debate e nem com a democracia da blogsfera.

  • “Liberdade de Expressão!” …Claro que não concordo com o anonimato para post agressivo, Mas: Quem fala o que quer ouve o que não quer, ou seja, a verdade. Nem sempre quando há xingamento, não se tem argumentos suficiente para mudar a opinião dos outros, Pois “Pau que nasce torto, morre torto” ae meu irmão nem dizendo pro cara que ele é lindo vai faze-lo mudar de idéia!

  • Concordo com a Alcilene, tem cara que tem medo de se identificar, pô tú não é macho? Assume o que tu escreve aqui, meu.

  • Só aqui no amapá que esse tipo de coisa é cobrada.As pessoas que se identificam em sua maioria não colaboram sociedade.O anonimato tem contribuido para as investigações que estão em curso tanto no MPE,MPF,RF e PF.É assim que funciona,se nós tivessemos certeza e comprovante das bandalheiras com o roubo do dinheiro público,ninguem iria comentar em Blog e sim encaminhar para a Policia.Geralmente as pessoas que se identificam é só para eleogiar, inclusive bandidos.

    • Tá com medinho, né Obama? Força macho. Ou então faz teu comentário num nível adequado. Pronto.

    • Pô Obama, tu és teimoso. Para com isso. Só vive pegando “ralho” meu!!! Se vc vai continuar, vai no IPEM para medir o nível dos teus comentários. kkkkkkkkkkkk

  • O anonimato é parece a intriga, o fuxico. Por mais absurda que seja a informação prestada pelo autor anônimo, fica um pouquinho da maldade a que se propõe.

  • Tô com vc Alcilene!

    Primeiro que é complicado levar a sério quem não assina o que falo. Segundo, a muito que a política deixou de ser coisa de cabra-macho, é mais do que ter coragem! E coisa pra quem tem argumentos e sabe viver na diversidade. Opinião política é coisa séria!

  • Alguém leu o texto do delegado Claudionor, no Diário Oficial, ops, digo… Diário do Amapá hoje? A blogguer poderia posta-lo.

      • Como vai?
        Sou Estudante de teologia. todos os dias procuro acompanhar os artigos bloguistas, bem saber que é uma fonte de informação. Todas as fontes de informações apresentadas como medelos é as características de quem á escreve. Resta, por tanto, cada leitor avaliar. Não acredito na fala “” quando não tem informação crítica, não consegue avaliar””,. Todo animal tem limites, sejam racionais ou não, o Homem ou a Mulher não é diferente. Os limites da crítica é ate aonde a pessoa quer enxergar, depois, simplesmente não quer v.
        Por fim, é bom mostrar o q temos e somos capazes

  • O exercício da liberdade de pensamento e de opinião também exige o cumprimento do dever de verdade.
    Ter uma posição não é um problema em sí. O que é preciso evitar é que uma posição seja ela política ou qualquer outra torne-se um pretexto para a covardia.
    Por outro lado, ninguém descreve ou comenta os fatos a partir do Olimpo, distante do bem e do mal. As vezes o blog exagera na dose. É o mau exemplo servindo de exemplo. Ação que leva a reações.
    Cometer erros, imprecisões, faz parte da vida, mas posições extremadas só servem às vezes para autorizar o mau caratismo.
    Aí não adianta chorar. É como foi dito: não sabe brincar não brinca.

    • Hãhã… Mas esse blog nao tem posiçoes extremadas. É até bem meiguinho. Vocês é que nao estao acostumados com algumas críticas ou com a publicaçao de fatos como denuncia de desvios de 200 milhões, como se não fosse notícia. E tem uma coisa querido. Eu assino o que escrevo. É isso.

        • é né? agora imagina.. o que é alguns blogs perto de toda a puxação de saco da midia geral? ela não é extrema quando morrem 26 crianças em um curto tempo na maternidade e 90% se calam? coloque numa balança aí e veja quem sai ganhando!

  • o problema é que tem gente que nao sabe o que diz, o pior de tudo… ficar nas sombras ou na escuridao é ate comum do sistema, por exemplo, o voto secreto nas assembleias e camaras deveriam ser abolido, ja que dizem que vivemos numa democracia, democracia nenhuma. que seja anonimo, mas que nao fale absurdos…

  • Professor Chelala! O Amapá precsa de gente com honrra. È precso identificar a honrra, exatamete, quando o quarto é escuro. A honrra inibida, o Homem ou a Mulher simplismente não existem.

  • ….só não vale acabar o jogo porque a o/a dono da bola não sabe jogar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.