Promotoria da Saúde constata condições precárias no HCA e cobra respostas da SESA

Em visita ao Hospital da Criança e do Adolescente (HCA), realizada na última quinta-feira (12), a Promotoria de Defesa da Saúde constatou graves problemas na unidade hospitalar, em especial falta de antibióticos e outros medicamentos e insumos.

Segundo conversas com os servidores e pacientes, o hospital não dispõe do básico pra funcionar, como seringas, equipo, além da ausência de exames laboratoriais complexos, exames de imagem dentre outros graves problemas.

A falta de antibióticos é o mais grave, pois os médicos não tem como tratar os pacientes, que são obrigados a comprar do próprio bolso tudo que as crianças precisam para o tratamento, relata o promotor de Justiça André Araújo.

Até a única Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica do Estado está se recusando a receber pacientes por total falta de condições de atender as crianças, a menos que os pais arquem com os medicamentos necessários aos tratamentos.

O promotor destacou que, desde 2017, há duas ações judiciais em andamento na 4ª Vara Cível de Macapá para melhorias do PAI/HCA, sem que nada de efetivo seja feito para obrigar o Estado a melhorar as condições da unidade.

A promotoria oficiou à SESA, na última sexta-feira (13), com prazo de 5 dias para que esclareça os motivos para o grave desabastecimento de medicamentos e outros problemas crônicos do HCA.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá

Contato: (96) 3198-1616

E-mail: [email protected]

 

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá

Contato: (96) 3198-1616

E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *