Professores da rede estadual reclamam do SIGEDUC no ensino remoto. “As vídeos aulas pelo Facebook funcionavam melhor”

Recebi esse post de um professor, pelo link Você Repórter. 

“Em maio foram publicadas as primeiras orientações sobre o ensino remoto ( não confundir com ensino à distância).

A maioria das escolas teve autonomia para escolher os canais que lhe conviessem.

O Facebook, por ser tão popular foi a ferramenta mais usada. Alunos e professores já estão familiarizados com a rede e as vídeo aulas caíram no gosto de todos.

Em agosto veio nova orientação e canal  adotado passou a ser o Sigeduc, que é uma plataforma utilizada pela seed.

O sigeduc além de ter um modelo antiquado, é de difícil acesso pelo celular,  mesmo para professores não apresenta alguma facilidade de navegação.

O resultado é : aulas vazias, conteúdos espremidos, pais aflitos e alunos perdendo o gosto pelos estudos, visto que a escola passou a falar uma linguagem completamente estranha a deles.

A maioria dos estudantes da rede pública do Amapá é de baixa renda e diante desse cenário, poucos conseguem sentar-se à mesa do banquete do conhecimento, colocando a escola no papel que ela ocupou no início da colonização do Brasil, quando estudar não era coisa pra pobre”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *