Primeiro caso de influenza H1N1 é confirmado no Amapá

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou nesta segunda-feira, 4, o primeiro caso de 2016, da gripe H1N1 no Amapá. A vítima é um bebê de oito meses. O laudo foi assinado pelo Instituto Evandro Chagas (IEC). Em março, dois casos estavam sendo acompanhados pela Coordenação de Vigilância em Saúde (CVS), e o Instituto Evandro Chagas confirmou um. O outro foi diagnosticado como pneumonia.
A Vigilância está acompanhando outro caso suspeito de um médico cubano de 42 anos que deu entrada no Hospital de Clínicas Alberto Lima na tarde de domingo, 3. Ele chegou de Cuba há uma semana, onde passava férias. A suspeita só poderá ser confirmada após a chegada do resultado de exame que foi solicitado hoje, 4, ao IEC.
Ao contrário do que ocorria em outros anos, os Estados interessados já podem começar a imunizar grupos considerados mais vulneráveis antes da campanha nacional, que terá início em 30 de abril, indo até 20 de maio.
 Assim que o imunizante começar a chegar nos Estados, a vacinação já poderá ser feita, a critério de cada governo. O Ministério da Saúde começou na sexta-feira, 1, a enviar aos estados a vacina contra a gripe.
A prioridade na vacinação será dada para grupos de risco, ou seja, para idosos, pessoas com doenças pulmonares ou problemas cardíacos e gestantes. A Vigilância em Saúde volta a alertar a população para que, além da vacinação, sejam adotados métodos de prevenção para evitar a infecção com medidas de higiene.
Saiba como evitar a infecção por H1N1:
1. Lavar as mãos frequentemente.
2. Evitar, na medida do possível, tocar no rosto com as mãos.
3. Fazer gargarejos com água morna contendo sal de cozinha duas vezes por dia, sobretudo quando esteve em contato com outras pessoas, ou quando chegar em casa. Os gargarejos feitos regularmente podem prevenir a proliferação do vírus.
4. Ao menos uma vez por dia, à noite, por exemplo, limpar as narinas com a água morna e sal. Assoar o nariz com vigor, e, em seguida, com um cotonete (ou um pouco de algodão) mergulhado numa solução de água morna com sal, passar nas duas narinas. Este é um outro método eficaz para diminuir a propagação do vírus.
5. Reforçar o sistema imunológico ingerindo alimentos ricos em vitamina C. Se a vitamina C for tomada sob a forma de pastilhas ou comprimidos, assegurar-se de que contém Zinco, a fim de acelerar a absorção.
6. Beber tanto quanto possível bebidas quentes (chás, café, infusões etc.). As bebidas quentes limpam a garganta dos vírus que ali ficam depositados. Com a ingestão de bebidas quentes, esses vírus são levados ao estômago onde não conseguem sobreviver, devido o pH local ser ácido, o que também evita sua proliferação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *