• Depois de tanto tempo posso dizer que fico feliz por ver uma imagem do meu querido e muito saudoso Amapá.
    Moro atualmente em Porto Alegre-RS e não aguento mais ver e ouvir coisas ruins sobre nossa terra.
    Infelizmente toda vez que entramos em “rede nacional” é alguma coisa vexatória.
    Boa sorte aos conterrâneos.

  • Amigo conterrâneo,fique por lá que por aqui a coisa está preta.Já venderam a Estrada de Ferro por R$ 1,00(hum real),não temos mais aeroporto,saúde,educação,aqui se mata 10 a cada fim de semana,a policia não tem combustível,aqui o governador montou um Trem da Alegria que ele mesmo não consegue pagar.Dê um tempo,estamos alegre porque está acabando a bandalheira.

  • Em complemento ao comentário, concordo que á melhor você ficar aí pelos pampas poorque é trilegal.
    Por aqui surgiu um tal de gronegóci como forma de invadiram nosso cerrado, cercaram para plantar soja, deu no inicio, depois a vassourinha de botão acabou com as colheitadeiras mecanicas e a vaca foi pro brejo.
    Chegou um senhor do Maranhão chamado Sarney que toda vez que vem a Macapá 02 vez ao ano, o nosso aeroporto do tempo do Janari fica pequeno, são centenas de adoradores na fila para fazer o patético beija mão.
    Não volte compadre fique por aí o nosso Estado fica cada dia mais pobre.
    As Rádios pela manhã dedicam 02 horas para elogiar o governo e enganar o povo.
    Só a linda natureza para nos fazer feliz como esta da foto.

  • Na realidade é uma linda foto. Parabens ao seu autor.
    Eu fico pensando o que passa por trás das câmeras do fotógrafo que é a beira rio, que antigamente era o quebra-mar.
    Acredito que faz 10 anos que existe cercas e tablados em frente a nossa cidade anunciando reformas, revitalização, adaptações e não sei mais o quê.
    Quando chega a noite aparece de tudo, meninos e meninas mendigando, vendedores de drogas, papudinhos, tudo que é tipo de GLS, putas, quengas, gente do povo e namorados, tudo fazendo um cenário só de uma grande tristeza, daquilo que um dia foi a nossa frente da cidade, provinciana e bucólica, era a “cidade jóia”.

  • ‎”Senhor, no silêncio deste dia que amanhece, venho pedir-Te força, sabedoria, paz. Quero olhar hoje o mundo com olhos cheios de amor; ser paciente, compreensivo, justo, equilibrado; quero ver, além das aparências, Teus filhos, como Tu os vês, e assim só ver o bem em cada um. Cerra meus ouvidos a toda a calúnia, guarda minha língua de toda a maldade. Que só de concórdia viva o meu espírito. Seja eu tão bom e alegre que todos quantos se achegarem a mim sintam a Tua presença. Reveste-me interiormente de Tua beleza, Senhor, e no decurso deste dia eu Te revele a todos. Amém.”
    À Alcineia dona do Blog e ao fotografo meus parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *