Por um estilo de vida amiga do coração: dia mundial de conscientização das doenças cardiovasculares

Dr. Dirceu Melo. Foto: acervo Clínica Salève.

Com o objetivo de conscientizar a população sobre os riscos das doenças cardiovasculares e a importância de hábitos saudáveis, o Dia Mundial do Coração, celebrado no dia 29 de setembro, foi criado para alertar sobre as pessoas das doenças relacionadas ao coração, principal causa de morte no mundo, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS).

Em entrevista ao Café Com Notícia na noite de terça-feira (29), o médico cardiologista e diretor técnico do Hospital do Coração de Campinas (HCOR), Dr. Dirceu Melo, explicou a relevância da data para a área da saúde. “A nossa principal meta é combater os fatores de risco que levam ao adoecimento do coração. Existem os fatores mais comuns, como a diabetes, pressão alta, obesidade, sedentarismo, mas têm outras que às vezes não levamos tanto e conta, como a apnéia do sono, o uso do cigarro que é extremamente nocivo para a saúde do coração. Nos últimos meses meses, nos acostumamos a acompanhar diariamente os dados referentes às mortes diárias por Covid-19. Por dia, 430 morrem por conta do cigarro no Brasil, e isso há décadas. Uma pandemia paralela”, disse ele. 

O médico ainda desmistificou a crença de que doenças cardiovasculares se manifestam apenas na terceira idade, e pontuou que casos de infarto e derrame têm se tornado cada dia mais comuns entre jovens de 35 e 40 anos.  . À respeito disso, ele pontua a importância do acompanhamento regular.  “Os exames mais importantes para a prevenção de doenças do coração são as dosagens do nível de açúcar no sangue e de colesterol, além de aferir a pressão arterial pelo menos uma vez ao ano. Uma dieta amiga do coração é uma dieta com carnes magras, com ingestão de água, legumes e afins. Não adianta só tomar remédio, porque ele é só uma parte do tratamento. Mas entender a atividade física e alimentação saudável como pilares disso.”

Com a pandemia do novo Coronavírus, os serviços de saúde se voltaram, majoritariamente, para o combate e prevenção dessa doença, comprometendo os acompanhamentos regulares de pacientes acometidos por doenças crônicas. Adepto dos recursos de Telemedicina disponíveis nas plataformas digitais, Dirceu Melo esclareceu sobre a eficácia do método de atendimento virtual. “Muitos pacientes perderam consultas, deixaram de fazer acompanhamento médico, tiveram receitas vencidas que não foram renovadas. E isso significa uma piora das doenças crônicas. A telemedicina surgiu como uma solução para esse problema, porque a gente consegue, através de plataformas de telemedicina, dar assistência aos pacientes, ouvi-los, direcionar o tratamento e medicá-los por meio de uma prescrição digital, reduzindo os efeitos colaterais da pandemia.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *