Política – Ainda estão rolando os dados. E a deputada Marcivânia pode ser candidata a prefeita de Santana

Lutar em defesa da vida tem sido a prioridade de líderes (nem todos) e cidadãos desde que fomos abatidos pela pandemia do Coronavírus.

Não há outro jeito, é preciso sobreviver e reaprender a viver. O tempo está passando, as dúvidas aumentam, mas uma coisa é certa: vamos ter que encontrar caminhos para as nossas cidades nesse novo mundo pós-pandemia. Os desafios são enormes e, aos poucos, a gente começa a pensar no futuro, mesmo cientes de que estamos longe de vencer essa guerra e que, não há futuro sem sobrevivência agora. Mas, na minha perspectiva otimista e esperançosa, o que sabemos mesmo é que não podemos desistir. E mais, temos que resistir.

Não sabemos quando e nem como, mas é certo que em breve teremos que escolher prefeitos e prefeitas para as nossas cidades. Antes da pandemia, havia um quadro mais ou menos desenhado, mas o cenário vem mudando muito.

Um exemplo é Santana. Por lá, pré-candidaturas – até então consolidadas – acabaram ficando no caminho e uma improvável candidatura da deputada federal Marcivânia Flexa (PC do B) está surgindo.

Marcivânia está bem na Câmara dos Deputados, com destaque na Presidência da Comissão de Trabalho, uma das mais importantes da Câmara Federal e em tantas outras frentes, e não deve ser uma decisão fácil ter que encarar nesse momento uma disputa em Santana, que, como sabemos, costuma ser muito tensa. Lembrando que Marcivânia perdeu uma disputa à prefeitura de Santana, em um dos maiores fake news eleitorais do Amapá: o do “dinheiro no motel”.

Fácil não será, nesse momento, optar por uma disputa eleitoral para governar cidades. Estou usando o exemplo da Marcivânia, mas serve para todos os pré-candidatos ou pessoas interessadas em disputar as eleições municipais. É preciso saber que viveremos os dias mais difíceis da nossa história, com grave crise econômica e social. É preciso ter isso muito claro e a população certamente vai buscar essas respostas em seus candidatos. Do mesmo jeito, que em breve saberá-deverá analisar como foi o comportamento das lideranças durante os dias difíceis da pandemia.

Afinal, qual o seu legado? O que você está fazendo para mitigar os danos dessa pandemia? Como socorrer os mais vulneráveis? Como criar perspectivas? Seja quem for, prefeito ou prefeita, o trabalho vai ser árduo nas cidades. É preciso muita disposição para trocar posições políticas ( até mais confortáveis ) para se dedicar 24 horas a uma cidade. Sim, porque o bom gestor ou gestora ( se quiser merecer esse título ) vai precisa mergulhar nos problemas da cidade e da população, inovar e buscar novas e melhores soluções.

Voltando para Santana, a disputa, como sempre, promete ser forte. Com a saída da disputa do secretário de Fazenda, Josenildo Abrantes, que deve apoiar Marcivânia( a suplência dela é do PDT), o quadro eleitoral tem o prefeito Offirney Sadala, o ex-senador Bala Rocha, que tem apoio do presidente do senado, Davi Alcolumbre, e o surgimento do nome de Marcivânia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *