Pessoal do Meio do Mundo traz o turismólogo Sandro Belo

Blog retoma série de entrevistas maneiras, tão curtidas pelos leitores.

O mestre turismólogo Sandro Belo, 36 anos, atua no mercado ‪há 13‬ anos, com experiências de gestão no primeiro escalão, tanto do município quanto do estado, na pasta de turismo, e coordenador regional do MTur. Atualmente ocupa funções como consultor ou executivo em entidades ligadas ao turismo e à gastronomia. Recentemente Foi premiado na maior feira de turismo da América Latina – a ABAV Expo Internacional de Turismo, com o Prêmio ABBTUR 2017 Mérito & Talento, como um dos maiores profissionais do setor de turismo no país.

– O que é a cara de Macapá: O Marabaixo, o camarão no bafo, a praça Veiga Cabral, o balneário da Fazendinha.

– Qual a boa do fim de semana: Os inúmeros balneários do entorno de Macapá, com gastronomia, banhos, música alegre e o bate papo entre amigos.

– Um referência no Amapá – É inegável o poder de transformação que a política representa em uma sociedade. Apesar de vista com maus olhos nos últimos tempos, ela pode modificar a vida de todos num curto espaço de tempo. Sendo Assim, considero o ex governador e atual senador da república, João Alberto Capiberibe e o senador da república Randolfe Rodrigues dois gênios do Amapá!

– Um bairro – Bairro do Laguinho, onde cresci e assimilei o que é ser amapaense!


– Trilha sonora da minha vida A Bossa Nova de Tom Jobim, João Gilberto e outros.

– O jeito de ser do povo daqui: feliz em meio às riquezas e adversidades!

– Artes e artistas – As telas de Wagner Ribeiro; as fotos de Floriano Lima e Manoel Raimundo; os versos e melodias de Osmar Júnior, Zé Miguel, Amadeu Cavalcante e outros; o tempero da Dona Socorro; o artesanato Maraca e Cunani do seu José Vicente, de Mazagão; e as frases e versos de Alcinéa Cavalcante.

– Um lugar de ontem e um de hoje: De ontem, Sambariri (bar e restaurante que pertenceu a nossa família da década de 90.

– Um projeto pra melhorar a vida aqui: Um projeto de valorização da identidade cultural amapaense com ressonâncias sociais, ambientais e econômicas, aos moldes do “I Love You New York”, implantado naquela cidade quando a mesma era considerada uma das mais violentas do mundo!
P.s – Entrevista feita por Lilian Monteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *