Pessoal do contrato reclama

Uma lei estadual, dos tempos de Annibal Barcellos, primeiro governador eleito do Amapá, determina que servidores do Estado cumpram expediente corrido das 7h30 às 13h30, ficando expediente duplo para os ocupantes de cargos comissionados e servidores da União a serviço do Estado. Esta lei não vem sendo respeitada no atual governo, em relação aos empregados do contrato temporário. Na maioria das secretarias, eles são obrigados a trabalhar em dois horários (8h/12h e 14h/18).

  • Estimada Alcilene!
    Não é lei e sim decreto, não há também
    desrespeito a legislação, ocorre que o dec. nº 001/91 na época estabeleu horário de 6 horas em função do racionamento de energia,entretanto,o horário de trabalho dos contratados temporariamente é determinado pelo termo de contrato, pactuado pelo próprio contratado,que de regra são 40 horas semanais, excetuados os contratos 20 horas em casos específicos nas áreas de educação e saúde.

  • Sou funcionário público CONCURSADO há 15 anos e trabalho numa escalA de 12×24 de folga e 12×48 de folga,somando trabalho mais 40 horas semanais, não vejo nem um absurdo nessa carga horária de trabalho o governador está certo.

  • Sou totalmente contra quem assina contrato de 40hs semanais, seja servidor do estado ou comissionado, trabalhar só 20hs, já que todos recebem no final do mês o valor referente a 40hs semanais. Isso acontece muito aqui no estado, servidores que só pensam no próprio bolso, n querem nem saber se fulano ou sicrano vão precisar de seus serviços à tarde, deu meio dia estão aguniados p ir embora, ou até antes. Se eu fosse o governador reveria essa questão de horário, tem secretaria que é uma verdadeira baderna, cada um entra e sai a hora que bem entende.Quem paga por isso são aqueles que realmente trabalham e cumprem seus horários tendo q fazer o trabalho dos q foram “descansar” mais cedo, ou ir p outro emprego, coisa q pra mim é inadmissível.

  • E por causa dessa “gracinha”que pegou, tem instituições como a SEPLAN que é melhor vc aguentar sem ir ao banheiro, pois quando volta, algum “contratado” ou melhor, “apadrinhado” sentou no seu lugar. Jesus! toma conta!

  • Serviço/servidor público é para servir ao público. Mas, como o público só precisa de serviços administrativos até às 13 horas …

  • Meu caro Mauríoio, acredito que a “confusão” se estabelece por não se ter noticia que o tal decreto tenha sido revogado.

  • Meu caro Maurício, acredito que a “confusao” tenha se estabelecido pela nao revogação do decreto. Ou ele foi revogado? Seria bom esclarecer, pois aí acabariam as “queixas”.

  • Concordo plenamente com o DINECO. Tem secretarias que as 11 hrs já findou o expediente, e os poucos que ali estão quando chega alguém que precisa de algum atendimento ou informação, eles fazem a maior cara feia. Isso e um absurdo!
    Perfeito, tem mesmo e que cumprir as 40 hs.

  • Cara Alcilene, parece que nessa você se deu mal.
    Aqui no Amapá quem tem um empreguinho tem que agradecer a Deus.
    Quem me dera eu tivesse um contratinho desse para não fazer quase nada e receber tudo no final do mês.
    Estou a procura de um empreguinho desses, me diga onde o pessoal reclama.

  • O expediente do povo estável do Estado é de 6horas, mas o que ocorre no dia-a-dia é bem diferente, tomamos como exemplo órgãos como o IMAP, o expediente deveria ser das 07h30 até 13h30, mas vão lá 8h30 da manhã ve os gatos pingados de servidores que estão por lá, ai vão também 13h e ver quantos ainda tem, e ainda enrolam um tãtãooo para produzirem, e a maioria por lá está em estágio probatório. Está na hora dos gestores serem mais rigidos, o carinha vem de fora, faz concurso aqui, beleza, mas ai não querer trabalhar, só enrolar e ainda por cima no estágio probatório, só aqui no Amapá mesmo. TEM QUE TRABALHAREM!!!! no minimo ao final desse estágio probatório eles terão mil motivos para serem REPROVADOS!!! ACORDEM E TRABALHEM!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *