Pesquisadores e instituições Científicas do Amapá, produzindo e buscando soluções tecnológicas para insumos. #coronaVirus

O secretário estadual de Ciência e Tecnologia, professor-doutor Rafael Pontes Lima, articulador da Rede Integrada de Pesquisa do Amapá, tem anunciado boas novas na áreas, com inovação e soluções para insumos de prevenção e tratamento ao coronavírus.

Laboratórios científicos das universidades Estadual (Ueap) e Federal (Unifap) e a farmácia do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa) iniciaram um trabalho de produção intensiva de álcool em gel 70%.

Todo o insumo será destinado às redes estaduais e municipais de saúde. Com a expectativa de confecção de 300 litros por dia, o serviço que iniciou na segunda-feira, 1º, pretende alcançar a meta de 12 a 15 mil litros até julho.

Colaboram na atividade de produção pesquisadores e técnicos da Rede Integrada de Pesquisa do Amapá (Ripap), além de acadêmicos e ex-alunos (bolsistas e voluntários) da Ueap e Unifap.

O Governo do Amapá destinou R$ 150 mil à Ueap para a compra de matéria-prima que será utilizada na produção. A quantidade a ser produzida dependerá da formulação a ser utilizada e da disponibilidade de insumos no mercado nacional.

Ripap

A Rede Integrada de Pesquisa do Amapá é composta pelas seguintes instituições:

  • Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec)
  • Iepa
  • Ueap
  • Unifap
  • Embrapa Amapá
  • Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS)
  • Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amapá (Fapeap)
  • Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai)
  • Sebrae no Amapá

 

Além da produção de álcool em gel, a Rede está trabalhando na produção de EPIs para profissionais de saúde e testando a produção de respiradores artificias.

Reconhecimento aos pesquisadores, servidores públicos

É bom destacar isso. E eu destaco com orgulho.

São servidores públicos da áreas de pesquisa e desenvolvimento das instituições estaduais e federais do Amapá, que também estão na linha de frente em defesa da vida, gerando soluções. E buscando inovações à distância, pelo teletrabalho, com outras redes de pesquisa para produção no estado.

E vem mais coisas por ai, que também já estão sendo produzidas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *