PEC 111 aprovada. Agora vai ao senado

A Proposta é de autoria da deputada Dalva Figueiredo (PT/AP), e contou com o apoio da bancada parlamentar. A  Proposta de Emenda à Constituição (PEC 111) foi aprovada na noite desta quarta, 23, pela Câmara dos Deputados, com 357 votos favoráveis, um contrário e duas abstenções.

Para aprovar a PEC foi necessário unir toda a bancada de parlamentares do Amapá e de Roraima. O governador Camilo Capiberibe e o prefeito de Macapá Clécio Luiz também foram a Brasília ajudar na articulação para a aprovação da PEC.

Servidores estaduais e municipais lotaram a Câmara dos deputados durante a votação.

A PEC 111 permite que servidores efetivos do estado e dos municípios admitidos entre outubro de 1988 e outubro de 1993, sejam incorpora à União.

“A PEC é a reparação de uma injustiça histórica com os servidores dos ex-territórios de Amapá e Roraima. A aprovação permitirá a esses servidores, admitidos entre sua transformação em estado e sua efetiva instalação (outubro de 1993), optarem por fazer parte do quadro da administração federal”, disse o prefeito Clécio Luís.

PEC

Deputada Dalva, com a bancada do Amapá e Roraima, o governador Camilo e o prefeito de Macapá, Clécio Luiz

  • Mais um “trem da alegria”, em benefício de interesses eleitoreiros de deputados amapaenses e em prejuízo do resto da população contribuinte brasileira…

    • Mateus, passar os servidores do estado e dos muncipios para a união, diminui o peso da folha do governo e das prefeituras, e não pesa quase nada na folha da união. SE Rondônia foi contemplado, Amapá e Roraima tem que lutar pelos mesmos direitos..

      • É, tem que diminuir mesmo o peso da folha do governo! Assim sobra mais dinheiro pra pagar as diárias e as cotas parlamentares dos deputados estaduais, as extravagâncias de conselheiros do TCE e as mordomias das “residências oficiais”. Pra corrupção sobra alguma coisa? Nããão!!! Isso não acontece por aqui…

  • Muito Importante a aprovação dessa PEC tanto para o nosso Estado e Prefeitura, quanto principalmente, para os funcionários. Pena que agora “todos” querem tirar proveito dessa aprovação. Mais quando era para ajudar os responsáveis pelo sindicato nessa luta com pelo menos passagens, não aparecia muita gente pra ajudar.

  • Os barnabés desses Ex-Territórios estão mais é que de parabéns. Nós, sindicalistas, tivemos participações fundamentais mendigando cotidianamente juntos aos parlamentares que sabiamente compraram nossas lutas e souberam reconhecer os valorosos servidores que tanto trabalharam e ainda trabalham em pról de os atuais Estados da Regi8ão Norte brasileira, que , agora sim, desde que tenham a aprovação no Senado Federal e, evidentemente, os senadores saberão reconhecer tão importante aprovação dos deputados Federal.

    Tenho absoluta certeza que os servidores, agora, estão mais felizes com as quase infinitas lutas realizadas por todos os Sindicatos regionais, CUT e CONDSEF, e com o apoio maciço de nossos parlamentares, houve, enfim: uma MAIÚSCULA VITÓRIA DOS NOSSOS SERVIDORES.

    A LUTA CONTINUA!

    Tadeu Pelaes
    Sindicalista do SINDSEP/AP.

  • Os servidores do extinto Território Federal do Amapá, que era uma “autarquia” federal, são servidores federais. Os servidores dos municípios, que eram “órgãos” daquela “autarquia”, não podem ser servidores federais? Naquela época, a CF88 não existia. E mais, quem paga os barnabés municipais são os municípios, não o estado.

  • Este “Sim” é o Tadeu Pelaes q conheço: FALOU TUDO e eu assino embaixo rsrsrsrs.
    Abs. Matta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *