• Ouvi o programa hoje, está muito bom. É uma prova de que o jornalismo no Amapá não precisa de impostura exacerbada para existir.

  • Agora pouco (09:25h) ouvi, através do programa de rádio “feira livre” do radialista Heraldo Trindade, uma breve fala de agradecimento do jornalista Paulo Silva, onde agradecia ao referido radialista os quase 07 (sete) anos em que trabalhou naquela emissora de rádio. Durante a entrevista, proferiu frases interessantes como: …”SAIO DAQUI SEM TER DO QUE ME ENVERGONHAR…”…”SAIO DAQUI COM A CERTEZA DO DEVER CUMPRIDO…”…”A AMIZADE PERMANEÇE…”.
    Espero que este importante jornalista do Estado continue sua jornada de sucesso,conforme citado pela maioria daqueles que conheçem seu trabalho, pautado na insenção, credibilidade, experiência e seriedade, para o bem da liberdade e da democracia.

  • Boa sorte paulão,empreste sua competência e credibilidade a este programa em que você atuará. Como amante da comunicação pelo Rádio, a partir de segunda-feira, vou me dividir entre ouvir a CBN e a sua boa informação.

  • Acho até que Paulão durou muito! Era pra ter saído há mais tempo. Era claro que o convívio ali já não era harmonico, muito antes da entrada de Olimpio Guarani. Agora só falta “acabar o ar” de Humberto Moreira, pena que este é mergulhador e sua apineia é considerável. Mas ele sabe que “rio que tem piranha jacaré nada de costa…”

  • Paulo,estarei aguardando a estréia do programa na 2ª feira.Foi a melhor coisa que você já fez em 2009.Deixa os Carlos Lobato e o Olimpio Guarani fazerem o programa juntos que eles se entendem.Os dois são do mesmo ninho, aquele que acabou com o estado.

  • Um comunicador/jornalista que tem uma extensa biografia dedicada à comunicação na Amazônia. Seu perfil de atuação e sua ética como profissional são incompatíveis com algumas figuras que exercem a comunicação de maneira arrogante e irresponsável, fazendo dos meios de comunicação intrumento de barganha e interesses escusos. Condenável àqueles que, ao conpartilharem uma mesa de jornalismo, se acham no direito de “humilharem” e “cercearem” a palavra aos próprios colegas de profissão. O jornalista Paulo Silva viu seu horizonte encurtado e suas opiniões cerceadas por alguem que não possui qualquer legitimidade para fazê-lo. Tal cidadão não possui ética jornalistica; tal cidadão faz da imprensa um instrumento de achincalhe e extorsão aos seus adversários; tal cidadão vive se prostituindo para ganhar apóio para sí e seus interesses, seja na imprensa, seja na música; tal cidadão já foi pilhado em negócios escusos e nebulosos investigados pela PF; tal cidadão possui uma padrão de vida e patrimônio imcompatível com os seus ganhos que não vem da advocacia e nem da imprensa. Portanto, sr. Paulo Silva, sua saída é a saída da credibilidade, da altivez,da ética, do inegociável direito de ter opinião e de jamais se vergar a quem não tem postura diante do que faz. Paulo Silva, vá em frente, você nunca temeu desafios e uma de suas qualidades e do teu perfil é jamais se entregar ou se vender aos senhores de plantão e que, por momentos, estão no poder. Ditadores não foram apenas os militares nos anos de chumbo pelo qual passamos. Há, hoje, na imprensa local, ditadores civis travestidos de apresentadores-comunicadores-jornalista que se esmeram em comprar espaço para falar bem dos seus patrôes e achincalhar os adversários. Você tá saindo desse meio. PARABÉNS pela coragem. PARABÉNS por não se curvar a alguns sabujos e bajuladores de vida fácil(prostitutos da imprensa). Irei com você e te acompanharei nessa nova caminhada, cheia de desafios. As corredeiras dos rios, às vezes, são violentas e cheias de perigo, mas ao final sempre são mansas e trazem a bonança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *