Operação Guincho prende agentes e funcionários

O Ministério Público do Estado do Amapá, através da Promotoria de Investigações Cíveis e Criminais – PICC, com o apoio da Polícia Civil e da Polícia Militar, desencadeou na manhã desta terça feira, 5 de abril, a operação “Guincho”, para cumprimento de 13 mandados de prisão preventiva e 15 ordens de busca e apreensão, decretadas pelo juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Macapá.

A investigação, iniciada a partir do mês de março de 2015, após noticia apresentada na PICC pela Diretoria da CTMac,  dando conta de possíveis crimes ocorridos naquela autarquia municipal, tais como facilitação e liberação de veículos apreendidos do pátio da Companhia, mudança na capitulação de infrações de transporte irregular, liberação indevida de veículos apreendidos durante fiscalização fixa e móvel, extravio de autos de infração e furto do pátio da autarquia de peças de veículos particulares apreendidos.

Após meses de monitoramento e outras diligências, a investigação revelou a existência de uma organização criminosa formada especialmente por agentes de trânsito e outros servidores da CTMac que agiam em conluio com prestadores de serviços (“guincheiros”) da Companhia, causando prejuízo ao erário e incrementando dificuldades no trânsito da capital.

Houve prisão em flagrante e apreensão de vários documentos no cumprimento das ordens judiciais de busca.

Cerca de 60(sessenta) pessoas, entre promotores de justiça, delegados de polícia, agentes de polícia, oficiais de polícia, policiais militares e peritos participam da operação.

O promotor Flávio Cavalcante, da Promotoria de Investigações Civis e Criminais – PICC, disse que os vários tipos de crimes descobertos nas investigações mostram “Pessoas que a gente imagina que estão contribuindo para a organização do trânsito, estão na verdade andando na contramão, tumultuando o já sofrível trânsito de Macapá”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *