NOTA OFICIAL

GOVERNO DO AMAPÁ – NOTA OFICIAL

A reportagem “Fraudes no Amapá já desviaram pelo menos R$ 1 bilhão dos cofres públicos (9/10, A4)” fala do inquérito final da operação “Mãos Limpas” da Polícia Federal (PF) sem mencionar, em uma única linha, os nomes dos acusados pelo esquema de desvio de verbas públicas que se instalou no Estado do Amapá entre 2003 e 2010: o ex-governador Pedro Paulo Dias, candidato à reeleição em 2010, e o ex-governador e candidato a senador Waldez Góes, ambos detidos pela PF na ocasião e ambos ligados politicamente ao senador José Sarney (PMDB-AP).

Detalhista ao extremo ao descrever a operação da PF, a reportagem omite o fato de que o então candidato e atual governador Camilo Capiberibe foi o único dos candidatos a denunciar o esquema e a apoiar decididamente a ação da PF, inclusive pedindo o impeachment do governador Pedro Paulo.

Mais grave: a reportagem, fazendo ilações sobre a atuação de Camilo Capiberibe quando este era deputado estadual e sobre atividades públicas de alguns de seus parentes, induz o leitor a pensar que o governador fazia parte do esquema montado por seus adversários políticos, quando, na verdade, ele sempre esteve na linha de frente do combate a essas práticas e a seus representantes.

De acordo com a PF, o esquema desviava recursos da União que eram repassados à Secretaria de Educação do Estado do Amapá, provenientes do Fundeb e Fundef. A maioria dos contratos firmados pela Secretaria de Educação não respeitava as formalidades legais e beneficiava empresas previamente selecionadas. O mesmo esquema era executado em outros órgãos públicos – Tribunal de Contas do Estado, Assembleia Legislativa, Prefeitura de Macapá, Secretarias de Estado de Justiça e Segurança Pública, de Saúde, de Inclusão e Mobilização Social, de Desporto e Lazer e no Instituto de Administração Penitenciária. Todo esse esquema foi montado durante os governos de Waldez Góes e Pedro Paulo Dias.

As acusações sobre abusos supostamente cometidos pelo governador quando ele era deputado estadual devem ser investigadas – embora, é preciso ressaltar, não tenha havido nenhuma ilegalidade no uso de verbas da Assembleia Legislativa. Mas comparar esses supostos abusos com a gigantesca máquina de desvios e corrupção instalada no Estado do Amapá pelos aliados do senador José Sarney é ofender a inteligência do leitor, com o nítido objetivo eleitoreiro de confundir a opinião pública fazendo parecer que aqueles que sempre estiveram à frente do combate à corrupção também estariam envolvidos na operação “Mãos Limpas”.

 

  • Essa reportagem do Estadão faz uma leitura distorcida dos fatos para jogar o governador na mesma lama dos governantes anteriores. O que ou quem está por trás disso? Vale o esforço de todos para permitir que a verdade venha à tona.

    • Acho dificil que pessoas que faziam farra com o dinheiro público (passagens aéreas) e tinham parentes próximos (ao extremo) como acessores do principal acusado de cometer ilícitos não tenham culpa no cartório.
      Ademais um jornal como O Estadão não se prestaria ao papel que a nota tenta qualificar, melhor desqualificar a credibilidade dele!
      ESTAMOS DE OLHO.

      P.S. Farra de passagens ou nepotismo cruzado pode até não ser crime, mas é de uma imoralidade que não devemos permitir que tenhamos representantes deste nipe nem na assembléia de bairro.

        • Divirjo, Divino Mestre Barata, o Apolinário pode estar se referindo ao que eles fazem, ou seja, acessam aos cargos públicos sem exigência alguma e competência para ocupálo, destaca apenas o seu QI (QUEM INDICA). rs.
          Essa estória, me faz lembrar a observação que um Juiz fez ao velho professor de direito, seu amigo, querendo tirar um barato com sua cara. Mostrando-lhe uma petição, o juiz disse ao professor: Olhe como está o nível do ensino de Direito! O professor olhou e observou que o “advogado” havia iniciado sua petição com o seguinte escrito: “ESSELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ …” Aí o velho professor disse ao Juiz: Doutor, se ele está se referindo ao máximo de excelência, evidentemente que a escrita está incorreta. Porém se ele estiver se referindo o modo como os processos andam em sua vara, está correta a exordial!.

  • Ninguém é prefeito, digo perfeito. As eventuais faltas do Governador devem preocupar, principalmente a ele. Mas, nem de longe, podem ser comparadas às falcatruas do Executivo passado e dos outros poderes.

  • Sabe o que me impressiona? É que assim como a maioria das pessoas, ainda acreditamos (porque me incluo nesse meio), que há esperança para as questões políticas. Mas está cada vez mais difícil, me refiro a todo o país, não só no Amapá. Enfim, torço para que o Amapá faça a diferença, pois estive nessa terra em 2003 e fiz excelentes amizades, sem contar na maravilha culinária!

  • TARJA PRETA, LEIA COM ATENÇÃO: Neste último feriado do dia 12/10, em Aparecida/SP, durante o sermão proferido por Dom Odilo Pedro Sherer, Arcebispo de São Paulo, o mesmo afirmou “Quando não somos mais capazes de reagir e nos indignar diante da corrupção, é porque nosso senso ético também ficou corrompido.”
    Poderia ficar aqui tecendo loas ao povo amapaense. Dizer como são pacatos, amigos, companheiros, prestativos (desde que não estejam trabalhando!), apaixonados, tolerantes. O problema é que todas estas características, que em tese seriam muito positivas, são a ruína do Amapá. De forma geral o brasileiro é altamente inerte e passivo, mas o amapaense é um caso a ser estudado, tal é a indolência frente aos escandalos! É preciso que um jornal diário de grande circulação, do centro do País, estampe em capa dominical que já foram apurados o desvio de 1 bilhão de reais, repito, UM BILHÃO DE REAIS, e sabe o que o amapaense faz? Nada! Finge que não é aqui! Faz de conta que não é um absurdo inenarável! Em qualquer outro pais do primeiro mundo os acusados teriam se afastado do poder, devolvido o dinheiro com correção sem necessidade de investigação, pedido desculpas em rede nacional, alguns até se suicidado (como já ocorreu na Europa e no Japão!), e o povo? O povo estaria nas ruas, acamparia perante os órgãos envolvidos e diante das casas dos denunciados… E aqui no Amapá? Nada! Tal fato simplesmente parece que não existe! Um bilhão? Não é nada!
    Esse cidadão só pode ser oriundo das cavernas, onde as condições de vida são efetivamente difíceis, para achar que, e só vou ficar em alguns exemplos, andar em ruas esburacadas, com faixa de asfalto fajuto só no meio é o paraíso; que capim, mato, lixo e outras sujeiras ao longo do meio fio (onde existe!) em praticamente toda cidade é normal; que urubus se deliciando com restos e lixo em vários pontos da cidade (Buritizal e Praça do Coco, entre outros!) é foto de cartão postal; que veículos abandonados em ruas e obstruindo calçadas é direito adquirido; que pacientes sendo atendidos no piso do hospital é algum método inovador e revolucionário da medicina; que ter que viajar até Belém, ou mais longe, para se tratar é maravilhoso, pois é turismo; que a quantidade de acidentes de trânsito com sequêlas físicas é apenas o reflexo necessário do enriquecimento da população; que esperar mais de três horas na fila de um banco é passeio; que a falta absoluta de atuação dos órgãos de controle (TCE, MP, DPA, etc…) é pela sobrecarga de trabalho; que é motivo de orgulho haver um assalto a mão armada por dia, pois Macapá agora é uma metrópole…
    REAGE!!!!
    Diante das notícias veiculadas, não estas vendo que TODOS os deputados da legislatura passada e desta estão envolvidos? Que TODOS os Conselheiros do TCE estão envolvidos? Que TODOS os veículos de comunicação locais tem participação nisso?! Que a inércia do Ministério Público Estadual tem mais do que apenas excesso de trabalho?! Que determinadas decisões do judiciário, que você acha que são manipuladas, realmente o são?! Que TODOS os políticos, sejam da Harmonia ou da Desarmonia, tem como único objetivo o enriquecimento e a formação de caixa de campanha?! Que o Governo do Estado e a Prefeitura de Macapá, apesar das divergências públicas, atuam com o único objetivo de enriquecimento e formação de caixa para eleições?!
    Atenção, pessoas de bem não são mais candidatas a nada!! É impossível concorrer com a máquina ideológica dos partidos, com o jogo de interesses, não sejamos ingênuos!
    Quando a sua única reação é dizer: ” vamos votar consciente!” ou algo do tipo, você mesmo esta se enganando!
    REAGE!
    Só um movimento popular verdadeiro e voluntário, desatrelado de qualquer partido político, sindicato, associação, será capaz de, talvez, alterar os rumos da Jóia do Amazônia! (nestes dias o sentido da frase “dar pérolas aos porcos” faz mais sentido do que em qualquer época! – A Jóia esta com os porcos!)

Deixe um comentário para Adelmo Caxias Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *