Nota da ONG Transparência Amapá sobre julgamento da Operação Eclésia

Caro Cidadão,
​Amanhã, a partir das 9 horas haverá o segundo julgamento da chamada Operação Eclésia. Nessa ação são réus, entre outros, os ex-deputados Jorge Amanajás, e Eider Pena, além do deputado Moisés Souza.
​Segundo denúncia do Ministério Público do Estado, em janeiro/2011, a Assembleia Legislativa do Amapá “contratou” (sem processo, sem licitação e sem termo de contrato) a empresa MFX Ltda. Entre os dias 21 a 25 de janeiro de 2011, os então deputados Jorge Amanajás e Eider Pena realizaram 5 pagamentos em favor dessa empresa, no valor total de r$ 820.000,00.
​Os cheques foram depositados na conta corrente pessoal da sra. Ana Margarida Marques Fascio. Para tanto, os cheques foram endossados pelo sr. Edielson Pereira Nogueira, companheiro daquela senhora. À época dos fatos, essas duas pessoas eram assessores do deputado Moisés Souza.
​O sócio majoritário da empresa MFX Ltda. era o sr. Ary Guedes da Silva. O Ministério Público identificou que, no período de janeiro a março de 2010, esse senhor ocupou o cargo em comissão de Agente de Gabinete da Assembleia Legislativa. Do mesmo modo, no ano de 2010 e 2011, esse senhor foi empregado da empresa L.M.S. Vigilância e Segurança Privada, no cargo de vigia.
​Os fatos são contundentes em demonstrar como, na Assembleia Legislativa, o dinheiro do povo amapaense é desviado em favor de particulares. Por isso, a ONG Transparência Amapá convida você a participar desse julgamento, de forma a demonstrar nosso interesse pela sua realização e pela condenação dos acusados.

O julgamento será na sede do Tribunal de Justiça, em frente ao Palácio do Governo.

Transparência Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *