Nepotismo é Uó

Chegou em minhas mãos uma listona de parentes e aderentes de uma autoridade da prefeitura de Macapá que estão aboletados em cargos na PMM.

Na singela lista vieram os nomes de 37 parentes, num belo exemplo de distribuição de renda familiar, com dinheiro público.

Vou checar os nomes e os cargos para não cometer injustiça e depois conto aqui.

  • Arredonda prá 40, Alcilene. Deve ter uns 3 por lá que nem o bom de parente sabe que são. Tem uns até que não são mas dizem que são para não perder a boca. Tive pensando…, e acho que o pessoal que inventou esse negócio de NEPOTISMO fez isso porque não têm família grande, não gostam dos parentes e nunca estudaram a Lei de Darwin. E com certezaaaa são solteiros (não têm sogras nem cunhados). Cruz Credo!

  • quer justificar o nepotismo ana julia? ta na lei, entao que se cumpra, lei é lei! enquanto os agraciados pela sorte do parentesco mamam ate a ultima gota, o povo que votou e de fato elegeu padece nas filas, vilas e favelas como dizia caetano…

  • Prezada Alcilene, agora que voce recebeu essa listona de parentes da vice-prefeita Helena Guerra, voce tem de denunciar. Trata-se de nepotismo explicito.

  • O Prefeitinho Cassado 4 vezes,vai deixar a PMM do mesmo jeito que o o primo Waldez Góes vai deixar o governo.FALIDO,FALIDO.

  • Eu achava melhor esses parentes esturarem, e mudarem suas vidas, um dia a casa cai, politico não é eterno, eu acho incrivel como tem gente que passa anos nessa condição degradante e não faz nem uma faculdade. o TSE ta vindo ai, e quem pode dizer que o prefeito terminará seu mandanto?

  • Alcilene, o gabinete do dePUTAdo Ricardo Soares é uma verdadeira zorra de nepotismo, a família da mulher dele está toda lá.

  • Nepotismo é algo inaceitável nos dias de hoje, assim como receber salário indevidamente.
    Olha essa matéria do Correio Braziliense e Publicada no site do TSE

    “Enquanto direção do Congresso protela cumprimento de decisões judiciais, cofres públicos pagam salários a políticos que perderam mandato no Tribunal Superior Eleitoral

    Izabelle Torres
    Alana Rizzo

    A resistência dos presidentes da Câmara e do Senado em declarar a perda do mandato de parlamentares cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem impacto direto nos cofres públicos. Desde 2004, as seis cassações decretadas pela última instância da Justiça Eleitoral resultaram em uma conta de

    R$ 791,2 mil. Levantamento feito pelo Correio levou em consideração apenas os salários de parlamentares cujas condutas foram consideradas incompatíveis para continuar nos cargos para os quais foram eleitos. Na prática, enquanto as Mesas Diretoras do Congresso apelam para o corporativismo e protelam o cumprimento de decisões judiciais, políticos cassados recebem os salários normalmente e ainda usufruem dos penduricalhos concedidos aos parlamentares em exercício, como verba de gabinete e passagens áreas.

    A maior conta salarial feita por deputado cassado entre os casos apurados foi a da deputada Janete Capiberibe (PSB-AP). Em abril de 2004, a parlamentar e o marido, o ex-senador João Capiberibe, perderam os mandatos por decisão do TSE, acusados de comprar votos nas eleições de 2002. A Câmara, no entanto, oficializou a situação da deputada apenas em janeiro de 2006. Enquanto isso, ela continuou recorrendo e recebendo salário mensal de R$ 12.847, valor da época. A soma do período entre a decisão do TSE e a efetiva saída do cargo fez a deputada receber mais de R$ 269 mil de vencimentos. Janete é deputada atualmente, depois de ser eleita novamente em 2006.

    Com João Capiberibe a situação não foi diferente. Cassado no mesmo dia da esposa, o Senado oficializou a perda do seu mandato apenas em outubro de 2005. Durante esse período, conseguiu engordar a conta bancária em mais de R$ 256 mil. Capiberibe vai tentar voltar ao Senado na eleição do próximo ano.

    Os políticos que recebem salários mesmo depois de cassados pela Justiça Eleitoral ganharam no mês passado a proteção de um parecer do Tribunal de Contas da União (TCU). Ao responder a uma consulta formulada em 2008 pelo então presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), a Corte afirmou que os parlamentares que perdem os mandatos por decisão judicial e mesmo assim continuam ocupando suas funções eletivas porque as Mesas Diretoras não dão posse aos suplentes não devem ressarcir o erário.

    De acordo com o TCU, os parlamentares que permanecem nos cargos porque os presidentes da Câmara e do Senado não cumpriram a decisão da Justiça Eleitoral aguardando o julgamento de recursos estavam, teoricamente, cumprindo suas funções normalmente. O que lhes daria o direito de receber salários e usufruir também das verbas extras. Ou seja, na opinião do relator da consulta, ministro Benjamin Zymle, é possível supor que os cassados agiram de boa-fé ao receber os vencimentos, visto que, em tese, permaneceram trabalhando.

    “Se não houve culpa, exclusiva ou parcial, do parlamentar cassado em sua permanência no mandato mesmo após a decretação da Justiça Eleitoral, não há como se falar em o mesmo restituir ao erário os valores recebidos de boa-fé, até porque, em tese, permaneceu em suas atividades institucionais, o que afastaria o dever de ressarcir os subsídios recebidos enquanto a Câmara não declarasse a perda do mandato”, diz o voto do ministro.

    Suplentes
    O parecer do TCU encaminhado à presidência da Câmara dos Deputados em outubro também faz referências aos direitos dos suplentes desses políticos cassados. De acordo com o ministro Zymle, os substitutos de parlamentares cujos mandatos foram retirados pela Justiça devem começar a receber seus vencimentos a partir da posse, a não ser nos casos em que órgãos judiciais determinem outra data para a contagem do prazo, como a partir da diplomação, por exemplo.

    Foi o pedido de Brígido que levou Chinaglia a questionar o TCU sobre os direitos de suplentes e a garantia de que os políticos cassados podem embolsar vencimentos recebidos entre o dia da cassação pelo TSE e a saída do cargo. (IT)

    Críticas
    A morosidade das Mesas Diretoras para cumprir as decisões do TSE tem irritado até os ministros do STF. Em diversas ocasiões, os integrantes da Corte ressaltam a independência da Justiça Eleitoral. No final da sessão da última quinta-feira, os ministros disseram ter estranhado a ameaça de Expedito de entrar com um recurso administrativo no Senado para tentar permanecer no cargo, mesmo depois de o próprio STF ter confirmado a cassação.
    Para o ministro Marco Aurélio, a demora do Senado em cumprir a decisão foi desnecessária, por ter gerado um clima de instabilidade institucional sem uma justificativa plausível. “Que tomemos esse incidente como exemplar para avançarmos culturalmente e para que isso não se repita. É preciso respeitar as decisões da Justiça”, destacou.

    Os custos de cada um
    Confira alguns exemplos de gastos com salários de parlamentares cassados:

    Parlamentar
    João Capiberibe

    Período entre a
    cassação do TSE
    e a saída do cargo
    28/04/2004
    a 25/10/2005
    Despesa
    R$ 256.940

    Parlamentar
    Janete Capiberibe

    Período entre a
    cassação do TSE
    e a saída do cargo
    28/04/2004
    a 28/01/2006

    Despesa
    R$ 269.787

    Matéria na integra
    http://clipping.tse.gov.br/noticias/2009/11/8/a-conta-milionaria-da-cassacao

    E aí….o que falamos disso…nada?!

    • Essa noticia não é nada perto desta:

      Waldez Góes,o campeão do nepotismo

      Há quatro anos e oito meses no poder num dos menores Estados da Federação, o Amapá, o governador Waldez Góes (PDT) é hoje, disparado, o campeão nacional do nepotismo. Juntinhos a Waldez, no poder, estão a mulher, Marília, primos, tios, sobrinhos, cunhados e até a sogra. No total, são 69 familiares do governador e da primeira-dama recebendo dos cofres do Estado salários que variam de R$ 350,00 a R$ 6.900,00.Os mais de 60 Góes, somados, ganham mais de R$ 150 mil por mês ou mais de R$ 2 milhões anuais dos minguados cofres do tesouro amapaense se somarmos os ganhos referentes a férias e 13º salário.

      Marília Góes, a esposa do governador Waldez, foi nomeada pelo maridão para comandar a poderosa Secretária de Estado de Inclusão e Mobilização Social. Num Estado onde quase toda a mídia é mantida sob controle, Marília manda e desmanda.Outro manda-chuva no governo Waldez Góes é o primo, Alberto Pereira Góes, que dirigia o Gabinete Civil no início do primeiro mandato, mas com o passar do tempo virou Secretário Especial de Governadoria, Coordenação Política e Institucional do Estado e, ainda, a Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico, como exibe o próprio site do governo amapaense – http://www.ap.gov.br.

      Outro fenômeno do governo Waldez Góes chama-se Jorge Luiz Ricca Grunho, o Joca: saiu de motorista da campanha eleitoral para o comando da Secretaria de Desenvolvimento da Infra-Estrutura. Casado com Luzia Grunho, tia da mulher do governador, Jorge Luiz teve sob sua subordinação as Secretarias de Infra-estrutura (Seinf) de Transportes (Setrap), além de poderosas estatais como a Centrais Elétricas do Amapá (CEA), a Companhia de Água e Esgoto (Caesa), além da Companhia de Gás, do Detran e a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Amapá. Teve que sair do governo, mas mantém seu poder.

      As primeiras denúncias de nepotismo no governo Waldez Góes, por incrível que pareça, partiram de ex-aliados do governador amapaense. Em discurso na Assembléia Legislativa, o deputado Dalto Martins (PMDB) chegou a denunciar que a família de Waldez comandaria 80% dos órgãos do governo do Amapá. Dalto Martins, que fazia parte da base de sustentação do governo, chegou a ter o irmão Rostan Martins nomeado diretor da Imprensa Oficial do Estado e agiu para que o governo de Waldez fechasse um contrato de R$ 700 mil com a Sociedade Amapaense de Oftalmologia – onde a mulher de Dalto é vice-presidente – teve também um imóvel de sua família alugado para a administração estadual, onde funcionou a sede da Promotoria de Defesa do Consumidor (Procon).

      Até os alimentos para abastecer a residência oficial do governo do Estado são fornecidos por parentes, no caso pela empresa Prova ide Systems Ltda, de propriedade de um filho de criação da sogra do governador Waldez Góes, contratada com dispensa de licitação. Na lista de produtos adquiridos destaca-se o peixe tamuatá, considerado de terceira categoria, comprado a R$ 3,00 o quilo em qualquer feira de Macapá, mas vendido para a residência governamental por R$ 6,90, superfaturado, portanto.

      31-Ago-2007
      Ronaldo Brasiliense

  • Alcilene,
    Não divulga não.Pelo amor que tu tem ao Capi. Se divulga eles vão ser tudinho exonerado. Vão montar frima pra fornecer pra PMM. Já basta a parentada que fornece pro Waldez. Basta ver a cópia da Nota Fiscal no valor de R$ 4.800.000,00 ( isso mesmo, quase cinco milhões) que anda rolando por aí. A nota foi emitida por uma parenta do Governador a título de reparos e varrição na Feira Agropecuária. Fez inveja pra muito grande empresário da cosntruição civil do estado. Ah! a PF e o Ministério pùblico no pé deles. Deixa eles nos cargos da PMM.É melhor pra todos.
    Marcelo

  • Daqui a pouco esse bundão desse Carlos Costa,vai querer que o Jorge Sousa devolva 4 meses de salário,correpondente ao dia da Cassação pelo TSE ao dia que ele realmente saiu da Assembléia.E o Fofo tem que cobrar do ex-senador Expedito Junior que com a sua proteção passou 17 meses após ter sido Cassado pelo TSE.Vou manda pelo correio um “Honoráveis Bandidos.

  • Então o Prefeito cassado não pode receber salario !!
    O certo é que enquanto estiver no mandato mesmo que sob liminar os ocupantes dos cargos eletivos, seja qual for devem recdeber seu salario, já que continua exercendo e trabalhando…..Isso vale pro Jorge Souza, Capi, Expedito, Roberto Góes…

  • Boa noite,
    A respeito de nepostismo na PMM< é só ir no MACAPÁPREV e verificar quem é o presidente da instituição de previdência do município, é o irmão da vice-prefeita e por ae vai, a filha s.m.j é Corregedora da PMM.
    E ela tá mandando mais que o Prefeito até…

    • o irmão da Macapáprev e a filha da Corregedoria não contão, eles são primeiro escalão, pela Lei primeiro escalão pode estar no cargo qualquer nivel de parentesco… é o caso do secretário especial de governo alberto goés e porair vai galera…

      • Maquiavel… isso não tem nada haver
        o irmão e a filha não entrão na questão do nepotismo por primeiro escalão é direcionado ao prefeito e o prefeito o sobre nome é Goés e não Guerra entende…

  • Os três porquinhos,Waldez Góes,Roberto Góes e Alberto Góes;além de levarem o estado a falência,fizeram tambem escola no Nepotismo.

  • Acho que o Marcelo tem razão.Melhor um cargo na Prefeitura do que cada Góes do Estado com uma empresa. Aí não sobra nada.
    adelson

  • Se exonerar os parentes e aderentes, vou vagar uns 100 ou, mais, cargos entre o governo ‘e a prefeitura?
    Isso ‘e muita gente e o MP n’ao viu nada disso?
    Estranho!
    Se o MP n’ao vai, se a Ouvidoria n’ao escutou, ent’ao… Isso tudo n’ao ‘e verdade…
    Ou eu estou enganado? Rs rs rs…

  • O problema não é colocar parentes. O problemas é que são todos incompetentes e incoerrentes. Por exemplo o sobrinho do Prefeito Roberto Cassado Góes que está Sub-Procurador, além de incapacitado para o cargo, pois tem menos de 02 anos de formado e fala e faz absurdos com o direito (fere de morte toda o aparato Doutrinário, Jurisprudencial e a Lei propriamente dita, quando quer discutir situações com os Advogados antigos e Concursados do Município. É diariamente motivo de chacota entre os mesmos. Não bastasse a ignorância, é arrogante, presunçoso diz que será o proximo Procurador Geral do Município e que vai massacrar os Advogados Concursados. Diz aos quatro cantos que odeia os Advogados Concursados e que estes não terão sossego enquanto ele estiver lá na Procuradoria Município. Pode uma aberração desta. Esta atitude macabra tem nome: falta de equiíbrio, maturidade, e uma inveja imensurável, já que não é Concursado em nehum lugar. dageral iSserve a e Jurisprumataab é

  • É incrivel o que o eleitor de Macapá faz com a gente…!!
    Vão votar mal lá na PQP…!!
    Vendem o voto e depois a gente é que paga o Pato….esses pilantras deviam governar só pra eles que venderram o voto…cambada de imbecis !!

  • Coloca mais essa na lista… Sheila Goes (Prima do Prefeito) – Decreto 0079-2009 – Diretora do Departamento Administrativo-Financeiro – SEMAM – PMM

  • pow dizem que o mais inteligente dos goes é o alberto.. rsss… nao acho que ele seja burro, porem se ele é o maior intelectual da soberania GOES, quem é o mais idiota?????o mais burro??
    nos estamos em pessimas maos essa é a verdade, na pmm e no gea, é gente que nao sabe governar e nao sabe administrar a maquina publica… como sempre digo..
    precisamos de mudancas ja, urgente e ampla!!!!

  • retarias e repartições públicas do governo estadual e municipal, judiciário estadual, ministério público estadual, imprensa, assembléia Legislativa, etc….. É impressionante como eles conseguiram montar uma máquina azeitada e eficiente em promover o desmonte geral do estado. Veja a POLITEC do Amapá, maior cabide de emprego do estado, onde, em função de um plantão remunerado, uma verdadeira piracema de peixes de políticos, parentes e desocupados, constantemente migram e assumem atividades criadas sob medida para o seu perfil, com as mais diversificadas e criativas escalas de plantão remunerado. Determinados dias chega a ficar quase dez motoristas de plantão na politec, o detalhe é que não existem viaturas e, atualmente, nem combustível para estes trabalhadores labutarem. Existe uma curiosa escala de plantão denominada escala de supervisão, o profissional que atua nesta escala, em geral um chefe, tem a nobre incumbência de fiscalizar se os plantonistas realmente estão (fisicamente) no plantão. O interessante é que eles já recebem uma gratificação para serem chefes e justamente realizarem esta tarefa. O mais incrível de tudo, é que após uma árdua luta de mais de oito anos, dos funcionário TÉCNICOS – CONCURSADOS da POLITEC-AP, para se libertar da escravidão do plantão remunerado que representa mais de dois terços do rendimento do perito e que é perdido em situações de doença, maternidade, férias ou mesmo se o chefe não for com a tua cara, podemos concluir que a maior oposição foi ironicamente de uma Perita Criminal, atualmente, Diretora-Presidente da POLITEC chamada ELIETE NASCIMENTO BORGES, que além de ser recordista em má gestão, corrupção, ignorância e tamanho da bunda, com o único objetivo de manter o seu curral eleitoral, emperrou por anos o Plano de Cargos Carreiras e Salários do Funcionários da POLITEC. Será que ela acha que não vai se aposentar nunca¿, ou ela conseguiu fazer um pé de meia e não precisa do dinheiro¿
    Caros colegas, todas as irregularidades, e não são poucas, da POLITEC-AP, foram encaminhadas para o Ministério Público Estadual para apuração, com a assinatura de mais de 100 peritos, médico-legistas, papiloscopistas e auxiliares de peritos e sem nenhuma investigação, nem visita à POLITEC, ou análise de documentos, elas foram simplesmente ignoradas.
    Grande abraço a todos e vamos sonhar com o dia que o estado terá gestores de verdade e não esta calamidade que vemos agora.

  • Prezados colegas foi com grande entusiasmo que li as mensagens postadas por vocês aqui, provavelmente a maioria de vcs, assim como eu, são de fora do estado e não estivessem acostumados com este grau de corrupção, falcatruas e pilantragens que nós observamos no Amapá. Entretanto, embora seja um problema crônico no estado, o governo Waldez, sem dúvida nenhuma, deveria ganhar o prêmio Nobel ou entrar no Guiness Book, em se tratando de corrupção. Quem sabe nós não o indicamos para a categoria nepotismo, estou falando sério, o que vcs acham? Entretanto, o câncer da corrupção não se concentra somente no executivo, ele está alastrado por cada umas das secretarias e repartições públicas do governo estadual e municipal, judiciário estadual, ministério público estadual, imprensa, assembléia Legislativa, etc….. É impressionante como eles conseguiram montar uma máquina azeitada e eficiente em promover o desmonte geral do estado. Veja a POLITEC do Amapá, maior cabide de emprego do estado, onde, em função de um plantão remunerado, uma verdadeira piracema de peixes de políticos, parentes e desocupados, constantemente migram e assumem atividades criadas sob medida para o seu perfil, com as mais diversificadas e criativas escalas de plantão remunerado. Determinados dias chega a ficar quase dez motoristas de plantão na politec, o detalhe é que não existem viaturas e, atualmente, nem combustível para estes trabalhadores labutarem. Existe uma curiosa escala de plantão denominada escala de supervisão, o profissional que atua nesta escala, em geral um chefe, tem a nobre incumbência de fiscalizar se os plantonistas realmente estão (fisicamente) no plantão. O interessante é que eles já recebem uma gratificação para serem chefes e justamente realizarem esta tarefa. O mais incrível de tudo, é que após uma árdua luta de mais de oito anos, dos funcionário TÉCNICOS – CONCURSADOS da POLITEC-AP, para se libertar da escravidão do plantão remunerado que representa mais de dois terços do rendimento do perito e que é perdido em situações de doença, maternidade, férias ou mesmo se o chefe não for com a tua cara, podemos concluir que a maior oposição foi ironicamente de uma Perita Criminal, atualmente, Diretora-Presidente da POLITEC chamada ELIETE NASCIMENTO BORGES, que além de ser recordista em má gestão, corrupção, ignorância e tamanho da bunda, com o único objetivo de manter o seu curral eleitoral, emperrou por anos o Plano de Cargos Carreiras e Salários do Funcionários da POLITEC. Será que ela acha que não vai se aposentar nunca¿, ou ela conseguiu fazer um pé de meia e não precisa do dinheiro¿
    Caros colegas, todas as irregularidades, e não são poucas, da POLITEC-AP, foram encaminhadas para o Ministério Público Estadual para apuração, com a assinatura de mais de 100 peritos, médico-legistas, papiloscopistas e auxiliares de peritos e sem nenhuma investigação, nem visita à POLITEC, ou análise de documentos, elas foram simplesmente ignoradas.
    Grande abraço a todos e vamos sonhar com o dia que o estado terá gestores de verdade e não esta calamidade que vemos agora.

    • PURA INVEJA
      a pessoas que querem ser bonitas para chamar a atenção, outras desejam a inteligência para serem admiradas. Mas há algumas que procuram cultivar a Alma e os Sentimentos. Essas alcançam a admiração de todos, porque além de bela e inteligente tornam-se realmente uma pessoa.
      acho que voce nunca foi chamada para oculpar um cargo no governo qualquer. talves seje isso a sua inveja da Eliete Borges.

      Pense nisso e serás outra pessoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *