Nem turismo, nem hospitalidade

Amigo passou o final de semana em Macapá, aproveitando viagem de trabalho para turistar e ver se valia a pena voltar com a esposa, em viagem de passeio.

Foi à Casa do Artesão. Sequer foi atendido. Havia só ele de cliente na Casa e umas cinco pessoas trabalhando. Mas ninguém se dignou a atendê-lo. Foi embora sem comprar.

Foi à Fortaleza. Achou meio largada. Sentiu sede, pois estava sol quente, mas não tinha água pra vender. E o pior: perguntou a um funcionário de se havia bebedouro, que grosseiramente disse que não tinha água pra beber.

Foi ao lindo Trapiche, andar sobre o rio Amazonas. Sem comentários. Está abandonado.

Fica cada dia mais dificil falar em turismo e hospitalidade por aqui.

  • É por isso que a petrolífera quer se instalar no Pará! E com razão. Aqui nem assistência ao turismo tem. Alvará estrutura pra… enfim. Lamentável

  • Esse abandono não é de hoje, o problema é que aqui em macapá tudo é de graça, se fosse cobrado a entrada em alguns pontos turísticos mesmo que um valor simbólico daria para pelo menos fazer a manutenção desse espaços. Falasse tanto em turismo aqui, mas ninguém põe em prática nada.

    • Na verdade o turismo aqui só da um UPP em épocas de eleições,eles,os “turistas”,até ficam morando na cidade durante 04 anos,dependendo de quem se reeleja,ficam até mais.Os “cargos” é o grande atrativo turistico.No mais….é 12 na veia..kkkk

  • Espero que isso mude.Sobre a Fortaleza tem uns 4 anos que não vou lá, quando fui ainda morava, e encontramos um guia muito solícito e educado. Quando à casa do Artesão, eu nunca encontrei um bom atendimento lá, sempre que minha mãe vinha me visitar eu a levava lá e parecia que estávamos pedindo favor para os funcionários. Já naquele museu (acho que Joaquim Caetano, é isso mesmo ou fui traída pela memória?) tb encontramos um bom atendimento. Acho que as autoridades precisam valorizar o patrimônio do Estado e treinar melhor seus funcionários pois é a imagem do Estado. Já falta a infraestrutura adequado e por isso o interior do Estado não atrai mais turistas e eu confesso que durante os seis anos que morei no Amapá não fui além de Ferreira Gomes por falta de condições das estradas e tb por ter pesquisado pousada no interior e ter enfrentado dificuldade e má vontade. Mas torço muito para esta realidade mudar.Abraços querida, estou sempre lendo o blog.

  • Falando em turismo,quem sabe este ganhe uma força com o projeto do nobre deputado Furlan que quer transformar o “melody” em patrimonio cultural.Parece piada,mas é isto que os nossos representantes fazem na ALAP.Se não rolasse o meu din din,eu nem ai pro tal projetinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *