Não deixe de ler: Igreja Católica se manifesta e execra a corrupção e a impunidade no Amapá

A todos os irmãos e as irmãs da Igreja Católica e a todas as pessoas de boa vontade

Do Conselho Diocesano de Pastoral da Diocese de Macapá

Irmãos e irmãs caríssimos,

no dia seguinte à celebração da festa de São José, padroeiro da nossa diocese e do nosso estado, nos reunimos, com nosso Bispo, no Conselho Diocesano de Pastoral.

É nossa obrigação pastoral compartilhar com vocês os clamores e as angústias das muitas pessoas que procuram nossas comunidades e nossas pastorais para dizer a dor, o descaso e a humilhação que sofrem.

É o clamor das famílias dos 26 bebês que morreram na maternidade pública entre os dias 26 de dezembro e 8 de fevereiro. A proximidade com o Natal nos fez lembrar outra matança de inocentes que aconteceu no tempo do nosso padroeiro, São José.

É o clamor das famílias que sofreram por causa do atraso do início do ano letivo e da precariedade de várias escolas, sem merenda e sem condições de funcionar de forma satisfatória. Isso prejudicou duplamente os alunos: pela falta de merenda e pela redução das aulas, que nunca serão repostas.

Não podemos esquecer que tudo isso aconteceu logo após um carnaval marcado por denúncias e escândalos pela má aplicação de um grande volume de dinheiro público, fruto dos nossos impostos e que agora faz falta em outros setores, bem mais importantes para a população.

Ainda mais grave, é a recente denúncia do Ministério Público a respeito de 200 milhões de reais que teriam sido desviados na área de educação e que devem ser somados aos que foram desviados na saúde, na construção do novo aeroporto e em várias outras atividades.

É inaceitável o calvário dos doentes que precisam de tratamento fora do estado ou de remédios caros e não estão sendo atendidos. Alguns acabam morrendo sem receber os mínimos cuidados. A morte anunciada, prematura, dolorosa e trágica do garoto Danilo, representa todos eles.

A situação se agrava nos municípios e comunidades do interior e entre os povos indígenas, onde os serviços de saúde, educação, transporte e segurança são precários e insuficientes e onde se multiplicam as denúncias de má aplicação de recursos, enquanto cresce o abandono.

Tudo isso nos indigna e, sobretudo, nos entristece saber que reina, no meio do nosso povo, a sensação da impunidade para os crimes de violência contra o patrimônio público: desvio de recursos, grilagem de terras, desmatamentos ilegais, poluição das nossas águas.

Ainda não foram punidos os crimes eleitorais das eleições municipais de 2008 e já estão bem adiantadas as articulações para as próximas eleições gerais. Serão os mesmos denunciados de hoje a disputarem os votos da população daqui a poucos meses?

Ë nosso dever pastoral e eclesial proclamar com firmeza: “Deus não quer isso, não!”

Estamos iniciando a Semana Santa, na qual celebraremos a vitória da vida sobre a morte de Jesus que foi condenado por estar sempre ao lado dos mais pobres a serviço da justiça do Reino de Deus.

A liturgia da Semana Santa e a meditação da Campanha da Fraternidade pedem a nossa conversão:

Em primeiro lugar, precisamos mudar nosso coração: não podemos ser omissos ou coniventes com o que vem acontecendo no Amapá, em prejuízo do bem comum da população. A vida tem sempre o primeiro lugar antes de riquezas e vantagens pessoais: não podemos servir a dois senhores!

Como Diocese, devemos usar todos os espaços e ocasiões: celebrações, encontros, reuniões, estruturas e meios de comunicação, colocando-os a serviço da justiça, renovando sempre nosso compromisso de fidelidade aos mais pobres, aos excluídos e aos esquecidos. Não podemos calar em troca de benefícios e vantagens para nossas igrejas e comunidades. Não podemos ser omissos por medo de perseguição ou de retaliação.

Nossa missão de anunciar o Evangelho exige que sejamos porta-vozes da Palavra de Deus que nos convida a viver relações de amor e de fraternidade e, ao mesmo tempo, porta-vozes do clamor do povo, de seus lamentos e angústias, denunciando tudo que provoca violência e morte, sobretudo quando isso vem do poder público, obrigado a estar a serviço do bem comum.

Esta Semana Santa que iniciou com a memória do grito do povo dirigido a Jesus: “Salva-nos, Filho de Davi”, nos levará a assumir o compromisso de fazer como Ele fez: pondo-nos a serviço de todos e dando nossa vida para a vida de todos.

Que Jesus, morto e ressuscitado nos fortaleça e nos acompanhe neste compromisso de sermos suas testemunhas até os confins da terra.


Macapá, 28 de março de 2010, Domingo de Ramos.

Conselho Diocesano de Pastoral da Diocese de Macapá

  • Precisa a Igreja católica condenar tanto absurdo, já que o governo e a prefeitura não se comovem nem com a doença de uma criança como o Danilo. A Igreja não perdoou ninguém, condenou tudo que precisava ser condenado. Até os crimes eleitorais sem julgamento definitivo. E pensar que ainda tem candidato a governador se dando ao luxo de preferir se calar, frente a tanto sofrimento da população. Devo confessar que lavou minha alma e me deu um sopro de esperança que quem sabe num futuro próximo possamos ter uma Amapá mais justo e digno.

  • Muito boa a Carta da Igreja Católica.Estou alegre por saber que ainda temos instituições que condenam a corrupção.A porrada não foi para a “Dupla Infernal da Corrupção”(Waldez e Roberto),ela também vai direto aos órgãos como: TJE-TCE-MPE-MPF-RF-PF-ASSEM.LEGISLATIVA.

  • Só os Jabazeiros ainda estão defendendo a quadrilha que se instalou no governo do estado.Hoje o Estado do Amapá está falido e campeão da corrupção.

  • Pingback: Tweets that mention Não deixe de ler « Repiquete no Meio do Mundo -- Topsy.com

  • Como diria a Kiara Guedes: “égua, não!”. Já não era sem tempo de termos uma leitura realista da nossa realidade política. A imprensa amapaense deveria se matar de vergonha, pois a nota da Igreja só é necessária e devastadora uma vez que a imprensa daqui só veicula o mundo cor de rosa que só existe no sonho do Waldez e do Roberto. E agora, vão dizer que o PSB comprou a Igreja católica? Por que, cá entre nós, essa nota mais parece uma nota do PSB. Ou melhor, nem o PSB faria igual. A diocese, realmente, colocou os pingos nos iis, e o Waldez, Roberto, e cia ltda no seu devido lugar. Só me vem na cabeça como deve ficar a consciência do juiz federal João Bosco que não se cansa de namorar com as autoridades da harmonia, tecendo aos mesmos elogios que não fazem o menor sentido. Será que agora o Juiz vai pensar melhor antes de sair elogiando certas pessoas nas sua inúmeras entrevistas? Parabéns Alcilene, pelo destaque da nota. Só você mesmo.

    • NIMGUEM FALOU DO PSB, TODOS SABEMOS QUE O CAPI É ATEU, O CERTO É QUE ENQUANTO A IGREJA REPUDIA O QUE TODOS SABEM E SENTEM NA PELE DESSA CORRUPÇÃO DESENFREADA ,O PSB PUBLICA UMA NOTA QUE ESTA ABERTO PARA CONVERSAR COM O PEDRO PAULO E COM O JORGE AMANAJÁS, ESSE QUE O CAMILO NÃO PERGUNTA ONDE ELE GASTA DOZE MILHÕES DE REAIS POR MÊS. JÁ CHEGA DE CAPI DE WALDEZ E TODOS QUE SAQUEARAM O ESTADO NO PASSADO E NO PRESENTE SÃO TODOS GÓES CAPIBERIBES.

  • Mais uma vez, a igreja católica prova que tem preocupações reais com os rumos do Amapá. Waldez e seus apoiadores estavam sentados no banco da frente da Igreja de São José durante a Santa Missa desse Domingo de Ramos, com a cara mais deslavada cmprimentam a mesma população que eles enganam, com risinhos cínicos e apertos de mão falsos, eles “agridem” os honestos pais e mães de famílias que estiveram na Igreja. è preciso denunciar e esclarecer nosso povo de quem são os seus reais inimigos. A situação política no Amapá é de entristecer qualquer um. As atrocidades cometidas pela equipe de corruptos que governa nosso Estado, vai desde a falta de dipirona nos postos de saúde, passando pelos desvios de 236 milhões da educação até ao ápice do descaso com o nosso povo, que foram as morte de 26 inocentes na Maternidade Mãe Luzia. Não dá mais pra sustentar essa situação, o amapaense tem que conhecer a verdade, não podemos deixar essas coisas se perpetuarem. Como bem coloca em sua carta o COnselho Diocesano, os mesmos corruptos que estão ai, querem disputar as eleições em outubro. Será que os eleitores amapaenses vão permitir esse absurdo?? Em nome de Jeusus, espero que não. Vamos dar um basta!

  • A Nota é uma demostração da preocupação que a Igreja Católica tem para com o Amapá.O Roubo do Dinheiro Público está generalizado,o estado está falido,temos um governador enganador que não fez nenhuma Obra(ele faz pequenos reparos,pinturas e chamada de Obra).Hoje o estado não consegue pagar a Folha Funcional Liquida,ele montou um “Trem da Alegria” para calar Jabazeiros,

  • Parabéns à Igraja Católica. Vale ressaltar o termo “Não podemos calar em troca de benefícios e vantagens para nossas igrejas e comunidades discutindo quem irá apoiar pras próximas eleições”. É o termo exato que se discute (como se nada estivesse acontecendo) em algumas igrejas: quem iremos apoiar? Estão igual partido nanico, que, de acordo com seus interesses, apoiam esse ou aquele político, não fazendo tendo nunhum critério ético.
    Abraços!

  • Muito cuidado nessa hora, a turma que saqueou o estado,pode querer comprar o patrimônio da Diocesse.A área comercial eles já compraram quase tudo.

  • “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”. Esse tema da Campanha da Fraternidade reflete muito bem a leitura que a Igreja tem da atual conjuntura política-econômica-social e eleitoral no Amapá. É um grito de alerta e pedido de socorro para a degradação moral e ética em que se transformou a política no nosso Estado, bem como a atuação de alguns agente públicos, seja no âmbito estadual seja municipal.

    Uns servem mais ao dinheiro ilícito e da corrupção do que ao sofrimenro do povo no dia-a-dia. Alguns frequentam igrejas e sempre são vistos em procissões e festas religiosas. Suas riquezas advém da morte do povo trabalhador que se vê cada dia mais abandonado nos serviços de saúde, educação, saneamento, segurança, etc.

    A Igreja Católica, independente de seus problemas de ordem particular, e estritamente nos países da América Latina, sente toda a opressão e o abandono à que estão sujeitas às populações locais, distantes da efetiva cidadania e sob o jugo de ditadores civis regionais que acham que governo bom é aquele que enriquece sua família. Exemplos por aqui não faltam.

    PARABÉNS aos corajosos padres, animadores de comunidade e ao Bispo local. É um duro recado para a irresponsabilidade e o cinismo de gestores do nosso Estado e uma banana para setores da imprensa venal que “comem e se alimentam das migalhas caídas da mesa desses coronéis civis”.

  • Bom Waldez. Agora tú arrumou pro teu. Quero ver tú mnadar o Guela de Aluguel falar mal do Bispo. Quer saber se tú é macho de mandar o Bofes Podre( tanto fedor exala, quando ele fala)falar mal da Igreja.
    Muleke, que acha que pra quantidade de bandalha que o cara ja cometeu, até que a nota é Light.

  • Waldez, macho, faz de conta que não é contigo esse ralho. Olha, caboco, tú já tens motivo de sobra prá ser condenado na terra, então prá que ser condenado também nos céus?? O cara que escreveu essas verdades aí é o assessor direto DELE aqui no Amapá. Vê lá, véio, na igreja não tem esse négócio de advogado, juiz, habeas corpus, liminar, ampla defesa, instância superior e outras demoras. Lá, escomungou tá na roça, quer dizer, no inferno. E como o inferno é aqui mesmo, cabra, fica na tua senão tua batata vai assar.

  • Sinto-me feliz em ser católico. A Diocese de Macapá falou tudo. Confiamos no poder de Deus que possa melhorar essa quadro de desgraças implanta por essa turma da harmonia, que quer continuar com Lucas Barreto, Pedro Paulo e Jorge Amanajás.

  • Pena que o povo ainda se deixa levar por esses políticos que so pensam em encher o bolso!!!!
    vote nulo.

  • A igreja católica antes de se manifestar sobre assuntos políticos deveria primeiro olhar pro seu próprio umbigo. Que tal ética e punição para os Padres Pedófilos, que as dioceses escondem e o Papa só pede desculpas por mensagem. E as famílias que pensavam que seus filhos estavam protegidos na casa de Deus sob o manto do Padre e eram molestados.

    • só um hipócrita como esse cara aqui pra continuar defendendo um bando de corrupto e safado que continua nos seus desmandos dentro do amapá vítima de algozes atrozes é que é capaz de fazer uma avaliação desse tipo. Não tapa os olhos seu idiota, não defende bandido seu palerma.

    • Você é amapaense, João de Deus? Então você é corrupto, como os políticos daqui!

      Mas não se preocupe. Se você for de outro estado, também é corrupto, como os políticos corruptos que certamente existem lá.

      É estrangeiro? Bom, então você não passa de um corrupto, como os políticos corruptos que existem em todo país.

      Viu, João? Toda generalização perde o sentido. Além de mostrar um argumento rasteiro, ainda se perde em seu total desconhecimento.

      #ficaadica

  • Depois dessa nota, resta a “harmonia” determinar aos “jabazeiros” sentar o pau na Igreja…
    Melo, afia tua língua!
    Lobato, conta o que tu não sabes!
    Hélio Nogueira, tu não vai falar nada?!
    CHUPA ESSA MANGA (VERDE)!!!!!

  • EU GOSTARIA DE SAB QUAL O PESO DA DCIPLINA NO CURSO DE JORNALISMO QUE SE CHAMA CHABA E QUEM É O PROFESSOR QUE MINISTRA, E QUAL A FACUDADE.VC JORNALIST QUANTS ANOS PASS FZ ESTA DCIPLINA

  • SILVA O SILVA VC GOSTA DISTE NOME CAPI,VC ANDA NAS RUAS E CAPI,NO SEU PASTO É CAPI,QUE CAPI,ELE MESMO MORTO,AMORDASADO ELE VAI VOLTA A TE ENCOMODA COMT FSEND CAMPANHA A TUA VIDA VAI SE GRITA CAPI CAPI CAPI

  • P/ Yasha Gallazi. Compreendo as pessoas que lêem e distorcem o seu conteúdo. Eu não disse que todos os padres são pedófilos. Eu disse e repito que a igreja, antes de se manifestar sobre ética deveria olhar pro próprio umbigo. Da mesma forma como tem padres pedófilos, tem políticos corruptos. Da mesma forma que políticos roubam o dinheiro público, padres roubam a inocência de crianças/adolescência. Da mesma forma que políticos enganam os eleitores, padres enganam famílias que acham que seus filhos estão na casa e sobre a proteção de Deus. Portanto, Sra. Yasha, vamos também discutir os comportamentos de determinados sarcedotes que em nome de Deus se desvirtuam por caminhos nada éticos, morais, sociais e de convivência humana. Não sou político, não dependendo de política, mas sou partidário dos que pensam que a política é a única forma que temos para melhorar a sociedade, assim como, os que acreditam que os padres, pastores, pregadores, podem melhorar o ser humano no caminho da fé e o encontro com Deus. O resto, é o direito de manifestação de cada, goste ou não.

  • Parabéns a Igreja Católica!Sou Católica e Sou Coroinha!Ñ tenho nada conta as outras religiões,mas prefiro a minha.

  • por favor quero ajuda para obter enderecos de igreja catolica independente para poder frequenta-la na zona norte;santana,b.limao,casa verde ou imirim.sao paulo capital. OBRIGADA!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.