MP-AP requer execução de multa contra presidente da Assembleia Legislativa do Amapá

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) ingressou, na última sexta-feira (07), com Ação Civil Pública na modalidade “Obrigação de Fazer” contra o presidente da Assembleia Legislativa do Estado Amapá (ALEAP), deputado Júnior Favacho, condenado ao pagamento de multa pessoal e diária no valor de R$10 mil (dez mil reais), por não cumprimento da Lei da Transparência.

 

E agora Junior Favacho? 

O que será que o gentil e simpático presidente  Junior Favacho vai fazer?

Pagar a multa (de seu bolso) e continuar não cumprindo a Lei da Transparencia?

Ou publicar o impublicável?  Lista de servidores da AL,  diárias e outro$$ mimos….

Bolsa de apostas, aberta.

  • Essa é fácil: ele vai recorrer a justiça que graciosamente vai lhe conceder uma liminar e pronto, tudo resolvido.

  • O MP bem que poderia ser tão rápido assim no gatilho com o poder executivo (diga-se governo CAMILO), principalmente quando se tratar da área de saúde, onde os pacientes estão entregues a própria sorte ou a própria morte!

  • Gostaria que o MPE/AP fiscalizasse também a Câmara Municipal de Macapá, que há anos é uma caixa de pándora, ninguém sabe, ninguém viu, a última, foi o atual Presidente da Câmara de Vereadores, Acácio Favacho, irmão do Presidente da Assembléia Legislativa, demitir no dia 13/5, mas com data retroativa a 2/5 (um dia após o dia do trabalhador) os mesmos servidores que a então presidente da Câmara em 2007 ex- Vereadora e ex-Vice-prefeita de Macapá demitiu ilegalmente. Sendo que os demitiu no dia 13/5 e no dia 14/5 em sessão aprovou juntamente com os demais vereadores projeto de reolução e de lei criando dezenas de cargos na Câmara Municipal de Macapá. Com a palavra o MPE/AP

  • Gostaria que o MPE-AP também cobrasse do Presidente da ALAP sobre o concurso para preencher o quadro de pessoal da assembléia que tá cheio de puxa saco e apadrinhados daquelas “nobres” raposas. O TCE demorou 20 anos para fazer seu 2º concurso para seu quadro de serviços auxiliares, o MPE demorou mais de 15 anos para fazer seu 2º concurso para o seu quadro de pessoal, quanto tempo esperaremos para a ALAP fazer seu segundo concurso público? 50? 100? Sobre o MPE, gostaria de perguntar para a nobre PGJ o seguinte: 1) Por que dentro do MPE do Amapá há tantos servidores com cargos comissionados que não possuem vínculo efetivo com o Órgão? 2) Por que há tantas militares (policiais e bombeiros) cedidos para órgão? 3) – Por que há um número excessivo de estagiários, muito além de servidores e do que a lei permite? 4) por que há tantos servidores cedidos para o MPE? Minhas indagações ocorrem em virtude de existir uma LISTA DE ESPERA DE CLASSIFICADOS em diversas áreas para compor o MP do último concurso público para o quadro de serviços auxiliares; e o MPE continua usando sua discricionariedade para chamar esse pessoal a seu bel prazer, se valendo da inércia administrativa e prejudicando pessoas que se abdicaram de lazer, da convivência com a família, de seu tempo, somente se dedicando aos estudos e conseguiram êxito ao se classificarem num concurso público altamente concorrido, agindo dessa forma está igual aos outros poderes. Não há orçamento? como assim? e por que tem orçamento para cargos comissionados e para servidores cedidos ao órgão? Não há espaço para esse pessoal? e onde estão lotados esses comissionados e cedidos? A Senhora não acha que a segurança pública do nosso está carente de servidores? Os militares não estariam sendo bem mais úteis em nossas ruas? O ideal para o MPE não seria ter um corpo de serviços auxiliares bem mais fortalecido com servidores efetivos? O MPE não teria que ser EXEMPLO para os outros poderes? Gostaria de uma resposta da Senhora nobre PGJ Ivana Cei. Muito obrigado. Viva a liberdade de expressão!! acorda povo, chega de tanta burrice e comodismo!!! chega de eleger essas criaturas que vivem sugando nosso dinheiro tão suado!!!

  • Percebe-se claramente que as pessoas não acreditam mesmo em mudança nas posturas politicas, eu acredito fe no que virá.

  • Olá, aproveitando a credibilidade deste blog, estou aqui para fazer uma humilde pergunta, como devo proceder em caso de difamação que venho sofrendo dentro do Orgão do governo onde trabalho? Procurar o MP? A policia? Ou o governador??

  • Encontrei um amigo que me disse que leu no comentario aqui uma tal de Neca reclamando, me perguntou se não era EU, quero COMUNICAR QUE NÃO SOU EU, e que como Bacharel em Direito SEI ME DEFENDER.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *