Moisés está fervendo

O desconto nos valores do duodécimo da Assembleia Legislativa, que foi antecipado, segue deixando a temperatura politica nas alturas.

Frases do presidente da Assembleia Legislativa, Moisés Sousa, ontem, em plenário.

“Já temos um pedido de impeachment contra o governador, ajuizado nesta casa e temos a obrigação de abrir um processo de destituição do procurador geral, por absoluto desconhecimento da Constituição do Estado”.

“Quem tem um procurador geral como o Narson Galeno não precisa de inimigos. O governador Waldez Góes tem a obrigação de se pronunciar publicamente sobre esse fato, sob pena de estar incorrendo em crime de responsabilidade, tal qual seu procurador geral”.

O procurador-Geral do estado, Narson Galeno, calmamente explicou que o governo vai manter o desconto do que foi antecipado à Assembleia Legislativa.

“A Assembleia Legislativa quando oficia pedido de antecipação, significa que o rito foi aprovado e que está dentro da legalidade”, disse Narson.

O governador, fiel ao seu estilo, nada fala sobre o imbróglio.

Veja matéria da edição de ontem do Jornal do Amapá e entenda o caso e o clima.

http://g1.globo.com/ap/amapa/jornal-do-amapa/videos/t/edicoes/v/assembleia-nao-reconhece-que-tenha-autorizado-adiantamento-de-duodecimo/4568594/

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *