Minha Saudade

Por Rubem Bemerguy

Papai,

Hoje eu acordei pensando no papai. Seria, fosse vivo, o dia do aniversário dele e eu queria abraça-lo como nunca antes. Na verdade, eu queria desmaiar no colo do papai. Eu queria poder chama-lo de papai. Repetir a palavra, papai, papai. Não como quem chama, mas clama e sussurra. Eu queria ser beijado, mimado como quando criança se tinha uma febre terçã. Eu tô cansado e queria meu pai perto de mim. Mas isso não é mais possível. Por isso, eu só posso escrever a palavra papai, já não posso mais pronunciá-la. A palavra papai não teria direção. Melhor excomunga-la. A vida é assim, cheia de excomunhões.

 

A saudade, entretanto, é meu melhor alimento. Vivo da generosidade da saudade. Jejuo todo o resto. Até o amor. Indo assim, encontro com a saudade todos os dias.  Na maioria das vezes todos os segundos. Ela é um rio. Eu também sou. Um rio que não passa. Somos afluentes um do outro e pronto. Mas, francamente, sinto que ela esconde algo de mim. Não sei exatamente o que é. Só sei que dói como a dor de não poder mais dizer papai.

  • Ola Ruben, poxa cara vc fez com que eu também sentisse saudade do meu amigo Mair, um excelente amigo também perdido de corpo presente porém sempre perto espiritualmente. Não sei se vc se lembra, quando ganhei minha primeira camisa do FLAMENGO (guardo até hoje, quando o Mair tinha ido ao Rio de janeiro e me troxe de presente, onde recebi na sua sala de estar, na presesa de todos vcs. Seu pai foi um grande amigo e conselheiro, um profundo contador de causos de nosso Amapá e que tive, quando ainda engatinhava na firma Irmãos Zagury. Valeu meu amigo!!! um abração ….

    • Oi Riba. Lembro bem Riba. De tanto lembrar escrevi esse pequeno bilhete de saudade. Abraça fraterno. Ruben

  • Caro Rubem,lendo essa declaração de amor que você compartilha conosco aumenta o meu respeito e admiração por você. Meu pai vai gostar de ler também. Um abraço. Furlan

  • É verdades amigos pai,papai tudo é saudade, o meu papai também já foi partiu 14 anos, acredito ele estar lado DEUS ajudando. Tem certeza saudade DOI. E tem gente que não cuida seus pais.

  • Hum… Vc mexeu profundamente com os meus sentimentos. Moro bem em frente a casa de meu pai, que nos deixou há 1 ano. Mas toda vez que entro com meu carro na garagem da minha casa, olho pra casa dele com olhar nostálgico e digo : MEU PAI! valeu amigo….

  • Voce me fez lembrar da Vila Crespim, nos meados da década de setenta. Um garoto extremamente comportado. Um grande estudante. Exemplo para os amapaenses.
    Alí, naquela Vila,onde eramos vizinhos, aprendi a viver sozinho e a chorar de saudade de meu pai e de minha mãe. Cheguei a fraquejar e jurar que ia cair fora. Só não o fiz graças a meu pai, que com seu jeitão de caboclo me dizia em uma carta, escrita por algum amigo: quer ser como eu? Um burro que não sabe ler nem escrever? Nunca mais pensei em disitir.

  • Meu caro Rubem, voce me fez voltar no tempo pelo menos trinta anos, eu muito jovem ingressando no IBGE e tive em seu pai, seu Mair Bermerguy foi meu chefe, depois compartilhei sala de trabalho com ele também, era brilhante, conselheiro e amigo. Aprendi muito com o seu pai, que um apaixonado pelo Macapá e pra lá me levou a ser sócio. Boas lembranças! Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *