Mineradora adota Selo Sustentabilidade “Tesouro Verde” nas operações financeiras

No Dia da Amazônia, 5 de setembro, a Mina Tucano mostra que é possível a produção industrial responsável na região

Pedra Branca do Amapari (AP), agosto de 2021

Para assegurar a responsabilidade ambiental de sua operação no Amapá, a Mina Tucano adotou o Selo Sustentabilidade Tesouro Verde. Com a medida, a mineradora visa promover uma cadeia de valor ambiental, da produção do ouro até o consumidor final, comprovando, dessa forma, a adoção de práticas ambientais sustentáveis e responsáveis do ponto de vista ESG –  ambiental, social e de governança corporativa.

A iniciativa é possível devido à política de sustentabilidade do Governo do Amapá em reconhecer as empresas que compensam a pegada ecológica através do Selo Sustentabilidade Tesouro Verde, concedido pelo Grupo BMV, cujo Protocolo de Compensação Sustentável ESG BMV é assegurado pela SGS, autoridade global em certificação ambiental. Entre outros benefícios, o Selo incentiva o comércio sustentável do minério e a valorização da mineração responsável, porcomunicar suas estratégias de ESG “out door com sua cadeia de valor.

Fabio Marques, Diretor de Operações da Mina Tucano, explica que a decisão faz parte da política da mineradora para mostrar ao mercado sua preocupação e cuidado com a questão ambiental. “O Selo Sustentabilidade Tesouro Verde no certificado surgiu da nossa vontade de informar que o nosso minério tem origem em uma operação responsávelde proteção ambiental e boas práticas no curto, médio e longo prazo. Inserir o selo Tesouro Verde no Certificado de Origem em todos os documentos reforça a nossa transparência nesse sentido”, afirma.

Ao receber o Certificado de Origem, o comprador poderá acessar os dados de conservação das florestas com adesão ao programa do Governo do Amapá, além de poder acompanhar as ações de neutralização de carbono da operação, entre outros benefícios gerados pelo Tesouro Verde. Para Rachel Stumpf, Gerente Financeira da Mina Tucano, a prática incentiva as operações com os bancos e traders ligados ao ESG (Environmental, Social andCorporate Governance).  “Estamos nos preocupando além do nosso cenário, gerando um ciclo que só beneficia as empresas que realmente investem em sustentabilidade. Isso comprova que cuidar do meio ambiente também traz retorno financeiro e beneficia as corporações sérias e corretas”, diz.

Maria Tereza Umbelino, CEO do Grupo BMV, destaca a importância da parceria com a Mina Tucano, que, dessa forma, demonstra seu protagonismo no setor de mineração no sentido de adquirir o Selo Sustentabilidade Tesouro Verde que contempla uma série de fatores que vão além da preservação.

“De forma inovadora, a Mina Tucano adotou uma prática que adiciona à compensação ambiental, os co-benefícios sociais com critérios de governança.

A Mina Tucano é uma aliada na preservação do Meio Ambiente. Em dois anos consecutivos, a companhia investiu em UCS de Crédito de Floresta para compensação da sua pegada ecológica que gera uma série de impactos positivos como preservação anual de 37.684 m² de áreas florestas nativas públicas e privadas, sendo, por hectare, 1.749 espécies da fauna e outras 546 da flora protegidas. “Cuidar da Amazônia é mais que um dever, é a nossa obrigação. Estamos empenhados em, cada vez mais, promover ações efetivas de proteção ambiental”, conclui Fabio Marques.

Sobre a Mina Tucano

A Mina Tucano é uma das maiores minas de ouro a céu aberto no Brasil, localizada a 200 km de Macapá, no Amapá. Subsidiária da Great PantherMining Limited, empresa listada na Bolsa de Valores de Toronto, a Mina Tucano produziu 125.000 oz em 2020 e tem como meta produzir entre 110.000 a 120.00oz em 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.