Michel JK a cada dia mais exposto e mais longe do cobiçado posto

O Pleno do TCE/AP decidiu não dar posse a Michel JK por não preencher requisitos Constitucionais para ocupar o cargo de conselheiro.

A decisão do pleno foi aprovada por unanimidade, baseada nos incisos da Constituição que tratam sobre idoneidade moral e reputação ilibada, e notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros ou de administração pública e mais de dez anos de exercício de função ou de efetiva atividade profissional que exija tais conhecimentos.

A presidente do TCE/AP, Maria Elizabeth Cavalcante de Azevedo Picanço, ratificou a decisão do Pleno: “Deixo de dar posse ao senhor Michel Houat Harb, para o cargo de conselheiro deste Tribunal de Contas”, declarou a presidente encerrando a Sessão, ressaltando que também, cumpre decisão liminar da lavra do desembargador Carlos Tork, nos autos do mandado de segurança nº 0001670-93.2015.8.03.0000, para que se abstenha de dar posse.

Num momento em que o país debate 24 horas corrupção e que as instituições republicanas, mais do que nunca, cumprem seus papéis, não foi de “bom tom” o governador Waldez Góes, a Assembleia Legislativa e o deputado Michel JK, afrontarem as instituições de fiscalização e controle e indicarem um nome que responde a várias ações de improbidade administrativa para o cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas.

As instituições e o país estão mudando, minha gente.

Sessão TCE
Sessão TCE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *