Médicos do município em greve

Os Médicos que atendem os postos de saúde de Macapá decidiram entrar em greve. O prefeito Clécio Luis esteve na noite de terça-feira no CRM, dialogando com os profissionais, mas que decidiram deflagrar a greve, segundo eles, por causas dos constantes assaltos aos postos de saúde e da falta de condições de trabalho.

Clécio tentou negociar garantindo a regularização dos contratos dos médicos; no assunto segurança (que é o ponto crucial da greve), Clécio disse que está tomando providencias junto com os órgãos de segurança, em uma ação conjunta; abonar as faltas das greves (dessa e da anterior). O prefeito solicitou que os médicos  mantivessem o mínimo de 30% de serviços emergenciais funcionando. Os médicos, alegando que não têm vínculo empregatício com a PMM, se negaram a manter os 30% de serviços médicos nos postos.

O prefeito pediu paciência e bom senso, mas os médicos alegam que não têm direitos, e que a PMM só exige os deveres e não dá condições de trabalho. Os médicos estão muito assustados com os assaltos aos postos de saúde.

“ Não há negociação quando o assunto é a insegurança e a falta de medicamentos”, disse o médico Jonatas, ao blog.

  • Belos médicos esses…
    No Brasil, principalmente no Amapá, existe um problema sério: greves indiscriminadas!
    A greve é um direito fundamental de qualquer trabalhador, concordo. Mas, a greve deve ser a última medida, e não uma das ptimeiras, como se faz de costume.
    Falta fazer protestos inteligentes e respeito ao cidadão. Sou professor e não concordei com a maioria de nossas greves, apesar de acompanhar a categoria em quase todas.
    Professores e médicos não podem parar por qualquer motivo que pode e deve ser combatido. Greve desgasta muito mais o profissional e a população do que os gestores.
    Há algum tempo, noto que muitos médicos preocupam-se mais com politicagem do que com a saúde da população, há tempos…

  • O que estes médicos pensam que são. Eles são profissionais como qualquer outros profissionais.
    Não é diferente do porteiro, do faxineiro, do maqueiro, do infermeiro e de outros médicos, verdadeiros
    médicos que atendem bem a população.
    Estas figuram gostam mesmo de trabalhar é nas clinicas particulares, que tem uma atendente pata 15 médicos e nenhum vigia na porta.
    Esta é que é a grande verdade sobre muitos médicos que não querem atender nossa população carente nos Postos de Saúde,

  • Fui a um Posto de Saúde Lélio Silva ontem levar meu sobrinho que se acidentou e precisava levar pontos no ferimento, levei porta na cara, recebi informação que não tinha médico em posto de saúde algum, meu sobrinho com muita dor, fui ao Pronto socorro…
    Meu Deus tenha dó das pessoas que o senhor colocou neste miserável mundo, tão brincando com vidas, encontrei uma anciã com idade de ser minha vó, com o braço enfaixado, vítima de fratura, jogada parece bicho pelos cantos chorando de dor, pra onde vc olhava naquele hospital eram filas de doentes…lesionados..enfim eh o quadro da saúde pública do Amapá, do Brasil…..
    Quadro do descaso, do abandono dos profissionais e dos poderes constituídos que não dependem do SUS, até quando meu DEUS!!!

    • Registre ocorrência em uma DP, por omissão, pode ter havido prevaricação tb. Encaminhe ao MP, provavelmente não farão muita coisa, mas vcs poderão acionar o judiciário e promover uma ação de reparação. Só sentindo no bolso para “educar” pessoas assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *