Mãos Limpas. Justiça Federal recebe denúncia do MPF

O Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) recebeu notificação, em meados de agosto, do recebimento parcial de quatros denúncias relativas à Operação Mãos Limpas. As ações foram ajuizadas em março e junho deste ano. De acordo com a movimentação processual, disponível na internet, a Justiça Federal recebeu as denúncias relativas aos acusados que não são servidores públicos. Àqueles acusados que ocupam cargo público, foi dado prazo de 15 dias, após devida notificação, para que apresentem resposta preliminar à acusação.

Nas denúncias ofertadas em março, o MPF/AP acusa 18 pessoas por fraudes praticadas na Secretaria Estadual de Educação (Seed) e Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Na Seed, R$100 milhões foram desviados em esquema de contratos ilegais com a empresa de vigilância Amapá VIP. Na Sejusp, os acusados fraudaram diversas licitações para fechar contrato com empresas que superfaturavam os preços e pagavam propina aos funcionários envolvidos no esquema.

Em junho, mais duas denúncias foram apresentadas à Justiça Federal. Na primeira, o MPF/AP acusou 11 pessoas por desvio de mais R$2milhões da Superintendência Federal de Agricultura no Amapá (SFA/AP). As empresas Amapá VIP, Fiel Car e R.R.Quaresma participaram do esquema. A segunda ação é contra 18 pessoas por fraudes a licitações da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) para contratar empresa prestadora do serviço de limpeza. Segundo investigações, os contratos ilegais com a vencedora do certame, Amapá Serviços, podem ter causado danos ao erário de mais de R$10 milhões.

Leia a notícia completa aqui

Entre os denunciados pelo Ministério Público Federal estão o ex-governador e novamente candidato, Waldez Góes. Os ex-secretários do governo de Waldez, Armando Amaral (Seplan), Aldo Ferreira (Sejusp), Adauto Bittencourt (Seed), Elpídio Dias de Carvalho e Uilton José Tavares (SESA). O ex-governador Pedro Paulo Dias, além de outros servidores de cargo de confiança na época e empresários ligados ao esquema.

  • Agora o Waldez e a Marília não podem mais reclamar que ainda não foram denunciados. Qual será o migué nas reuniões agora?
    Me preocupa ver delegado defendendo o casal 20 (ou cara de pau).

  • Só falta o povo separar o joio do trigo e ver que essas ervas são danosas para o nosso Estado. Eles vão continuar com as caras-de-pau que sempre tiveram para fazer todo mundo de besta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *