Macapá perde dois ícones de suas gerações: Eugenio Almeida e Isolina Serrano

 

Macapá recebeu hoje duas notícias tristes: a morte de dois ícones de suas gerações.

Eugenio Almeida, o Cachorra. Engenheiro agrônomo. Ambientalista quando quase ninguém falava disso. Militante de esquerda, quando diziam que comunista comia criancinha . Rebelde a vida inteira por boas causas.
Acho que Eugenio tinha uns 60 anos, mas adolescente, aprendi a admirar aquele jovem alegre, inteligente e transgressor, participativo e atuante nas causas da sociedade que estava inserido. Exímio jogador de basquete. Fundador do bloco Pererê, que animava as ruas de Macapá no carnaval. Fundador do Movimento Verde Vivo, o primeiro movimento por causas ambientais que surgiu no Amapá. Tentou uma carreira política pela esquerda verde, mas saía desses ambientes meio decepcionado com o recuo dos vanguardistas.
Assim era o querido Eugênio.
Ele faleceu em Natal, onde era servidor do Ministério da Agricultura.

 


D. Isolina Serrano também foi um ícone de sua geração. Pela beleza, charme e elegância. Daquelas naturalmente elegantes.
Foi uma dama da alta sociedade da pequena Macapá. Era casada com o empresário Marlindo Serrano e com ele formava um dos casais mais bonitos, festivos e alegres da cidade. Sua casa, no coração da avenida Fab, era sempre cheia de gente. Isolina era acolhedora.
D. Isó, como era conhecida, ficou viúva jovem. Perdeu o filho Neto Serrano há alguns anos, e levava a vida discretamente com as filhas Karla e Fabiola, e os netos.

  • Vc bem soube descrever o amigo Eugênio, o cachorra,como era conhecido. Pra nós deixou de lembrança a sua alegria. Que Deus o tenha.

  • Lamento a triste notícia. Meu profundo pesar aos familiares. Eugênio e eu fomos contemporâneoa e amigos. Do que morreu ele?

  • Um dia muito triste para todos os amigos mais próximos da Isolina Serrano e Eugênio Almeida (Cachorra). Que descanse em paz. Ficam as boas lembranças de ambos.

  • A Iso era tudo isso é muito mais.
    Tive o prazer de ser sua amiga e das irmãs dela, Marizita, Zelia e Socorrinho. Saudades minha mana do coração. Nazeca

  • É com pesar que recebo essas notícias. Por algum tempo tive oportunidade de conviver em Macapá com ambos: Eugênio e Isolina e seus familiares. Guardo boas lembranças daquele período. Rezo para que ambos descansem em paz dessa travessia para outro plano e que os familiares que sofreram essas perdas sintam-se confortados com as boas lembranças que os falecidos deixaram.

  • Que Deus enxugue as lágrimas dos familiares do nosso colega de turma da FCAP, Eugênio, assim como dos familiares da senhora Isolda, enquanto os recebe em seu reino de paz e bem-aventurança. Fiquem na paz de Cristo!

  • Pesar a familia frota, abel, herculano, Zé, lourde, clarice, Paulinho e geracinda, grande amigo moravamos na presidente Vargas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *