• Isso aí meu Governador reeleito. O bom de andar de avião é não ter que passar por buracos. Cara da riqueza.

    • Às vezes temos a impressão que os políticos vivem em outro mundo. Um mundo de faz de conta, só deles, em que tudo, tudo é belo e maravilhoso, assim, como em um conto de fadas. Bem que eles poderiam descer um pouco nesse chão sofrido, só pra sentirem o cheiro da realidade

  • É, não pegou bem essa foto, numa época em que nossa cidade é só buraco e lama.
    Meu Governador pisou na bola ou é mal assessorado. Estivesse eu a bordo e ao seu lado não recomendaria tal foto.

      • Ele poderia pegar um carro e dar uma chegadinha em Pedra Branca do Amaparí e Serra do Navio, ou ele só viaja de avião?

        • Acho que viaja bastante de carro..Mas convenhamos, para um governador, cheio de ocupações, não é econômico fazer viagens longas de carro ou barco

          • Alcilene, bem longas, bem longas mesmo, pois as estradas para esses Municipios estão uma lástima. E vimos 20(vinte) anos que se passaram, eu disse 20(vinte) anos, e os Capiberibes nem os Goés (12 anos de Capiberibes e 8 anos de Goés), não colocaram nem um quilometro de asfalto nessa estrada, onde milhares de trabalhadores se deslocam para trabalhar nesses Municipios, além dos trabalhadores rurais que trazem a sua produção para vender e sobreviver. Fui apenas irônico, pois a foto para mim, me mostra apenas alguém que esta bem distante, e enxerga de longe as dificuldades de um povo sofrido e que merece mais do que propaganda e discursos inflamados.

  • Não dá para entender certas pessoas: criticam o governador por andar de avião a serviço. Pasmem! Será que os outros governadores andavam de carroça? Vamos ser mais críticos para o que realmente interessa. Mas vamos enxergar também o que está sendo feito de positivo. Vc, que com certeza vai dar uma resposta, já analisou a situação anterior ao governo atual? Ou precisa daquela pílula Memoriol?

    • Prezada comparar a gestão passada para fazer a gestão atual é de uma pobreza imensa. Ë claro que nenhum de nós que somos pessoas esclarecidas queremos a volta da oligarquia dos Goés (prefeitos, governadores, deputados, secretarios de Estado). Mas a oligarquia dos Capiberibes (governador, senador, deputado e secretarios de Estado não melhorou em nada a vida daqueles que precisam, o povo do Amap,a, vide principalmente a Saúde, a Educação e a segurança. Uma oligarquia (Goés) peca por suspeita de envolvimento em atos de corrupção e improbidade administrativa. A outra oligarquia (Capiberibes) peca pela incompetência administrativa e pela arrogância de achar que são a solução ideal e melhor para todas as nossas mazelas. Querer achar que um é o máximo por conta dos desmandos e erros dos outros é muita pouco para quem precisa de muito mais. O Amapá merece muito mais que isso. Que venham novas cabeças, novas idéias, pois passaram-se 20 (vinte) anos que estes Senhores Feudais do Amapá assumiram o poder, o tempo passou e continuamos devagar quase parando. Essa guerra familiar por sede de poder beneficia apenas aqueles que pensam em si e não no povo amapaense. Que venham o Prof. Chelala, o Promotor Moisés, e outros que pensem mais no povo e menos nas suas famílias e no poder.

      • Fantástico suas colocações.
        Já não aguento no tt essa ladainha ´´culpa da gestão passada´´. Bom, fazendo uma breve análise, concluo que se a gestão passada é culpada pelos acontecimentos no estado e a gestão atual não resolve os problema adquiridos nessa gestão, julgo que nem um dos dois servem para governar.
        Eu acho que o Amapá precisa de um Governador que venha do ramo da iniciativa privada, que tenha/teve carteira de trabalho assinada,saiba coordenar,planejar e executar as atividades governamentais. Basta verificar os empresários de sucesso no estado. Já chega de profissão ´´político´´. Abraços.

  • Queremos que ele viaje pelo sofrimento das pessoas que acreditaram nele, compreender que a politicagem que ele faz, destrói os sonhos de um povo enganado. Pés no chão senhor!

Deixe um comentário para Veneide Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *