Li no Corrêa Neto. Rá!

A deputada Marília Góes quer, também, que o MPE investigue as coincidências que levaram o publicitário Walter Júnior, depois de fazer a campanha do PSB, a ganhar o contrato emergencial de propaganda do governo do Estado e, em seguida, ganhar a licitação e o controle da conta de propaganda.

  • É uma prática abusiva isso. Empresários que fazem campanha e depois são agraciados com favores, cifras altíssimas rolam para eleger um candidato a governo, e mais ainda quando o lucro os tornam milionários. Mesmo vindo de uma pessoa como Marília, sou a favor da investigação. O governo da “transparencia” precisa dar o bom exemplo.

  • Essa pratica é normal no meio politico!
    TOMA LÁ DA CA, ME AJUDA QUE EU TE AJUDO.
    Licitação não EXISTE só consta no Protocolo

  • Só mais alguns questionamentos: Por que um contrato de propaganda como este é caracterizado como “emergencial”?

    Por acaso alguém vai morrer de imediato se ele não for executado logo?

    • Na verdade em se tratando de qualidade dos serviços contratados, o contrato emergencial de nada serviu! Acho horrível a publicidade eleitoreira aplicada pela empresa vencedora, é paga por nós contribuintes. Ter exito em campanha que fatos públicos da época estavam colaborando à favor é “mamão com açúcar”… Quero ver levantar imagem nas adversidades, competência se prova nas condições desfavoráveis. Eu não vejo os frutos da publicidade do GEA atualmente, alguém vê?

  • É tanta transparência que a gente não tá conseguindo ver mais nada!!!Tem coisas que estão ficando invisíveis.A deputada está correta em pedir esclarecimentos, pena que quando era “situação” ela nunca viu nada de errado!!!”COBRA ENGOLINDO COBRA”!!

  • Totalmente de acordo com a postura da deputada Marília Góes. Ela está cumprindo seu dever de fiscalizar os atos do Executivo Estadual.

  • A deputada Marília deveria ter a hombridade de, o quanto antes, ficar calada em alguns momentos inconvenientes, como o atual, sob pena de perder a credibilidade de quem nela votou, assim como a dignidade do mandato outorgado.

    • Hombridade? Comentário machista na linha sofista: atacar a pessoa não a ideia em debate. Ela tem sim que questionar isso [e olha que sou CAPI doente]…

    • Que belo exemplo de como contribuir para a desordem, ela está eleita e goza de todos os direitos do exercício. Se ela não deve fiscalizar pra que pagamos?! Comentário sem pé nem cabeça. Reveja seus conceitos do que devemos cobrar do político, não misture questões partidárias ou opinião pública com os deveres dos deputados. Ela é paga para exercer, é um fato incontestável. Eleita por votação popular e os eleitores dela devem sentir satisfação no cumprimento do dever. No referido caso ela está fazendo o correto.

  • Zanjo Goulart PARABÉNS PELAS SUAS POSIÇÕES FIRMES E COM ÉTICA. SEMPRE ACOMPANHO SUAS CONTRIBUIÇÕES NO BLOG.

  • Quando eu vejo o ex-governador Capi e o atual governador Camilo procurando a “imprensa jabazeira”, título dado por eles mesmos a certos programas como o de Carlos Lobato e de Luís Melo, para “esclarecer” o povo sobre os atos do governo, eu me pergunto “Quem é mais sem-vergonha: os que se diziam contrários a esse tipo de imprensa “suja” ou aqueles que se enlameiam hoje no mar de bajulação criado por eles para elogiar governantes que eles sempre classificaram como perseguidores, retrógrados ultrapassados? O governo hoje gasta dinheiro da publicidade para bancar pessoas sem nenhuma credibilidade na nossa sociedade, pessoas que eu não conheço ninguém que tenha uma boa palavra a respeito de ética, caráter etc. Muito me admira que Capiberibe pai e filho, que tanto se agarravam ao discurso de moralidade, tenham se rendido a esse tipo de gente. Só nos deixam uma certeza: no fim das contas, os políticos são todos iguais.

  • A ex-primeira dama Marília Góes parece já ter se esquecido do período que passou no presídio feminino da Colméia em Brasília. Ela toma a frente nas críticas ao governo atual, inventando mentiras e defendendo o (des)governo do marido. O que Marília não explica são as razões pelas quais foi parar na prisão. Ela foi eleita deputada estadual e finge que o período na prisão foi apenas fruto da imaginação de alguns. Alguém se lembra dos motivos que levaram Marília a prisão?

    • Com todo respeito ao esforçado defensor do governo, acho que os questionamentos e a recomendação de investigação não invalidam as investigações e o processo judicial que, oxalá, haverá de render frutos e anos de grades aos desumanos que desgovernaram o Estado e orientaram suas ações não para a res publica, mas para a res privada.

      Certo também é, por outro lado que esse maniqueísmo tosco, proposto por vossa senhoria, longe de ser atitude de tolos, é proposital e bem orientado.

      O MP deve sim, investigar esse contrato, até para a própria salvaguarda da honra do “implicado”. Ou a Deputada (ô povinho burro, que merece os governantes que tem!!) M. Góes, mesmo que futuramente condenada a algo, perde o direito constitucional de se expressar? Vossa senhoria concorda com isto?

      Menos, menos.

      • Quanta precisão meu caro Bernardo. Acho que o Heverson tem que meter a cara num saco e se esconder. Mas do jeito que é pelego ainda vai achar que o burro é vc…

    • Meu querido não seja comico, não coloque sua cara a tapa, quando vc tiver agonizando esse governo não vai te ajuda. Logo vc que tanto clama por moralidade. Que dizer que vc considera certo o que tá acontecendo na comunicação do estado!

  • umas das questões que hoje o Dr. Marcio Figueira enfrenta é a licitação. Mesmo existindo decretos do governador camilo os órgãos não estão submetendo os processos licitatórios a PROG. Como as indicações das secretarias e das autarquias são dos partidos querem tirar o Dr. Marcio Figueira para retornar a HARMONIA. Coisa que ele não concorda e está pagando um preço alto por ser ético.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *