Levada Zona Sul: UM SOPRO DE ESPERANÇA NA ORLA DO MAR DULCE

*Alcione Cavalcante. Engenheiro Florestal. Diretor de Piratas da Batucada

 

UM SOPRO DE ESPERANÇA NA ORLA DO MAR DULCE

 

A Levada Zona Sul tem sido a grande novidade e esperança para o Carnaval de Macapá. O evento conduzido pelo Piratão, que vem acontecendo na orla do rio Amazonas nos domingos à tarde, como se propõe, vem levando os bons momentos da escola para Beira-Rio, através de seus sambas antológicos.

 

O show começa com o Samba Exaltação. Primorosa composição de Ademar, Dio, Magé e Ademir do Cavaco, concebida na divisa entre as casas de dois ícones da Escola: o Nóbrega (Diretor) e o Matta (Ex-presidente e Diretor, tantas vezes campeão), que evidentemente dispensam comentários. (“….Muitos anos de paixão, no bairro do Trem nascia a minha maior alegria…”).

Neste momento algumas lágrimas já vertem dos olhos e se precipitam sobre a massa liquida do impetuoso Amazonas. Na sequência é chamado o “Samba da Majestosa”, homenagem à BATERIA NOTA 10, criação de Marcelo Zona Sul e Meio Dia (“… Chegou ela, cheia de essência, a bateria do Piratão …a majestosa pura cadência…”).

Encadeada por Ademar Carneiro (um dos maiores do Brasil no quesito interprete de samba enredo) vem “Corpo de Mani, Dádiva de Tupã”, um dos melhores sambas do carnaval em todos os tempos e lugares(Vem amor, Vem cantar…Na farinhada os Piratas vão passar..). Explode então a agitação e contagia todos no trecho entre o Araxá e o Píer do Santa Inês.

E tome samba. Segue a evolução ao som de “Maquinista do Trem da Alegria”, “Miscigenação e Progresso”, “Camisa Dez (Humberto Moreira)”, “Uma Luz para o Norte”. O impactante e envolvente “Quem Conta um Conto Soma um Ponto”, samba de 2015, também se faz presente. O brilhante e vasto repertório de inesquecíveis sambas e enredos, deram a Piratas o título de Rei do Sambódromo.

A essa altura o Amazonas parece querer participar do espetáculo, e o faz através das ondas que quebram no arrimo da avenida e espalha gotas d’água sobre os brincantes. Já não há como segurar ninguém.  O Piratas da Batucada está fazendo carnaval, e isso importa muito. Empolga muito.

Parabéns ao Marcelo Zona Sul e sua diretoria pelo desafio que assumiu e por nos proporcionar esses belos, fraternos e inesquecíveis momentos de pura alegria, magia e emoção e que nos trazem a esperança da retomada do carnaval de rua de Macapá.

Caetano Veloso já dizia “desde que o samba é samba, é assim”.

PS: Muitas lembranças do Mestre Monteiro, Gilson Rocha, Manoel Torres, Sabrecado (Maranhão) e Edvaldo Azevedo (Meré), todos piratistas de muito boa cepa a nos observar lá do alto, com certeza saudosos de sua escola querida.

 

Nota do blog – Que o exemplo de Piratas da Batucada, sirva para outras escolas e blocos. E que levem cultura e diversão a seus bairros e suas comunidades.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *