Labaredas. Comissão Processante checa contratos da gestão de Moises Souza

Comissão Processante da Assembleia Legislativa está em cima dos contratos e das prestações de serviço sem cobertura contratual, executados na gestão do Presidente afastado Moises Souza.

Na terça-feira à Comissão Processante, presidida pela deputada Rosely Matos fez oitiva com as empresas Ética Turismo e com a empresa de vigilância Vigex.

A Ética Turismo teria informado, em relatório, a emissão de várias passagens em nome do advogado particular do presidente afastado, Moisés Souza, que não é servidor da AL. Os pedidos para emissão dos bilhetes teriam sido feitos pelo próprio Moisés.

De janeiro a maio de 2015 a empresa Ética confirmou que emitiu bilhetes, apresentou nota e recebeu por serviços. Mas segundo os deputados nesse período não havia cobertura contratual. O pregão só ocorreu em maio de 2015.

Em relação a Vigex, a empresa foi contratada para garantir segurança armada no prédio da AL e nas residências dos deputados, com contrato de mais de meio milhão mensais. De fevereiro a maio de 2015, a empresa recebeu os valores integrais, mas na casa de 11 deputados não havia postos de segurança armada. Cada posto representa 4 vigilantes, multiplicados por 11, são 44 vigilantes que não existiam mas que a AL teria atestado que trabalhavam e pelos quais pagava.

E segue em fogo alto a briga na Assembleia Legislativa do Amapá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *