Jornal O Estado de São Paulo faz uma devassa no Amapá

Switando a Operação Mãos Limpas, com pauta mostrando o Amapá um ano depois, o Estadão faz uma devassa no Amapá

Leia matérias nesses links

Fraudes no Amapá têm sobrepreço de até 2.760% http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,fraudes-no-amapa-tem-sobrepreco-de-ate-2760,783730,0.htm

Postos de saúde também não tem medicamento ou equipamentos para atendimento à população  – http://fotos.estadao.com.br/anatomia-corrupcao-postos-de-saude-tambem-nao-tem-medicamento-ou-equipamentos-para-atendimento-a-populacao,galeria,4319,149084,,,,0.htm

Macas estão nos corredores e obstruem porta de elevador; não é espaço para diferentes pacientes

Faltas e ‘fantasmas’ revelam descaso na Assembleia do Amapá – http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,faltas-e-fantasmas-revelam-descaso-na-assembleia-do-amapa,783533,0.htm

Como não sou assinante, não acesso todas as matérias. Procure em www.estadao.com.br

Operação custou R$ 1 mi e dois meses de planejamento

O Estado de S.Paulo

Para evitar vazamentos e conseguir prender políticos graúdos no Amapá, a deflagração da Operação Mãos Limpas, ocorrida em setembro do ano passado, precisou alugar um navio com capacidade para 700 policiais federais, que viajaram 22 horas pelo Rio Amazonas até desembarcar em Belém, numa espécie de Dia D.

As tábuas de maré do Amazonas, que quando secam dificultam o trânsito de navios em Macapá, foram exaustivamente estudadas para evitar o encalhe.

Foram dois meses de planejamentos, a um custo que alcançou mais de R$ 1 milhão. Em operações anteriores, como a Pororoca (2004) e Sanguessuga (2006), pessoas que seriam presas souberam que policiais federais chegavam à cidade por meio de informações repassadas do Aeroporto de Macapá.

Dessa vez, para evitar novas fugas, dois bloqueadores de celular foram instalados no navio dos federais para impedir qualquer tipo de comunicação. Vindos de Estados como Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará e Brasília, os federais foram informados em um primeiro momento que cumpririam ação contra desmatamento na Amazônia. Só souberam o real objetivo da missão horas antes de desembarcarem no porto de Macapá.

Foram alugados 140 carros particulares em Macapá, que esperaram estacionados a deflagração das ações por 45 dias. Para despistar os funcionários do porto, os federais se passaram por distribuidores de bebidas. Na hora do desembarque, às 2 horas da manhã do dia 10 de setembro do ano passado, um vigia do porto e um agente da inteligência da polícia militar foram dominados para impedir que outras pessoas soubessem da movimentação.

No total, foram deflagradas 18 prisões temporárias e 8 preventivas, além de 184 mandados de busca e apreensão. Esses documentos foram analisados ao longo do ano passado e sustentam parte do inquérito final da PF que atualmente se encontra no Superior Tribunal de Justiça. Hoje, todos estão soltos. / B.P.M.

  • Os dado da PF dando conta de que mais de R$ 1.000.000.000,00 foram surrupidados nos últimos 10 anos me parecem sub-estimados e sem correção monetária,pois isso daria pouco mais de 100 milhões po ano. Uma bagatela considerando os poderes envolvidos e a voracidade com que a turma da harmonia e da parceria se apro´riava do tesouro no Amapá. Falta apurar muuto masi ainda. Não dá pra se conformar com esse orçamento da Assembléia, que dá R$ 1.200.000,00 por ano por deputado, enquanto que os Postos de Saúde, o PS e o Hospital Geral operam no sacrifício. Vaelu ESTADÂO. Continue.
    Muleke, que sempre acho que um dia ia aparecer algum macho pra denunciar isso.

  • Tanto aparato e gastos e até agora só ???,ninguém tá preso,ninguém devolveu 01 centavo aos cofres públicos,mas todos os envolvidos estão rindo da nossa cara.PF àquela linda fez a sua parte,tá faltando a justiça(lentíssima) fazer a dela,zzzzzzzzz…….Isto é Brasil.

  • Ainda dizem que foi mentira da PF. O reflexo da falta de respeito e compromisso c o dinheiro público tá na situação em que deixaram nosso Estado. Qualquer governo com boas intenções não conseguiria resolver o tamanho do estrago que “as belas peças” deixaram. Uma coisa eu digo, reorganizar o “vício” em que deixaram no serviço público é um desafio muito grande e necessário para melhorias.

  • E uma vergonha… o pior é, que no ano que vem, todo o CORDAO DA HARMONIA vai estar no palanque parA Prefeitura, aclamando ROberto Goes como um prefeito competente, correndo o risco da maioria dos que foram presos concorrerem a eleição, o que é vergongoso e perigoso para o processo politico de limpeza ao qual o Amapá está passando. vamos respeitar esse cordão da harmonia, que sabia fazer, ficar calada e calar a Justiça Estadual, a federal, O Ministerio Publico, a Prefeitura, os vereadores, os deputados e pasmem, até os reporter que também recebiam beneficios, que hoje batem “todos” no atual governo.

  • ” ….Mas a investigação mais curiosa diz respeito ao surgimento de uma empresa de ônibus municipal em 2009, a Expresso Marco Zero, cuja garagem está localizada em um terreno que pertence ao pai do prefeito”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *