Hoje a notícia é trágica e triste

Carol-CIMG0045

Carolina Camargo Passos, a Carol, amiga e colega de trabalho, foi barbaramente assassinada, junto com seus filhos Marcelo Konishi de 17 anos e Vitória (Vivi) Konishi, de 11 anos.

Assessora Jurídica do Ministério Público e professora Universitária, Carol era queridíssima por colegas, alunos, ex-alunos, e a partir deste ano, pelas comunidades atendidas pelo Programa MP Comunitário, onde Carol, era o braço direito do promotor Paulo Veiga, que está arrasado. Como todos no Ministério Público do Amapá.

Segunda-feira, Carol estava de bem com a vida. Rimos, brincamos, falamos de vaidades, leseiras e trabalho.

Carol era de Florianópolis, mas adorava morar no Amapá. Inteligente, dinâmica, engraçada, alegre, e muito, muito, trabalhadora. Eu a chamava de trator.

O crime chocou a sociedade. Pela brutalidade, pela maldade. A notícia, em si, deixo para o noticiário policial.

Não imagino Carol com inimigos e nem desafetos. Conversava com ela quase todos os dias.

Que Macapá é essa? Que bárbaros são esses que assassinam uma mãe junto com seus 2 filhos?

Estou muito chocada. Muito triste.

O marido de Carol, que está trabalhando no Maranhão, e o irmão de Carol, chegaram nessa madrugada. O velório será na Capela Santa Rita, a partir das 11 horas, e depois os corpos irão para Florianópolis.

O Ministério Público decretou luto por 3 dias, e ponto facultativo para a área administrativa, nessa quarta-feira.

Atualização às 13 horas

Os corpos de Carol, Marcelo e Vitória foram liberados agora pelo IML e estao indo para a a funerária para serem preparados.

O de Carol deve ficar pronto por volta das 17 horas, e a partir daí será velado na capela Santa Rita, próximo ao hospital São Camilo.

Carol1-CIMG0036

  • Pena de morte no Brasil!!! Urgente!!! Vms parar com essa palhaçada de direitos humanos para esses monstros que cada dia mais nos apavoram!!! Deus sabe do meu medo de ficar até na minha casa, de abrir a porta pela manhã… Não é paranóia, não!! É uma insegurança que se tornou constante nas nossas vidas. Tenho uma filha nesta mesma idade!! Quanta crueldade!!! Daí, pegam o monstro, depois liberam, ele volta a fazer o mesmo e nada acontece!!! QUE PAÍS É ESSE???

  • Na última sexta-feira acompanhei a colega Karol em visita a diversas comunidades do Município de Santana, onde se pretende trazer o programa MP-COMUNITÁRIO do Ministério Público do Estado do Amapá. Fazia um belíssimo dia, combinando com o entusiasmo da colega, que anotava todas as providências a serem tomadas para a realização do evento.
    Ao chegarmos na localidade de Elesbão, nesta cidade, Karol se encantou com as belezas naturais do local, neste momento, percebi um brilho diferente nos seus olhos e um sorriso emocionado, que até então não havia percebido. Senti que seu coração estava à explodir de emoção por estar presenciando aquela paisagem.
    Após visitarmos diversos bairros de Santana, nos dirigimos até a Promotoria de Justiça, onde por volta de 13:00 horas nos despedimos, prometendo nos encontrar novamente nas próximas semanas para tratarmos do assunto MP-COMUNITÁRIO.
    Mal sabíamos que aquele seria nosso último encontro, pois na manhã de 11/05/2010 recebi um telefonema de um amigo informando que Karol havia sido assassinada, juntamente com seus dois filhos menores. Dirigi-me até a residência de Karol, onde lamentavelmente pude confirmar a veracidade da triste notícia. Vou guardar na memória apenas as lembranças daqueles momentos de felicidade da última sexta-feira. Que Deus conforte a família de Karol.

  • Nosso estado está caminhando para o caos. Insegurança e medo até dentro de nossas casas. Bandidos agem a vontade sem deixar rastros. Nossos filhos não estão mais seguros em lugar nenhum. Temos que ficar atentos e vigilantes. Morte para esses bandidos que ceifam vidas inocentes e acabam com sonhos e enlutam famílias inteiras.

  • A cidade natal da Carol é Tijucas, próxima de Floripa e seu corpo será sepultado aqui. A cidade inteira está em choque. A conheço desde criança, bem como toda sua família. Custei muito a acreditar na notícia, mas infelizmente é verdade. Bom saber que ela estava feliz e realizada por aí. Só nos resta agora tentar confortar Dona Maria Amélia e os demais famíliares e torcer para que os criminosos sejam identificados e punidos. Sorte e sucesso a todos vocês por aí!!!

    • Sinto pela tragédia, pela mãe e pelas crianças, todos assasinados de forma tão violênta. Acredito na competência da PICC, da Policia Civil e da Militar. Darão resposta.
      É NECESSÁRIO, que nossa vida esteja todos os dias conectada com as coisas de Deus, de luz, , para que possamos ser merecedores das bençãos dos anjos guardiões e atrair para nossa caminhada terrena a luz do Divino Mestre Jesus. Os espiritos inferiores saem de suas moradas quando acionados por nossos pensamentos pequenos, desejos e ações distanciadas de Deus e é por isso devemos nos lembrar de orar todos os dias e de vigiar, principalmente o nosso coração para que com ele limpo, nos manter distantes das energias negativas e com isso, possamos pedir proteção. Que Deus ampare esses espiritos que tanta violência sofreram em seus corpos.Que o conforto esteja com a familia. Amém!

    • A cidade toda aqui também está em choque! Nunca vimos algo tão brutal por aqui. Qual o motivo de tamanha brutalidade e quem foram os responsáveis, é o que a policia quer e vai saber. Aqui também muita consternação pela morte da Prof. Carolina Passos. Oremos!

    • Berenice.. estamos todos imensamente tristes e chocados..E empenhados na descoberta dos asssassinos

  • Tive uma ajuda de Carol na sexta-feira precisava falar com uma certa urgencia Dr Paulo veiga e nossa colega nos falicitou intermediando esse contato,não tive a oportunidade de conhecê-la pessoalmente mas havia agradecido e le desejei sucesso no MP comunitário e agora ter que desejar conforto aos seus familiares, pareço não acreditar nesta história ainda.Precisamos de uma resposta de nossos sistemas de segurança do Estado já.Obs:estão existindo muito crimes barbaros sem resposta um bebe foi esquartezado em santana,outro bebe foi jogado proximo ao bairro jardim equatorial e tantos outros que não chegam ao conhecimento publico e por fim esta chachina

  • Alcilene, o meu colega Delegado Celson estava muito triste qd falou comigo ontem, pois em todos esses anos de polícia n tinha visto tamanha crueldade c uma criança.

  • O episódio ocorrido com a professora Carol remete um debate ja a muito percebido neste estado. Como estão tratando a Segurança Pública, as classes de policiais tantos os militares, quantos os policiais civis têm feito desagravos com greves e lamentações sobre as péssimas condiçes de trabalho e salários a que estão submetido ao longo dos anos, tentando sensibilizar os gestores públicos que não precisam da segurança do Estado, pois pagam para ter em muitos casos segurança privada ou estao preocupados demais com quem sera isso, ou com aquele que deixara de ser aquilo, ou fulano não foi indicado para tal coisa. abre o olho PP falta gestão tanto na policia militar, quanto na Delegacia Geral de policia Civil. Mando o meus pesames aos familiares da Prof. CAROLINE CAMARGO, pedindo a estes desculpas pela incompetência de nossos gestores e pedindo a DEUS que conforte seus corações pela perda.É lamentável que essa tragica e violencia tenha ocorrido com pessoa tão afável.

  • Alcilene não sei se é verdade,mas você que trabalha no ministério público deve saber, ou ouvido algoo,mas ouvi uns boatos que Marcelo Konishi de 17 anos, dirigindo sem ser habilidado, se evolveu-se em um acidente de trânsito que tinha ceifando a vida de uma morça, na qual os parentes tinham lhe prometido vingança….Se este fato é verdade pode ser uma hipótese, se não é só boatos e especulações que rolam sempre, que acontece algo de tamanha crueldade!!!

    • Não é verdade..esse boato correu ontem. A polícia investigou e comprovou que nao é verdade. Marcelo nem dirigia

  • É dificil até comentar um coisa dessas. Meu sincero pesar a todos o amigos e familiares, por essa grande perda.
    Alcione

  • Compreendo a imensa indignação pela tamanha brutalidade cometida com essa família (sinto como se fosse comigo). Deus! Gostaria tanto que as boas ações tivessem a mesma divulgação e que causassem em nós tamanho impacto quanto atos insanos com esse (por que sei que existem pessoas boas agindo no anonimato e muitas delas salvam vidas!). Penso que mesmo com tamanha dor não podemos deixar que nossos corações se contaminem pelo mal ao ponto de querermos a morte ao invés da justiça. É triste mas minha cidade já não apresenta mais o “bucolismo ingênuo” de tempos onde podiamos dormir de janelas abertas. Minha casa já foi arrombada duas vezes e agradeço a deus por em nenhuma delas não ter ninguém (até na casa de deputado e promotor já ocorreu isso!). Mesmo que seja necessário procurar saber que autoridades são responsáveis (ou irresponsáveis) é preciso que esses monstros sejam presos e que pagem pelo que fizeram. Acredito ainda que precisamos cair na real de que, infelizmente,nossa cidade já é alvo de células de quadrilhas organizadas de outros estados que assaltam, sequestram e matam impiedosamente. Saber ainda que nossos hábitos devem mudar para evitarmos que nossas famílias sejam alcançadas por essa violência brutal. Por exemplo, só depois de ser vítima de arrombamento, me dei conta de quanto era importante conhecer meus vizinhos e de que podiamos criar formas de nos ajudarmos. As pessoas de bem não podem viver acuadas dentro de muros altos e cercas elétricas. Os bandidos e assassinos são os que merecem viver presos! Que essa violência não se repita mais!
    Fé na justiça e paz para as almas e os corações dessa família!!

    • É isso mesmo Josimar…Precisamos trocar os muros fechados pelos vasados, interagir com vizinhos. Uns observarem os movimentos estranhos na casa do outro.. sao medidas antigas que perdemos e precisamos retomar

      • Concordo contigo Alcilene. Muros altos nos tornam prisioneiros e reféns. Existem várias formas de chamarmos a atenção dos vizinhos…entre elas uma experiência de Arraila D’Ájuda – apitos! Como osapitos de guardas de trânsito…pesquise isso – é uma idéia que se não me engano saiu lá de Minas Gerais.
        Carol foi minha colega também e, embora eu não tivesse maior intimidade com ela lamentei, me choquei e mais uma vez me perguntei pq em Macapá acontecem tantos crimes? tantos acidentes…
        Certa vez alguém que frequenta uma casa espírita de Macapá me falou:”existe sobre Macapá uma colônia de drogados e assassinos, entre outros…” Se isso é fato eu não sei. Quem acredita no espiritismo poderá realizar um estudo mais profundo sobre isso. Posso falar da minha experiência de 6 anos no Amapá mas, deixo isso para um outro momento. Peço que todos que acreditam na LUZ de Deus possam por meio de suas orações encaminhar a Carol e seus filhos para uma colônia de recuperação e Luz. Peço que deixem suposições e vinganças de lado e pensem no que ela realmente precisa agora: orações e encaminhamento para a Luz. É isso. Que Deus tenha piedade de todos nós e daqueles que tiveram a infeliz idéia de praticar esse ato que está tão distante daquilo que entendo por SER HUMANO.

  • Lamentável mesmo. E quem garante que não seremos os proximos a ser vitimas da violência. Temo pelo meu filho, pela minha mulher, pelos meus pais e demais familiares.

  • Valorosos Policiais Militares e respectivos agentes prisionais enfrentam verdadeiras guerras ao defrontarem-se com marginais, a exemplo desses que assassinaram a estimada Carol e filhos. Na contramão, sempre aparece um representante da Comissão de Direitos Humanos da OAB para protestar em defesa a “dignidade” dos presos. É ou não é de arrepiar…? Mais grave ainda é que essas lamúrias têm eco nas nossas intituições. Lamentável, mas é o preço que pagamos.
    Que o nosso Deus de amor e perdão tenha infinita misericórdia de todos nós e alcance com o seu consolo, os diligentes colegas e demais familiares dos falecidos.

  • Como eu disse, uma enorme perda de uma pessoa extremamente competente em seu trabalho, seja como assessora jurídica, seja como professora. Estou de luto por isso, Carol foi minha professora na graduação, logo que ela chegou em Macapá, quatro anos atrás. Que ela esteja aos braços de Deus.
    Quanto ao crime, a mídia diz que foi latrocínio, mas tenho conviccção de dizer que não foi. Até porque não subrairam nenhum bem material dela (apenas o carro, que foi na verdade objeto de fuga. Tanto que foi abandonado depois, lá no Araxá).
    Macapá está perigosa, violenta, precisamos tomar cuidado, estamos refens de muros altos e cercas elétricas, mas creio que tenha havido alguma motivação para ter ocorrido esse fato lamentável. Creio que não seja de Carol, mas pode ser de seu filho. Teria várias suposições para dizer aqui.
    Mas, indepedentemente disso, um crime extremamente cruel e inscidioso, no qual os responsáveis (monstros) devem ir pro xilindró o mais rápido possível.

  • No momento, chorar a perda de Carol, de toda a sua força e vontade de viver e trabalhar, de uma pessoa que sempre deu tudo de si… Descanse em paz cara amiga.

  • Inacreditavel, tanta barbaridade contra uma jovem que vinha prestando relevantes serviços ao Amapá.Mais bárbari ainda, quando a sanha assassina atinge dois adolescentes que se preparavam para servir a nossa causa. Estou chocado diante de tanta maldade e pergunto:Para onde iremos com tanta violência ceifando vidas preciosas ?…

  • É verdade que a violência está crescendo em nossa cidade, porém, perto das grandes cidades, ainda podemos nos considerar uma cidade tranquila. O que eu quero dizer é que ainda há tempo de todos nós, autoridades ou não, de nos unirmos em torno de uma campanha séria, sem demagogia contra o recrudescimento da violência em Macapá. Não podemos fingir que nada está acontecendo. Temos que reagir. Tolerância zero contra esses monstros que, infelizmente, convivem conosco. Cada um deve fazer a sua parte, conscientizando uns aos outros que é preciso denunciar qualquer suspeita de crime. Não podemos acobertar marginais. Vamos produzir panfletos, cada um pode fazer um pouco, e espalhar pela cidade, tentando conscientizar as pessoas boas desse estado que nós não aceitamos a violência, que nós não ficaremos estáticos diante dela. Todos nós estamos profundamente consternados com o que ocorreu com essa família, que monstruosidade. Mas ainda é hora. Vamos reagir, vamos lutar para que a nossa cidade não se torne mais um capital manchada pela “vitória” do crime. Esses “animais” não podem ser mais forte que todos nós.

  • Pôxa! tô chocada com tanta brutalida.Sinto até medo.Que Deus conforte sua família e seus amigos.

  • A cidade inteira está chocada e assustada.
    Não conheci a professora Carol, mas só escuto falar muito bem dela.
    Que Deus tenha reservado um lugarzinho muito especial no céu para ela e seus filhos e que dê forças para a família.

  • Conheço a família de Carol aqui em Tijucas, família linda e hospitaleira, é triste ver mais uma tragédia dessa, Tijucas está de luto, pena de morte para os canalhas assassinos, senhores parlamentares está na hora de fazer justiça ou irão esperar o cidadão brasileiro fazer justiça com as próprias mãos.
    Vai com Deus Carol junto de seus filhos.

  • É dificil ter equilibrio nos comentários diante de tanta violência, vivemos no mundo onde preferimos ser roubados do que assaltados, que levem tudo que temos mas deixe nossas vidas, o que fazer? o que dizer? pena de morte? prisão perpétua?
    sei lá, só estou com saudades da macapá dos anos 80, cidade jóia da amazônia, longe dos muros, das grades. “Os muros e as grades nos protegem de quase tudo, mas o quase tudo, quase sempre é quase nada”

  • Oi Alcilene, tudo bem, ontem, pela primeira vez deixei um comentário em seu blog e lamentavelmente vi que você o excluiu, não faço idéia do motivo, e por mais que se tente explicar, por melhor que tenha sido a intensão, restou demonstrado a não há espaço para críticas aqui, mesmo que de leve e assinada como fiz. Nem sequer houve a preocupação de me avisar que iria ser retirado. Me senti desrespeitado e estou profundamente ofendido, pois a muito tempo acompanho seu blog (Lutei contra o autoritarismo ocorrido nas eleições de 2006) e sempre a tomei como referência no quesito liberdade de expressão e independência. Pena isso ocorrer.

    • Desculpe Edinaldo. Há espaço para critica sim. Ia editar seu comentário, mas estava sem cabeça. O momento é muito doloroso aqui no MP entre colegas, servidores e membros. Sua crítica estava num tom acima, do apropriado para o momento, neste blog. Afinal, eu, meus colegas e todos aqui, chefes, todos tínhamos relação pessoal com a Carol e estamos num momento dificil.. Vou editar e colocar. Desde já agradeço sua compreensão.

  • É aterrorizante e ao mesmo tempo nos provoca indignação, termos que vivenciar crimes com tamanha crueldade e frieza. Uma sociedade como a nossa, acostumada aos desmandos por parte de quem deveria zelar pelo cumprimento da lei, não poderia esperar outra coisa, se não dias ruíns e aterrorizantes como os que vêm acontecendo.Infelizmente, respeitando a memória daqueles muitos amapaenses ou não, que tiveram suas vidas ceifadas pela violência de toda espécie, é que deixo aqui o meu desabafo. Insanidades bárbaras como a que ocorreu com essa família, além de outras mais que tem ocorrido, nada mais são do que o reflexo da impunidade de toda espécie que nos últimos anos tem pairado sobre o nosso estado. Já passou do tolerável e chegou o momento dessas “autoridades” pensarem no conjunto da sociedade e no bem estar de toda uma socieade desasistida, criarem vergonha nessas caras de pau e esquecerem um pouco como devem fazer para continuar saqueando o herário, e buscarem urgentemente soluções para os sérios problemas de saúde, educação e principalmente segurança, para que tragédias como essas não voltem nunca mais a acontecer por aqui.

  • A Carol foi minha professora na FAMAP (Civil e Administrativo), vítima agora de pessoas sem alma nem coração. Todos nós, infelizmente, podemos ser a próxima vítima dessa gente. Macapá, apesar de ser relativamente pequena, está inserida no mundo da violência, e qualquer um pode ser vítima, muitas vezes de alguém que simplesmente não vai com a sua cara ou está estressado no trânsito. Infelizmente é (está) assim.

  • Tentei entender, pq esses assassinos fizeram isso, como uma pessoa tão adoravel como todos falam que a Carol era. Então cheguei a uma conclusão esses caras não são assassinos e sim monstros. Pq assassinos matam e pronto e essas caras fizeram crueldade tanto com a Carol quanto a seus filhos. Que Deus coloque a alma deles em bom lugar e que esses monstros sejam descobertos e que seja feito a justiça que a Carol sempre lutou e estudou. Deus receba essas almas e cuide bem delas pois estão muito feridas!!!!!!!

  • Tentei entender, pq esses assassinos fizeram isso, como uma pessoa tão adoravel como todos falam que a Carol era. Então cheguei a uma conclusão esses caras não são assassinos e sim monstros. Pq assassinos matam e pronto e essas caras fizeram crueldade tanto com a Carol quanto a seus filhos. Que Deus coloque a alma deles em bom lugar e que esses monstros sejam descobertos e que seja feito a justiça que a Carol sempre lutou e estou. Deus receba essas almas e cuide bem delas pois estão muito feridas!!!!!!!

  • Por mais q nos esfocemos jamais consegueremos entender a mente humana principalmente se a mesma estiver motivada por sede de vingaça!! essa atrocidade não tem outra explicação!! ou ninguem lembra do acidente que o filho da Carolina estava envolvido..AGORA SÓ RESTA A INCOMPETENTE PF DO AP INVESTIGAR..

    • POR QUE DA CRÍTICA?VC ACHA QUE PRA SER JUSTO,PRESCISAVA TIRAR E ACABAR COM UMA FAMÍLIA?POR MAIS QUE O FILHO DA PROFESSORA CAROL PASSOS,ESTIVESSE ENVOLVIDO NESSE ACIDENTE,CABERIA AS AUTORIDADES COMPETÊNTES RESOLVEREM,OU VC SABE DE ALGUMA COISA? SOBRE ESSA QUESTÃO DE VINGANÇA?ESPERO QUE A POLICIA TE ENVESTIQUE TAMBÉM SENHOR JUSTO…POR QUE PRA MIM VC PARECE SER MAIS UM PSICOPATA…QUE O SENHOR JESUS CRISTO CONFORTE O CORAÇÃO DOS FAMILIAS…

  • Mais uma família que passa pelo que passamos,eu, minha família e os amigos. Em que Macapá vivemos?? Que Deus receba essas almas e as dê conforto e que os parentes, que como eu , ficaram com a saudade e a dor, sejam confortados e que a justiça encontre os autores e os punam com todos os rigores da lei…

  • Alcilene,

    indubitavelmente, o assassínio que acometeu a família Camargo constitui um dos crimes mais nefandos dos últimos tempos, mormente pela reunião de requintes extremamente cruéis com que fora perpetrado. O caso, intriga pela sua complexidade, concorrendo que sua elucidação o transforma em um palco de repercussões jurídicas imprevisíveis. Se Wellington agiu sozinho, resta dúvidas, não obstante nenhuma possibilidade pode ser descartado por mais remota que pareça.
    A atuação da Polícia Judiciária e do Ministério Público na instauração das peças investigativas está sendo brilhante, mas faço ressalvas não somente para a apuração deste fato, mas também para outros tantos que se assomam no cotidiano da discrepante violência no Estado do Amapá, que de forma preocupante, também carecem de imediata atenção.
    No caso em exame, que seja feita a mais lídima justiça em nome da família dizimada, vez que é inconcebível tamanho ato de desumanidade como o praticado. Não há justificativa que tenha o condão de abrandar os corações daqueles que tiveram ou não o privilégio de conhecer Caroline e família em vida.

  • Fiquei horrorizada com a notícia!! passei uns dias da minha vida, imaginando o que aquelas pessoas passaram, e DEUS meu! não consigo imaginar o quanto desesperador foi para a família (mãe e filhos)antes de morrerem…enfim…não consigo imaginar, sou mãe e me desespero só de saber que Macapá está desse jeito….sofro só de pensar… Oh DEUS PROTEJA A TODOS NÓS! E DAI A PAZ E ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL AQUELAS ALMAS QUE SE FORAM! AMÉM!
    Que Deus ilumine a todos que trabalham no caso, para que a verdade venha a tona e não fique esquecida como tantos outros crimes!
    Estamos todos chocados com tamanha crueldade!
    ESTAMOS DE LUTO!

  • Lembro-me perfeitamente desse dia…. Dia da ação do MP Comunitário na Escola Maria Ivone no bairro cidade nova I. Muitas saudades d vc CAROL…..
    🙁

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *