Haroldo José de Arruda Franco

Cento e oitenta dias

Ontem, estivestes em meu ventre.

Hoje, estás encravado no meu coração.

Ontem, fostes a despedida.

Hoje, és a saudade de todos os segundos.

Ontem estava eu estarrecida com a realidade do fato acontecido.

Hoje, meus olhos sempre molhados com a constatação da tua ausência.

Ontem, chamavas-te Haroldo José.

Hoje és minha doce saudade.

Amo-te, meu filho, ontem, hoje e sempre.

Tua Mãe, Ana Maria

(Teu Nanico)

 

28.11.2011

  • Me solidarizo à saudade desta mãe, que consegue transformar sua dor em uma linda e comovente homenagem. Nós da Prodemac também sentimos muitas saudades do Dr. Haroldo.

  • O filho que perde uma mãe: órfão
    A mulher que perde o marido: viúva
    A mãe que perde um filho: ?
    A dor é tão grande, que nem nome tem.
    (Querida mãe – Ana Maria – que Deus te conceda paz e ternura)

Deixe uma resposta para Vilmar Lima Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *